segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A minha opinião

Gerou polêmica o assunto sobre a possível formatação de seleções de base permanentes no país. Como sou sempre o chato da paróquia, vocês devem imaginar que sou contra, absolutamente contra isso. Abaixo as minhas razões.

1) Acho que a CBB tentar evoluir as divisões do base do país é uma grande, e óbvia, tentativa para salvar a modalidade. De todo modo, ela daria (dará?) um tiro em seu próprio pé ao matar aqueles que ainda investem: os clubes formadores. Ou vocês imaginam que, por exemplo, Minas (Raulzinho), Central (Lucas Bebê) e Paulistano (Jefferson) investirão o mesmo caso suas principais promessas fiquem com a Confederação por um ano completo?
2) Acho que uma boa alternativa seria fazer o que já foi feito no feminino: puxar os juvenis que não têm chances nos times profissionais e, aí sim, treiná-los durante um ano, dando tempo de quadra a eles. Isso, aliás, já poderia ter sido feito neste Nacional Feminino da CBB.
3) A Confederação deveria fortalecer os clubes, que no final das contas formariam os garotos que ela, CBB, usará nos seus times de base. Do jeito que ela está pensando, a ordem seria invertida, e todos sairiam perdendo - até ela.
4) Uma coisinha merece ser analisada também. Os meninos da base passariam um ano sem atuar em competições de nível, é isso mesmo? A parte escolar deles também ficaria prejudicada?
5) E por fim: assim como as UPPs no Rio de Janeiro, seleção permanente não resolve o problema do basquete como um todo. Pode ser um começo, mas, por favor, que não se pense nisso como A solução da lavoura.

Esta é apenas a minha opinião, e obviamente respeito as análises dos amigos. O debate é muito válido na caixinha!

43 comentários:

marcelo marques disse...

sou contra seleções permanentes


mais a favor de reunião sempre q possivel para treino,amistosos,clinicas e viagens

mesmo q isso seja nas ferias

marcelo marques disse...

eu estou assistindo o nene hj contra o memphis e nunca vi o nene jogar tão bem qnto agora

parece q ele esta ligado no jogo o tempo todo e não vive de momentos como antes

a dura q ele tomou gerou resultado

Madureira disse...

Concordo com tudo em gênero, número e grau!Principalmente no que tange ao fortalecimento dos clubes formadores e no que se refere a formação escolar dos atletas. Dá pra se formar ótimas seleções, sem prejudicar os clubes e os atletas. Necessitamos é de investimento e supervisão(séria) nas bases e não de uma seleção permanente!

Saudações basqueteiras!

Baralhão disse...

Concordo, e ainda acrescento o velho problema das "panelinhas" dentro do elenco.

Diogo Aquino disse...

Tenho que adimitir que a ideia de deixar os jovens um ano afastados de suas equipes, e de grandes copetições, não em parece o melhor caminho para evolução, não só do basquete individual de cada um, como do nosso basquete como um todo.

O que eu acredito que seria o melhor caminho, é uma estrutura que permita vermos cada vez mais jovens atuando ans grandes competições, como NBB e campeonato paulista.

neste sentido torço mto pelo paulistano este ano que montou uma equipe de garotos, em detrimento de alguins veteranos que passaram por la na ultima temporada.

nosso maior problema é esse, não temos clubes suficientes atuando em alto nivel para utlizarmos os garotos e os veteranos, nesta situação a experiencia qse sempre ganah mais espaço.

Deste modo acho que precisamos criar um sistema que possibilite que os clubes de basquete adiquiram uma saude financeira que possibilite que as inumeras boas equipes que participam do paulistão pro exemplo almejem jogar o NBB, assim como equipes tradicionais e mergentes do RJ (Fluminense, Vasco, Botafogo, Tijuca, Nova Iguaçu e Macaé) tb precisam sair deste plano secundário que se encotnram, e tornar o Camponato carioca um campeonato de alto nível, bem como voltarem ao nacional. O emmso vale para as equipes espalhadas por todo brasil que só não montam times competitivos por falta de $$$.

Sinceramente, acho que ja falei sobre isso por aqui, acho que a estrutura ideal ao basquete nacional seria que a tão falada copa do Brasil, fosse uma competição que limitasse a participação de atletas a partir de certa idade, além disse inclui-se uma grande premiação em dinheio, o que permitiria que as equipes vencedoras se equilibrassem econonicamente e pudessem almejar sua inclusão no NBB.

Imagine se por exemplo o Nova Iguaçu, que é um dos fundadores do NBB e não participou até hj da competição por falta de $$$ tivesse vencido uma competição como esta e colocado uma boa grana no bolso? Contoda certeza ja teria montado um elenco pra participar do NBB, que por sua vez, não pode estar vinculado a um processo de promoção e rebaixamento, pq isso pode significar a morte da equipe rebaixada.

O outro ponto essencial a nossa estrutura, seria a criação de clinicas atraves da cbb para que evolução dos jovens durante td e qualquer espaço no calendário, como férias das competições.

Emfim, a evolução da estrutura do basquete nacional algo por demais complexo, e não será uma unica medida que terá um papel decisivo nesta mudança, mas sim um conjunto de fatores e medidas a serem tomadas.

Diogo Aquino disse...

Tenho que adimitir que a ideia de deixar os jovens um ano afastados de suas equipes, e de grandes copetições, não em parece o melhor caminho para evolução, não só do basquete individual de cada um, como do nosso basquete como um todo.

O que eu acredito que seria o melhor caminho, é uma estrutura que permita vermos cada vez mais jovens atuando ans grandes competições, como NBB e campeonato paulista.

neste sentido torço mto pelo paulistano este ano que montou uma equipe de garotos, em detrimento de alguins veteranos que passaram por la na ultima temporada.

nosso maior problema é esse, não temos clubes suficientes atuando em alto nivel para utlizarmos os garotos e os veteranos, nesta situação a experiencia qse sempre ganah mais espaço.

Deste modo acho que precisamos criar um sistema que possibilite que os clubes de basquete adiquiram uma saude financeira que possibilite que as inumeras boas equipes que participam do paulistão pro exemplo almejem jogar o NBB, assim como equipes tradicionais e mergentes do RJ (Fluminense, Vasco, Botafogo, Tijuca, Nova Iguaçu e Macaé) tb precisam sair deste plano secundário que se encotnram, e tornar o Camponato carioca um campeonato de alto nível, bem como voltarem ao nacional. O emmso vale para as equipes espalhadas por todo brasil que só não montam times competitivos por falta de $$$.

Sinceramente, acho que ja falei sobre isso por aqui, acho que a estrutura ideal ao basquete nacional seria que a tão falada copa do Brasil, fosse uma competição que limitasse a participação de atletas a partir de certa idade, além disse inclui-se uma grande premiação em dinheio, o que permitiria que as equipes vencedoras se equilibrassem econonicamente e pudessem almejar sua inclusão no NBB.

Imagine se por exemplo o Nova Iguaçu, que é um dos fundadores do NBB e não participou até hj da competição por falta de $$$ tivesse vencido uma competição como esta e colocado uma boa grana no bolso? Contoda certeza ja teria montado um elenco pra participar do NBB, que por sua vez, não pode estar vinculado a um processo de promoção e rebaixamento, pq isso pode significar a morte da equipe rebaixada.

O outro ponto essencial a nossa estrutura, seria a criação de clinicas atraves da cbb para que evolução dos jovens durante td e qualquer espaço no calendário, como férias das competições.

Emfim, a evolução da estrutura do basquete nacional algo por demais complexo, e não será uma unica medida que terá um papel decisivo nesta mudança, mas sim um conjunto de fatores e medidas a serem tomadas.

Anônimo disse...

Um absurdo que esta acontecendo com esta história de sel
Permanente.
Um bando de agentes querendo ganhar dinheiro na moleza.
Primeiro Fem e agora com esta historinha de permanente no masculino e com dinheiro publico.
Qual clube formara para estes agentes??
Assim fica fácil,clubes formando a base e afunilando com os melhores na permanente, sem colocar um tostão no negocio.
Bando de vagabundos, vão trabalhar!!!!

Anônimo disse...

Bom post bala!
Incrivel como a Cbb inverte o jogo e sempre faz m.

Vamos pensar, po!
Não é mto dificil
Edu

Anônimo disse...

Vcs perecem que estão em campanha!! Primeiramente não se deve tratar o masculino igual ao feminino. Penso que a cbb deve ter pesado os prós e contras e vai tomar uma decisão coerente. se ambas as seleções treinarem e participarem de competições e amistosos internacionais, será muito interessante pra essa geração. Seria o choque que tanto leio aqui, principalmente pro feminino.

Anônimo disse...

faltou assinar como "membro da cbb", anônimo aqui de cima.

impressionate como as pessoas pensam errado, acham que qualquer migalha da cbb está certa! isso é um absurdo! fazer seleção permanente o ano todo?! faz-me rir, né

cássio

Anônimo disse...

então quem acha que a seleção permanente seria uma boa faz parte da cbb! achei que era uma discussão, mas pelo jeito não eh isso. não sou da cbb, tenho minhas criticas, mas quando vejo uma idéia diferente, principalmente pro feminino, que eh visto em segundo plano, fico feliz. Como o Paulinho conseguiu um bom resultado no Mundial de base? Além disso falam dos clubes que irão perder as atletas... quer dizer que tem só doze jogadoras no Brasil? Vcs não acham que iria dar mais espaço nos clubes a outras meninas? Enquanto as Selecionáveis iriam se preparar muito bem pro mundial. pensem nos dois lados da moeda, por favor!!!!!!!

Anônimo disse...

a questao numero 4 nao deveira estar la, forcou a barra mesmo bala.
nao entender e uma coisa, nao querer entender e outra.

mas debate esta bom, so napo entendo por que quem acha uma boa ideia e logo tachado como gente da cbb.

Anônimo disse...

Qualquer pessoa que não seja RADILCAMENTE CONTRA TUDO QUE A CBB faz é apontada aqui como membro dda CBB.

Impressioanante como as pessoas tem medo de mudar e se agarram a realidade medíocre que possuem.

Se continuarmos fazendo o mesmo que vem sendo feito, o resultado será sempre o mesmo: campanhas pífias em Mundiais e sem classificação para Olimpíadas.

Para finalizar, que tal esperar o projeto ser lançado oficioalmente antes de criticar, também seria bom RELER a entrevista que gerou esse post, pois vários trechos estão sendo completamente ignorados pela "crítica especializada"

Anônimo disse...

Para quem gosta de olhar para trás, o melhor resultado que tivemos em Campeoantos de Base foi fruto do trabalho do Paulo Bassul com uma seleção permanante que gerou um vice-campeonato mundial em 2003.

Que eu saiba, nenhum clube deixou de trabalhar com formação de atletas por ter cedido 2 ou 3 jogadoras para a seleção permanente.

fábio balassiano disse...

Pessoal, vamos pegar leve, ok?

Sobre a seleção do Bassul, conforme coloquei no texto, acho que se trata de uma outra coisa. a seleção dele era sub-21.

as seleções permanentes seriam com atletas entre 15 e 18 anos, de acordo com a matéria.

acho que são coisas diferentes, mas o debate está bom, estou gostando. acho que todos têm o direito de achar o que quiserem, e não vamos carimbar ninguém (se é da CBB ou não), ok?

Abs, Fábio

joao disse...

simples e direto, fabio!
concordo contigo. fiz a mesma comparação da upp hahahahaha

Anônimo disse...

Fica aqui como sugestão conversem um pouco com alguns tecnicos da seleção e aqueles que forem sinceros vão contar que somente tiveram os melhores atletas em alguns casos a menos de um mes dos campeonatos, outra coisa um ledo engano em achar que a seleção vai ter oportunidades de fazer intercambios, uma vez que na maioria das epocas os campeonatos de algumas categorias estarão em pleno andamento o que não permite que a seleção permanente faça intercambios com equipes fortes e outra coisa, após a temporada regular desses campeonatos os atletas entram de ferias, tambem se algum tecnico de seleção tiver peito e vir aqui falar vai nos dizer que muitos atletas de base ja declinaram de convocações para seleção brasileira por causa de ferias.
Isto tudo tem que ser avaliado, para evitar que um projeto, pelo que dizem que foi bom para a Argentina, não quer dizer que venha ser bom para o basquete do Brasil.Espero que haja um amplo debate sobre o assunto e as coisas não sejam efetuadas de cima para baixo sem consultar os maiores responsaveis pela formação de atletas neste país que são os clubes.Sou a favor ao que disse uma pessoa aqui que tenhamos campeonatos fortes a nivel nacional na base para fortalecer la na frente as seleções e não o que vemos equipes tomando de mais de 50 pontos de diferença, até pq o basquete inexiste no país como um todo hoje esta centralizado em uma meia duzia no maximo de estados.

Anônimo disse...

Essa postura de desqualificar tudo que possa trazer argumentos favoráveis ao que você é contra, enfraquece sua crítica, assim como a postura de criticar tudo que é feito pela CBB, mesmo antes de ser feito.

Você deve saber que o trabalho do Bassul com seleção permanente ocorreu ocorreu quando a geraçao era sub-18 e que o resultado apareceu anos depois no Mundial sub-21, agora sendo um trabalho ainda mais abrangente, o resultado pode ser ainda melhor.

Vamos aguardar o lançamento para conhecermos melhor a formatação do projeto, se nada muda, chovem criticas, se algo muda, chovem críticas também, difícil assim.

Anônimo disse...

Rossi, diretor de esportes coletivos do EC Pinheiros (um dos maiores celeiros de jovens atletas do esporte brasileiro, nao so do basquete) ja se manifestou contra essa ideia da seleção permantente. É só conferir no twitter dele.

fábio balassiano disse...

anônimo das 12:05, o trabalho do bassul começou com uma seleção que não era permanente. quando ela virou permanente, as meninas já se preparavam pra sub-21.

foi isso que quis dizer apenas. e eu não precisei ser agressivo para tal.

Abs, Fábio.

Anônimo disse...

Fábio

será que realmente não precisamos antes de dois mundiais (masculino e feminino) tão importante, ja que estes jovens podem ser os atletas da nossa Olimpíada no Brasil?
O custo deve ser muito alto para a cbb se aventurar nesse tipo de projeto.
Imagino que os clubes não só abrirão mão dos atletas, mas dos técnicos também.
Sou uma das pessoas que pensa que a cbb está tentando algo novo. Vamos esperar a divulgação oficial do projeto... se sair.

abraços

Anônimo disse...

Este projeto de Seleção permenente- Contra 100%. 200%
Não tem cabimento tirar oa melhores jogadores de seus clubes pra...treinar. CLUBES FRACOS SELEÇÕES FRACAS.
Quem é lunatico para investir dinheiro pra, a qquer momento, ter sua jovem promessa "convocado" pra uma seleção que vai treinar em segredo, longe de tudo e todos?
Jogadores são formados COMPETINDO e treinando e não ficando isolados no fim do mundo. Jogadores em formação tem que estar sob a pressão da competição, ganhar, perder...recuperar-se dentro da semana, treinar e em 5 dias estar competindo novemente. Se superando.

ESTUDOS - Ao lados dos pais já é bem dificil faze-los dedicarense aos estudos, imagina sob a "supervisão" de treinadores, longe das visitas esporadicas dos pais, cobrança de treinadores (alguns) do desempenho escolar. Nos clubes, onde estão varios jogadores em formação, os diretores tem enormes problemas com alguns que já se acham jogadores..aos 15 anos...
E se não derem certo? Quantos de nós já vimos bons jogadores em categorias de base não chegarem a seguinte categoria, ou nem sequer a um time adulto? Eram super craques no cadete, infanto, etc, e por ai ficaram, onde estes meninos estão hoje? Somente a formação escolar pode abrir outros horizontes e possibilidades de futuro principalmente para a grande maioria, cujas familias são mais humildes. Somente pais sem qualquer compromentimento poderiam concordar com este projeto absurdo.
È o inverso do que o mundo todo faz.
É uma maneira totalmente ao revez de fazer jovens com algum potencial tornarense jogadores no futuro. São 30 garotos...que garantia eles terão que se tornarão jogadores? Alguem acredita que estes 30 garotos em 1 ano estarão na seleção? E os que forem descartados? E os que surgirem...entram? E os que não tiverem uma boa resposta ao treinamento..TCHAU? De 30 jovens isolados só treinando uns contra os outros, todo dia, será que sairá alguem deste grupo? Torneios de 3 dias não é competição, é intercambio. Não precisa tirar jogador nenhum de clube nenhum, é só convocar, dentro de datas rezoaveis ..convocar 12..e os demais ja estariam competindo por um lugar nestas Seleções para estes torneios amistosos.

Seleção permanente não é má ideia, a forma como esta pensado(?) este projeto, sim é.
Reunir os melhores, 1 ou 2 vezes por mes, todo o ano, pra treinar durante finais de semanas, em local proximo, trabalhar em coordenação com as Federações no que se refira a datas, sem prejuizo dos clubes e competições, jogar torneios internacionais, acompanhar as competições em que estes atuam, capacitar os tecnicos dos clubes, FORTALECER OS CLUBES que investem, e cobrar desempenho, estreitar laços, me parece muito mais logico e menos ariscado para todos.
Este projeto tal como esta é uma EXPERIENCIA com ENORME risco de NÂO FUNCIONAR com o perigo de ainda perdermos dois ou tres jovens talentos.
Abç EDUARDO

Anônimo disse...

Este projeto de Seleção permenente- Contra 100%. 200%
Não tem cabimento tirar oa melhores jogadores de seus clubes pra...treinar. CLUBES FRACOS SELEÇÕES FRACAS.
Quem é lunatico para investir dinheiro pra, a qquer momento, ter sua jovem promessa "convocado" pra uma seleção que vai treinar em segredo, longe de tudo e todos?
Jogadores são formados COMPETINDO e treinando e não ficando isolados no fim do mundo. Jogadores em formação tem que estar sob a pressão da competição, ganhar, perder...recuperar-se dentro da semana, treinar e em 5 dias estar competindo novemente. Se superando.

ESTUDOS - Ao lados dos pais já é bem dificil faze-los dedicarense aos estudos, imagina sob a "supervisão" de treinadores, longe das visitas esporadicas dos pais, cobrança de treinadores (alguns) do desempenho escolar. Nos clubes, onde estão varios jogadores em formação, os diretores tem enormes problemas com alguns que já se acham jogadores..aos 15 anos...
E se não derem certo? Quantos de nós já vimos bons jogadores em categorias de base não chegarem a seguinte categoria, ou nem sequer a um time adulto? Eram super craques no cadete, infanto, etc, e por ai ficaram, onde estes meninos estão hoje? Somente a formação escolar pode abrir outros horizontes e possibilidades de futuro principalmente para a grande maioria, cujas familias são mais humildes. Somente pais sem qualquer compromentimento poderiam concordar com este projeto absurdo.
È o inverso do que o mundo todo faz.
É uma maneira totalmente ao revez de fazer jovens com algum potencial tornarense jogadores no futuro. São 30 garotos...que garantia eles terão que se tornarão jogadores? Alguem acredita que estes 30 garotos em 1 ano estarão na seleção? E os que forem descartados? E os que surgirem...entram? E os que não tiverem uma boa resposta ao treinamento..TCHAU? De 30 jovens isolados só treinando uns contra os outros, todo dia, será que sairá alguem deste grupo? Torneios de 3 dias não é competição, é intercambio. Não precisa tirar jogador nenhum de clube nenhum, é só convocar, dentro de datas rezoaveis ..convocar 12..e os demais ja estariam competindo por um lugar nestas Seleções para estes torneios amistosos.

Seleção permanente não é má ideia, a forma como esta pensado(?) este projeto, sim é.
Reunir os melhores, 1 ou 2 vezes por mes, todo o ano, pra treinar durante finais de semanas, em local proximo, trabalhar em coordenação com as Federações no que se refira a datas, sem prejuizo dos clubes e competições, jogar torneios internacionais, acompanhar as competições em que estes atuam, capacitar os tecnicos dos clubes, FORTALECER OS CLUBES que investem, e cobrar desempenho, estreitar laços, me parece muito mais logico e menos ariscado para todos.
Este projeto tal como esta é uma EXPERIENCIA com ENORME risco de NÂO FUNCIONAR com o perigo de ainda perdermos dois ou tres jovens talentos.
Abç EDUARDO

Anônimo disse...

Pergunte ao senhor Rossi entao o que aconteceu com o atleta Lucas da sub 15 brasileira que nao se apresentou para jogar contra o paulistano em SP. Isso sim e muito legal. O atleta nao vai para a seleçao para poder jogar esse Classico importantissimo para o futuro do atleta.

Anônimo disse...

Segundo matéria publicada em 06/10/2010 no site UOL, a seleção feminina permanente foi formada em 2001, já o Mundial sub-21 foi disputado em 2003. Será que o jornalista do UOL se confundiu?


[ O projeto de uma seleção permanente de base já foi implementado em administração anterior da CBB. Em 2001, sob o comando de Paulo Bassul, o time batizado de ‘Brasil Juvenil’ participou do Campeonato Nacional Adulto. Venceu apenas três dos 14 jogos que disputou e terminou o torneio na última colocação.

O resultado dentro da competição, porém, foi o que menos importou. A experiência revelou boa parte das jogadoras que formaram a seleção brasileira que foi ao Mundial da República Tcheca neste ano. Sílvia, Karen, Fernanda Beling, além da pivô Érika, que atua na WNBA, foram reveladas pelo ‘Brasil Juvenil’.

O projeto ainda resultou no vice-campeonato mundial sub-21 em 2003. As brasileiras foram superadas na decisão pelos Estados Unidos, que haviam sido derrotados pelo time verde-amarelo na fase classificatória. No time norte-americano, nomes como Seimone Augustus, Cappie Pondexter e Alana Beard, que viriam a brilhar na seleção principal e na WNBA nos anos seguintes.

“Aquelas jogadoras amadureceram bastante com aquela experiência. Foi um projeto que revelou boas jogadoras. Sempre brigamos por uma seleção permanente jovem, mas nunca viabilizaram isso por muito tempo. Alegaram custos muito altos, falta de recursos. Mas é um caminho bom a ser seguido, ainda mais com o aumento de recursos do esporte”, afirmou Bassul.]




http://esporte.uol.com.br/basquete/ultimas-noticias/2010/10/06/brasil-tera-selecao-juvenil-permanente-para-reparar-falta-de-material-humano.jhtm

Anônimo disse...

FABINHO

SÓ PARA ESCLARECER, A QUESTÃO DO TIME BRASIL JUVENIL.
ESTA SELEÇÃO SUB 19,TREINOU E CONCENTROU NO MARANHÃO.
ELA DISPUTOU O CAMPEONATO SUB 19,NA REPUBLICA TCHECA E TERMINOU EM SÉTIMO LUGAR,ISTO EM 2001.
EM 2002,ESTA SELEÇÃO DISPUTOU A COPA AMÉRICA, EM RIBEIRÃO PRETO,E TERMINOU EM SEGUNDO LUGAR,A ÉRICA E A IZIANE NÃO JOGARAM,JÁ ESTAVAM NA WNBA.EM 2003,NOVAMENTE COM O BASSUL,EM 2002,FOI O BARBOSA,AI SIM FOI O VICE CAMPEONATO MUNDIAL,E NÃO TEVE SELEÇÃO PERMANENTE!

Anônimo disse...

Falam tanto do trabalho de base do volei, pesquisem como funciona o trabalho realizado em Saquarema. As seleções de Volei chegam a ficar quase 4 meses em preparação pra campeonatos mundiais. tenho um amigo que foi campeão mundial juvenil, perdeu quase cinco meses de aula, isolado em saquarema... Terminou o ensino médio e foi campeão mundial apenas. Sei que estamos falando de basquete com todas as particularidades da modalidade, mas podemos avançar sim e aumentar a preparação desses atletas.

Anônimo disse...

Caro Bala, já manifestei minha incredulidade em vislumbrar "as seleções permanentes" como solução pro basket feminino. Não tem jeito e nem justificativa! A não ser pra aquelas pessoas que entendem que os resultados das seleções configurem a realidade da modalidade! Em síntese, a prioridade devem ser os clubes, mas isto não dá "Ibope"...Se o resultado das seleções for ruim é pq não há técnicos e nem trab alho de base em clubes, cidades e Fundações capacitados! Se por acaso os resultados forem positivos é o pq o trab. na seleção encontrou a formula mágica. Meus Deus, que esses dirigentes coloquem os pés no chão e se submetam ao trabalho sem buscar os resultados imediatos! Dêem oportunidade as jovens e promissoras jogadoras! Aceitem a derrota no sentido de construir algo durável e uma política esportiva duradoura !

Anônimo disse...

Meu... quanto palpite óbvio!!! Eh lógico que precisamos fortalecer os clubes, fundações, etc; mas a questão não eh essa!!!!
Não saiam da questão.

Anônimo disse...

Soube que os garotos desta seleção permanente terão salarios de mais de R$3.000,00.....sim meus amigos, TRES MIL REAIS...
Alguem pode imaginar o impacto de um dinheiro destes no dia a dia de um garoto? Que mensagens estamos mandando a este garoto?
E qdo a maioria deles for cortada...onde eles vão ganhar isso? Numa cabeça de 15 - 16 anos tres mil reais é uma fortuna.
Certamente algumas familias não ganham isso, e será uma solução de curtissimo prazo e nefasta a medio e longo.
O tiro poderá sair pela culatra.
Gostaria de ouvir a opinião de algum psicologo do esporte a respeito.

Anônimo disse...

É impressionante como as coisas boas são vistas como tragédias, R$ 3.000,00 não é nada perto dos contratos milionários que são fechados com jovens promessas de outras modalidades, alguns perdem a cabeça e nem por isso os contratos deixam de ser milionários. Nesse caso, os R$ 3.000,00 serão muito bem vindo pela familia dos atletas e só aumentará o empenho de todos os envolvidos no projeto.

Anônimo disse...

Aff.. Que galera especialista em achar pêlo em ovo!

Guilherme disse...

Também discordo da ideia da CBB. O que deve ser feito é capacitar os treinadores que trabalham pelo Brasil a fora. Uma sugestão, nesse sentido: Já que o Magnano está viajando por praticamente todas as regiões, porque não realizar clínicas durante a passagem dele por esses locais? E seminários com os treinadores presentes nas competições?
Aumentar o intercâmbio entre os atletas e treinadores das categorias de base. As Federações do Sul, por exemplo tomaram uma bela iniciativa, criando em 2010 o Campeonato Sul-Brasileiro de clubes Sub-15 e Sub-17. Porquê não espalhar essa ideia pelo país, criando as competições regionais de clubes e uma Copa Brasil a exemplo do que acontece com o adulto.
Em um país do tamanho do Brasil, a formação deve seguir um modelo descentralizado.

Sergio 2 due disse...

ja em 2005 los meninos de 15/16anos del volei que jogavam no Banespa levavam 4000 reais de ajuda de custo e moravam no clube.
Mastercard era o patrocinador..por essa razão no praticavam basquete..o volei era muito mas divertido..ehehee

Anônimo disse...

Uau!!!
Eureka!!! Se escuta dentro da CBB em uma sala de reuniao.
Nela se encontram os novos cientistas da CBB.
Acharam a formula do sucesso para formacao de atletas de base no mundo.
Gritam:" nao existe no mundo nada igual!!!!"
Na sala de reinao devidamente reformada pelo Sr Brunoro,estavam os " novos " Neto, Gustavo,Vandelei, e acharam a solucao....
Uma Sel permanente, como se em um passe de magica todos os problemas da formacao estao resolvidos.
Ai, fico pensando: Como sou burro, como nao pensei nisso antes????

Anônimo disse...

Falam tanto do vôlei como referência para o basquete, então procurem saber como é o trabalho nas seleções de base e vejam se não é bem semelhante ao que a CBB vai começar a fazer no ano que vem...

Anônimo disse...

Do site da CBB:

O técnico da seleção brasileira adulta masculina, Rubén Magnano, está em Poços de Caldas (MG), desde ontem (3) até domingo (5), para assistir a fase final do Campeonato Estadual de Basquete Integrado de Base 2010, que está sendo realizado nos ginásios do Sesc e Moleque César na Cascatinha, da cidade mineira.

Depois de Minas Gerais, Magnano segue observando a nova geração brasileira de basquete que está disputando as Olimpíadas Escolares, em Goiânia (GO). O comandante brasileiro também fará uma palestra técnica aberta ao público participante do evento, na terça-feira (7), na Universidade Salgado de Oliveira – Universo, às 19h30.



É ISSO QUE VOCÊS ACHAM UM DESASTRE PARA O BASQUETE BRASILEIRO?!?

UM TREINADOR CAMPEÃO OLÍMPICO OBSERVANDO DE PERTO O TRABALHO DE BASE E PROCURANDO NOVOS TALENTOS NOS CONFINS DO BRASIL E TRANSMITINDO CONHECIMENTO A QUEM GERALMENTE FICAVA ISOLADO?!?

Anônimo disse...

Dizem que o RM foi visto dançando bolero e dando risadas.
Kkkkkk, brasileiros sao bobos mesmo.

Anônimo disse...

Ao anônimo das 10:00
A unica semelhança entre a CBV e a CBB é a arrogância.

Nem a CBV que teria tudo para fazer este absurdo com os clubes e a modalidade faz uma Sel Permanente!!!

Vai nossos gênios criativos do Basquete e conseguem este absurdo.

Quando achamos que chegamos no buraco,a CBB consegue cavar mais ainda.

CBB!!!
Fiquem quietos, vão viajar, vão sr divertir, esquece o basquete.
Deixe que os clubes tomem conta de tudo como foi feito com a liga.

Não atrapalhem!!!!

Anônimo disse...

Todos sabem que a única saída para o basquete masculino e feminino é investir pesado na base e na formação de novos talentos.

É isso que a CBB está se propondo a a fazer, portanto eles estão no caminho certo, se o projeto vai ser bem sucedido ou não só o tempo dirá, mas uma coisa é certa, o modelo que foi adotado nos levou ao buraco que estamos hoje, se não mudarmos, continuaremos no buraco.

Anônimo disse...

Anonimo das 15:28
Vc deve ser da CBB, deve ser um dos cientistas, ou deve ser um dos agentes.
No MUNDO nao existe esta loucura, entendeu!!!!!!

Como voce vive outra realidade, me diga qual clube recebera um garoto de Alagoas com 15 anos com 2,09 e se propoe a dar estudo, assist medica, treinamento,orientacao nutricional, psicologica, para depois de tudo pronto a CBB coloca-lo na permanente, e seua agentes vende-los para Europa ou Universidades americanas????
Esta funcao clubes fazem, e ha anos!!! A troco do que???
Meu amigo da CBB, nao 'e o Rubens Magano que deveria estar viajando, sao as Federacoes estaduias FISCALIZADAS pela CBB que deveriam estar cuidando deste garoto de Alagoas.
Alem do mais, quem disse que o Andre, Gustavo,Neto sao melhores que muitos tecnicos que realmente formam e cuidam da base...
Estes em questao sao gigolos dos verdadeiros tecnicos que formam pelo Brasil a fora.

Acho projeto pobre, sem visao, e que deixara os clubes em uma situacao de desistencia de formar.

O modelo adotado nao existe, o que existe sao clubes que salvarao a modalidade por conta de uma ma gestao, inoperancia da CBB.

Para quem entende de formacao, este projto soa como um tapa na cara dos clubes.

Vcs da CBB, deveriam acordar mais cedo e TRABALHAR pela modalidade, e nao enganar o COB, Ministerio do Esporte com essas ideias mirabolantes que acabaram com a formacao de jogadores no Brasil.

Vao trabblhar, bando de GIGOLOS.

Anônimo disse...

Vcs acham mesmo, que o Magnano, está preocupado com o basquete brasileiro??????

Anônimo disse...

Estaca lendo o Terra, quando nao acreditei no que li!!!
O R M e a CBB estao em sintonia????

Quem estara mentindo?

"Terra: Qual a diferença entre o Brasil e a Argentina neste processo de formação de jogadores?
Rubén Magnano: A estrutura da Argentina está muito bem conceituada por algo que o Brasil tem que ter novamente, porque já teve: que é o nome do clube. Os times na Argentina têm muito nome e por isso lá estão sempre surgindo novos talentos. Como falei anteriormente, 90%do trabalho na base é dos clubes e não das confederações.