terça-feira, 6 de julho de 2010

Muito Prazer, Lucas "Bebê"

Lucas “Bebê” não pensava em outra coisa que não o futebol no começo da adolescência. Convidado pelo amigo Cleverton, o gigante, então com mais de 2m de altura, foi treinar no Central (clube de Niterói) com aos 14 anos e não parou mais. Em pouco tempo conquistou títulos pela agremiação, foi convocado para as seleções de base e se transferiu para o Estudiantes, da Espanha. Na última semana, porém, Bebê alçou um vôo incrível: foi o principal responsável pela campanha do Brasil no vice-campeonato da Copa América em San Antonio - ao técnico Walter Roese, aliás, só elogios: "ele meu deu muitos conselhos, mas pegou muito no meu pé também (risos). Com médias de 15,4 pontos, dez rebotes e 5,4 tocos, o jogador de 2,13m impressionou tanto que saiu do Texas direto para o Centro de Treinamento de Lagardere Unlimited (Los Angeles), onde treina atualmente. Da Califórnia, a grande revelação do basquete brasileiro conversou com seção “Muito Prazer”, do Bala na Cesta.

BALA NA CESTA: Em primeiro lugar, queria que você nos contasse como foi a Copa América de maneira geral, e a partida contra os EUA em particular. Vocês esperavam tanto sucesso?
LUCAS BEBÊ: Eu realmente entrei muito focado naquela decisão, mas acima de tudo só consegui aquele sucesso todo de um modo mais amplo graças ao apoio de toda a equipe. Nós éramos mais do que um grupo - formamos uma família. Conforme a equipe foi crescendo na competição, fui ganhando confiança e crescendo junto com ela.

-- Você foi eleito para a seleção ideal do campeonato, e ganhou, além da medalha de prata, um punhado de elogios. Muita gente diz, até, que o Draft de 2011 já terá você na lista. Como isso bate na cabeça de um menino que não tem 18 anos? Está sendo tudo muito rápido? Algum elogio, ou encontro com o Dwight Howard por exemplo, te chamou a atenção?
-- Sempre sonhei em jogar na NBA e as coisas estão acontecendo muito rapidamente, sim. Tenho que me preparar bastante e já comecei um trabalho aqui nos EUA e vou continuar trabalhando na próxima temporada na Espanha pensando nisso. Quanto ao Dwight (os dois na foto à esquerda), ele é um cara muito simpático e me deu muitos conselhos - vou procurar segui-los sempre. Outro elogio que me deixou muito contente foi o do mestre Wlamir Marques. Eu e minha família ficamos muito emocionados ao ler o que ele escreveu. Não vi o Wlamir jogar, mas sei que se trata de uma lenda do basquete brasileiro.

-- Você fez parte de um projeto de basquete muito bom aqui no Rio de Janeiro, o Central. Como foi este começo, e como tem sido a sua rotina no Estudiantes, clube espanhol para o qual você se transferiu?
-- Devo muito ao Central, ao Rodrigo Kanbach (técnico), e aos treinadores com quem trabalhei lá. O clube sempre fez um excelente trabalho na base e revelou muitos jogadores, como o Fred Duarte (Torrejon, da Espanha), Yan (Flamengo), Douglas (Palmeiras) e outros. Por isso a minha transição para a Espanha foi tranquila. O Estudiante é um excelente clube, e o trabalho tem sido bom. Na última temporada treinava e jogava com a equipe de Juniors, tinha um treinamento específico de pivô com Juan Antonio Orenga (treinador da seleção sub-19 espanhola), e às vezes treinava e jogava na Liga EBA. O ritmo é muito puxado, mas foi bom pra mim.

-- Muita gente se impressionou com você, mas é óbvio que seu jogo ainda precisa de ajustes. No que você acha que precisa evoluir para se tornar um atleta ainda mais completo?
-- Aprendi aqui no CT da Lagardere que todo jogador, mesmo os NBA, precisam evoluir sempre. Acho que tenho muito o que aprender ainda, e por isso tenho conversado muito com o Jerry (que foi o treinador do Nenê). Ele tem me ensinado muitas coisas, principalmente no setor ofensivo. Ele me pede para aprimorar recursos como gancho e arremessos de curta distância, entre outras coisas.

-- Por fim, uma pergunta: como você imagina que sejam os próximos passos na carreira? Em uma, duas temporadas, onde quer estar? NBA é um caminho muito longo, ou já faz parte dos seus sonhos?
-- Claro que a NBA faz parte dos meus sonhos, mas quero viver o momento atual e aproveitar o tempo para trabalhar cada vez mais. Não sei como ou quando vai ser (entrar na NBA), então eu só quero trabalhar e me dedicar para alcançar os meus sonhos.

BATE-BOLA
Uma palavra que amo: Família
Uma palavra que odeio: Falsidade
Minha maior virtude dentro de quadra: Defesa
Um ponto que tenho que melhorar em quadra: Jogar de costas para a cesta
Uma qualidade fora da quadra: Amigo fiel
Um defeito: Falar sempre o que penso, pois isso nem sempre é bom, e as vezes magoa as pessoas.
Uma mania: Puxar o calção durante os jogo
Um sonho: Jogar na NBA
Uma cidade: Los Angeles
Um ídolo: Kobe Bryant
Um lugar: Fernando de Noronha
Uma comida: Strogonoff
Um livro: Bíblia
Um filme: Fique rico ou morra tentando
Uma música: Além do meu querer (Arlindo Cruz)
Um(a) amigo(a): Tenho vários, mas vou citar o meu irmão.
Uma bola que chutei e caiu: No jogo Minas contra Rio no Brasileiro sub-17 de 2008, quando o Rodriguinho que jogava no Fluminense arremessou a bola, ela saiu errada e eu pulei da linha pontilhada depois do lance livre e consegui cravar a bola.
Uma bola que chutei e não caiu: Lance-livre contra os EUA na final.
Um momento triste: A morte do Antonio, um ex-técnico meu de futebol quando era criança.
Um momento feliz: Tive muito momentos felizes nessa fase atual depois da Copa América.
Um técnico: Rodrigo Kanbach (Central)
Uma frase: Talento ganha jogos, mas trabalho em equipe ganha campeonato.

33 comentários:

Jônathas disse...

mantenha essa cabeça e vc vai longe, moleque!

Gustavo disse...

mlk é fera....quero ver ele na nba o mais rapido possivel, nada de ficar um tempão na europa como o splitter

Anônimo disse...

Baita entrevista, Fábio!

PAULO BASSUL disse...

Fábio, é a primeira vez que invado um pouquinho seu espaço, mas é por uma boa causa!
Esse rapaz tem grande talento e nota-se em vários pontos da entrevista que tem bons valores - é aquele tipo de pessoa que a gente torce para dar certo (como é o caso do Thiago Splitter) porque vai fazer um bem danado para a modalidade.
Muito bacana ver alguém dessa idade e que acaba de ser destaque numa competição internacional escolher a frase que ele citou!
Quero aproveitar para parabenizar todos os atletas que fizeram parte da equipe e também toda a CT pelo resultado e pelo trabalho realizado.

Anônimo disse...

Gosrtaria de ver por aqui também outros atletas dessa seleção, para que possamos saber um pouco mais da vida desses meninos e acompanhá-los mais de perto.


Jack

Anônimo disse...

Muito boa a entrevista Bala, tá de parabéns. Além de bom jogador o garoto demonstra uma riqueza de personalidade muito grande.

Agora, eu queria saber se os apelidos nos nossos pivós foram dadas pela mesma pessoa, parece até que foi combinado. Bebê, Nenê, Baby ...

Heverton Elias

fábio balassiano disse...

fala, jack, beleza?
em breve teremos mais rapazes da nova geração por aqui. pode aguardar.

abs, fábio

Lucas disse...

Esse parece q vai longe!
Tem pinta de jogador da NBA! Mas ainda é cedo pra ele. Mais 2 ou 3 anos na Espanha farão muito bem à ele. Ainda precisa melhorar alguns aspectos e ganhar mais corpo. Ainda está meio "magrinho"...
vlw

fábio balassiano disse...

Olá, Heverton Elias, beleza?
acho que não foram dados, não, mas é uma baita coincidência, né?

abs, fábio

fábio balassiano disse...

lucas, ele é magro mesmo, mas está malhando pesado.
nada que uma academia boa não resolva.
e você sabe que nos eua eles são mestres nisso, né?
lembre-se que ele já é mais alto que o dwight howard, o melhor pivô da nba...

abs, fábio

fábio balassiano disse...

fala, lucas. o lucas está malhando pesado. em breve ele vai "crescer".

abs, fábio

fábio balassiano disse...

olá, Heverton Elias, beleza? acho que é mera coincidência mesmo. mas é engraçado, não?
sobre o lucas, ele tem cabeça boa mesmo!

abs, fábio

fábio balassiano disse...

Jack, em breve teremos outros rapazes desta nova geração por aqui.

abs, fábio

fábio balassiano disse...

obrigado, anônimo das 07:30.
fábio

fábio balassiano disse...

fala, bassul, obrigado pelo comentário aqui.
concordo com você. o bebê tem cabeça no lugar. tomara que ele continue assim!

abs, fábio

Anônimo disse...

Parabéns pelo sucesso e que venha muito mais pela frente... BEBÊ tem uma história de vida muito interessante e um carisma digno de um ídolo... ele é tão ou até mesmo mais carismático que o VAREJÃO...

fábio balassiano disse...

galera que comentou acima, tentei responder, mas o blogger não gravou aqui...

abs, fábio

fábio balassiano disse...

jack, vou entrevistar outros. é só aguardar.

bassul, obrigado pela força e pelo comentário. o bebê é ótimo

heverton, valeu pela força de sempre.

lucas, o bebê precisa malhar mesmo, e ele vai crescer fisicamente, pode apostar.

anônimo, obrigado pelo elogio.

abs, fábio

marcelo marques disse...

boa entrevista bala

o mlk vai longe

fábio balassiano disse...

valeu, marcelo!
tomara que ele vá mesmo
o bebê merece

abs, fábio

Anônimo disse...

Bala, porque tirou a entrevista da Tassia e da Damiris do blog?

Anônimo disse...

No basquete ninguém brilha sozinho, mesmo quando você faz metade dos pontos da sua equipe e ganha título de MVP e o restante da equipe vai mal no campeonato, SEMPRE os atletas precisam falar e enaltecer primeiramente o grupo. Conjugar as ações e as conquistas sempre utilizando NÓS e nunca EU...

fábio balassiano disse...

longa história, anônimo.
um dia eu revelo.

abs, fábio.

Tuca disse...

Bebê
A AVBN sempre confiou em você e tenho certeza que Niterói está orgulhosa.
Continue sempre assim, e nunca esqueça da gente.
José Vinagre
presidente da AVBN

Fábio Carvalho disse...

Boa, Bala!
Legal que ele já esteja trabalhando nos EUA.
Esse ano ele já deve jogar pelo time principal do Estudiantes? Seria legal ver ele atuando na ACB. Abração!

fábio balassiano disse...

xará, a princípio ele continua lá sim.
a não ser que o phil jackson leve ele direto pro lakers...
ahahah
brincadeira

abs, fábio

Renon Junior disse...

Legal, parabéns pela entrevista. Eu sou fã do Rafael Bebê (muda esse nome) desde a primeira vez que o vi no Globo Esporte, quando tinha acabado de ser contratado pra ir pra Espanha.
Esse vai longe, já tomando o caminho do sucesso. Muito legal essa foto ao lado do D-12.
Bala, teu blog tá favoritado no meu.
http://renonjunior.blogspot.com/

Abs,

fábio balassiano disse...

valeu, renan.
pelo elogio, e pelo favorito no seu blog.

abs, fábio

Ricardo disse...

Parabens pela entrevista!

fábio balassiano disse...

valeu, ricardo.
o bebê é que merece os parabéns!

abs, fábio

Anônimo disse...

Só corrigindo Renon, é LUCAS Bebê; RAFAEL Bebê deve ser o Baby, haha. De boa, só pra não dar zica como deu pro Araújo.
Abração!

José Francisco disse...

Acompanhamos o inicio da carreira do Bebe, ficamos felizes qdo foi para Espanha. Lembro que sempre que vinha ate nossa casa, qdo chamava no portão, sabiamos que era ele por ficava o tempo todo batendo a sua bola de basquete no chão da calçada, nunca se desgrudava daquela bola. E muito bom ve-lo agora colhendo os frutos de sua força de vontade e garra. Qdo vier a Sao gonçalo,lembre-se de fazer uma visita ao Kleyton na Trindade......

Anônimo disse...

Lucas, você já demonstrou que é um guri de personalidade. Tem um talento que não é muito comum por estas bandas. Continue sempre com essa humildade, deixe Deus te guiar, Ele conhece o seu destino.
Bala, parabéns pela entrevista.
JJJ-PR