quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Eu tenho um sonho

Voltando para casa ontem (vocês já devem ter reparado que o metrô é quase sempre a fonte das minhas ideias, né) feliz com a homenagem que a CBB prestou aos medalhistas de 1960, pensei em como seria interessante se houvesse um constante calendário de datas comemorativas da modalidade (os 75 anos de Amaury Pasos, comemorados no último 11 de dezembro, passaram em branco, por exemplo).

Depois de tropeçar em uma senhora, tive uma outra ideia: por que não a criação de um museu do basquete? E digo isso por uma razão muito, muito simples: tudo o que não falta no basquete brasileiro é memória (são títulos mundiais, quatro medalhas olímpicas e não sei quantos ídolos ainda vivos no país), e esta seria uma excelente oportunidade de, cativando o passado da modalidade, popularizar o esporte entre os jovens do país no presente para tratar, desde já, da sustentabilidade do negócio no futuro não tão distante.

Devaneando ainda mais, imaginei um Hall da Fama com Wlamir, Paula, Hortência, Oscar, Amaury, Marcel, entre outros, debates sendo realizados nos finais de semana e uma premiação ao final das temporadas. Cheguei em casa e pensei: será um sonho completo, ou a ideia é viável? Diga aí, amigo leitor, na caixinha!

11 comentários:

Chizu disse...

Bala, eu fiquei foi surpreso em saber que até hoje a CBB não tem um museu contando a história do nosso basquete. Inacreditável!

Anônimo disse...

Bala,

Já havia discutido com o Bert isso anteriormente. Acho que deveriam aproveitar a construção do Centro de Treinamento de Jundiaí para a construção desse Museu do Basquete, onde poderia ser incluído um Hall da Fama, acervo fotográfico e de vídeos, filmes que contam história de grandes atletas, técnicos e episódios...enfim....bom para o resgate de um basquete que nos trouxe grabnde orgulho em tempos atrás.

Anônimo disse...

Fabio,
IDEIA ESPETACULAR !!!!
E nescessaria. Se faria justiça a muitos e de quebra daria uma grande autoestima aos que fizeram e fazem parte da História do Basket no Brasil.
Um local onde se comemoraria as datas e eventos oficiais do Basket Brasileiro, uma especie de "Hall da Fama"...

Vou passar a andar de metro qui em Sampa......KKKK

Abç
Eduardo

Anônimo disse...

Já devgeria existir a muito tempo.
Boa idéia Bala.

Giam #10 disse...

Bala você tinha que ser o Presidente da CBB :D

Anônimo disse...

Bala,
isso seria uma prioridade na sua opiniao?
abraços

fábio balassiano disse...

boa pergunta, anônimo.
diria que não, se formos pensar em centro de treinamento, capacitação de técnicos, atenção à base etc.

mas acho que a ideia pode ser tocada, sim, ao mesmo tempo!

Abs, Fábio

Anônimo disse...

A idéia é otima e necessaria, mas diferente do centro de treinamento que é melhor não estar em grandes cidades, o museu deve estar em uma grande cidade, pra poder ser visitado por muitos e fazer parte do pacote turistico.

Um museu precisa ser parte do turismo.

Abs

Alexandre Reis

sebas1606 disse...

e ai,sou do blog central do basquete e tava afim de fazer uma parceria com o blog de vcs,topam?

http://central-do-basquete.blogspot.com/

Adriano disse...

infelizmente, no momento é um sonho total, pq ninguém parece disposto a investir nisso, mas seria realmente sensacional. Acho que devíamos mesmo ter um Salão da Fama do basquete nacional.

Agora, quanto ao metrô... Com as 300 mil paradas entre o trampo e Ipanema, impossível não sair com algumas ideias de lá... mesmo tendo que viajar de pé, encolhido no meio de um monte de gente feia e suada! huahuahuahuahuahua

Diogo Aquino disse...

Salve Bala!

essa idéia de museu/ hall da fama, esta sempre frequentando meus pensamento, e ao contrário de você eu aco que é prioridade sim.

O basquete brasileiro hoje anda tão sucateado, porque a identidade se perdeu.

hj o basquete é o 5º ou 6º esporte na preferencia nacional (segundo uma pesqueisa publicada no diario Lance, no ano passado).

Sendo assim, todas as ações que tem um certo efeito de promoção da modalidade são emergenciais.

Não adianta, vc trazer jogadores de seleção brasileira, argentina, dominicana e etc... pra jogar no NBB, se ninguem vÊ, se ninguem liga.

Não dá pra imaginar um brasil de volta ao topo do basquete mundial sem que as pessoas saibam quem é o campeão nacional de basquete, sem qeu as pessoas saibam quem foi Wlamir Marques, Amaury Passos, Ubiratan e etc...

Td dia vemos nos jornais e sites reportagens com: Pele, Maradona, P.C.Caju, Zidane, Romário, Bebeto, Platini, Zico, Zagallo, Socrates e milhões de outros ex-jogadores de futebol, mantendo a memória viva, a identificaçãod o torcedor, com seu ídolo.

E no basquete? qntas vezes vc ve uma reportagem com Amaury Passos?

Por fim, a princípio eu n sei bem se o ideal e termos um museu/hall da fama em uma cidade como o Rio por exemplo, pq talvrz nãos eja uma grande atração, diante da absurda variedade de atrações turisticas e entreterimentos em geral.

Mas uma cidade como Franca por exemplo, me parece algo que pode até passar a se tornar uma atração turistica para todos os basqueteiros do pais.