sábado, 30 de abril de 2011

Entrevista: Carlos Nunes

Através da nova assessoria de imprensa da CBB (a Approach), consegui, por email, uma entrevista com o presidente Carlos Nunes a respeito do balanço financeiro da Confederação. Leia abaixo.

BALA NA CESTA: Há um empréstimo no valor de R$ 4.284.500,00 em 2010 (para uma entidade que tem um orçamento R$ 17,6 milhões é impressionante, não?). Como explicá-lo?
CALROS NUNES: A CBB decidiu tomar um empréstimo nesse valor para acelerar seu poder de investimento/crescimento, o que estava previsto no planejamento orçamentário da entidade. A CBB entende que não há problema algum em utilizar linhas de crédito, uma vez que a situação econômica está estável e as taxas de juros estavam favoráveis, desde que haja quitação total deste débito no fim de 2012. Salientamos que, como é perfeitamente evidenciado no balanço que foi publicado, a verba proveniente de órgãos públicos em nenhum momento é usada para o pagamento se quer dos juros destes empréstimos. Vale ressaltar que para uma Confederação do tamanho da CBB, com representação em todo o Brasil, o orçamento necessário para a realização de um trabalho efetivo deve girar em torno de R$ 25 milhões. Quando assumimos em 2009 nosso orçamento estava próximo de R$ 11 milhões.

-- Dá para explicar, também, como, mais uma vez, a CBB termina o ano com déficit (de quase 2,4 milhões - em 2009 já havia sido de R$ 1,3 milhões)?
-- Desde que assumimos tivemos que sanar várias pendências da gestão passada. Por exemplo, só para a Eletrobrás devolvemos mais de R$ 500 mil reais, referentes a problemas com os contratos de 2008. Saneamos e equacionamos completamente o passivo que assumimos (mais de R$ 2 milhões). Sempre foi nosso objetivo deixar a CBB completamente livre de pendências judiciais. Outro ponto importante a ser ressaltado foi a reestruturação e modernização das instalações da Confederação. Hoje a CBB possui uma sede moderna e equipada para oferecer as melhores condições de trabalho para seus colaboradores e atender às demandas de um país continental como o Brasil. Quando assumimos a situação era realmente muito precária. Toda esta mudança foi concluída em 2010.E terminou 2010 em déficit também devido a decisão administrativa de manter o crescimento, adiantando, assim, os resultados esperados. Ressaltamos que por iniciativa da própria gestão atual da CBB foi alterado o estatuto da entidade, de maneira que ficou proibido a CBB de fechar o ano eletivo com o caixa no vermelho. Este modelo de responsabilidade fiscal esportiva foi proposto por nosso jurídico e implantado por nós. Os pontos ressaltados aqui demonstram perfeitamente o porquê da decisão de recorrer ao sistema financeiro. Conseguimos equacionar os passivos, investir em infra estrutura e manter o nível de atividades, preservando a verba de nosso maior patrocínio apenas para o fim a que ele se destina, a prática do basquete.

-- Onde está o custo da empresa de marketing da entidade? Quanto a Brunoro Spors Business (BSB) custa por ano à CBB??
-- A CBB tem um contrato com a BSB onde a remuneração prevista está baseada em êxito - não existe uma remuneração fixa. A empresa recebe uma porcentagem das receitas trazidas para a CBB. Se hoje estamos trabalhando com um orçamento previsto de R$ 24 milhões a BSB tem grande responsabilidade por isso. Aproximação com o Bradesco, contrato com a NIKE, renovação com a Globo em bases muito melhores, trabalho junto ao Ministério dos Esportes, por exemplo, todos são frutos desta parceria. Isso sem falar que também contamos com a inestimável experiência do Brunoro na gestão da entidade e junto ao corpo técnico, que com André, Vanderlei, Hortência, Magnano e demais integrantes do Depto. Técnico nos levaram aos melhores resultados na base dos últimos anos. Estamos muito satisfeitos com o resultado alcançado até o momento com esta parceria.

-- Como explicar que uma entidade com problemas orçamentários tenha aumentado o seu custo com pessoal de R$ 1,1 para R$ 1,7 milhão (55% de crescimento de uma empresa que, repito, não dá lucro há dois anos)?
-- Enfatizamos que o objetivo da entidade não é lucrar com a gestão do esporte. Isto posto, o aumento de gastos com pessoal se dá em função do crescimento no quadro de funcionários de 16 para 28 pessoas, isso dentro da Confederação, além das equipes de trabalho junto as Seleções, que são comissões muito mais completas e estão trabalhando muito mais dias por ano. Não há como aumentar o trabalho realizado, sem aumentar o quadro e a qualidade das pessoas que estão trabalhando, de 2009 a 2011 já aumentos em mais de 100% as atividades realizadas. Para citar apenas alguns números no aumento das atividades ligadas as seleções: Seleções em atividade: de 7 (2010) para 12 (2011); Participação em competições oficiais: de 8 (2010) para 12 (2011); Dias de treino de 565 (2010) para 1192 (2011); e Número de jogos amistosos: de 48 (2010) para 88 (2011). Lembrando que de 2009 para 2010 já houve um grande aumento nas atividades realizadas, que trouxeram como resultado a classificação do Brasil para todas as competições internacionais possíveis. Fazia muito tempo que isto não ocorria.

-- Não houve cota de televisão em 2010? Todos os jogos exibidos pela TV foram de graça? É isso mesmo? E as partidas amistosas das seleções brasileiras? Foram sem custo?
-- Exatamente. Trabalhamos o ano de 2010 sem cotas de TV. O contrato do masculino foi passado para a Liga na gestão anterior, o feminino era de dois anos e teve sua última parcela paga ainda em 2009. Ressaltamos que em 2010, foi assinado um novo contrato com a TV Globo, que vai até 2016, este sim muito mais vantajoso para a CBB. Os eventos masculinos de 2010, que foram transmitidos foram contemplados neste novo contrato que iniciou em 2011.

-- Quais seriam os custos financeiros da entidade, que saltaram de R$ 29 mil em 2009 para mais de R$ 830 mil em 2010?
-- A partir do momento que decidimos preservar as verbas públicas destinadas ao esporte e manter os investimentos buscando acelerar os resultados, o crescimento da modalidade e melhorar a estrutura oferecida a todos os colaboradores e comissões técnicas, uma maior utilização do sistema financeiro é uma decisão administrativa perfeitamente normal. Estes custos sempre estiveram dentro do planejamento, estamos pagando por um serviço. Ressaltamos mais uma vez que nenhuma verba proveniente de órgãos públicos em nenhum momento é usada para o pagamento de custos financeiros da Confederação.

26 comentários:

Marcelo "Celote" Gotardo Gerber disse...

Não ficou explícito nessa ou na outra reportagem uma informação que acho importante para os esportes, de quanto é a cota de TV que a CBB receberá da Rede Globo? Chega próximo a quanto? Pois se receberem um montante alto, quem sabe poderão acabar com a dívida, ou diminuí-la.
No mais, brilhante matéria, não deixa de ir atrás das informações não. A gente que gosta de esporte sempre quer ver o que funciona e o que é mascarado por dirigentes para parecer bonitinho.

Anônimo disse...

Caro Balaciano gostaria de saber se você sabe se a antiga equipe,composta por três senhoras...,ainda faz parte da assessoria.Se a CBB mudou ela deu um salto enorme de qualidade.

Paulo Santos-Miami/Estados Unidos

cams disse...

Então tá, esta tudo explicado, né?!?!

Disse Carlinhos: "Vale ressaltar que para uma Confederação do tamanho da CBB, com representação em todo o Brasil, o orçamento necessário para a realização de um trabalho efetivo deve girar em torno de R$ 25 milhões".

Que representações são essas em todo o Brasil? Hein, Pelotas é parte do Brasil, temos um time federado atuante (e com muitas dificuldades financeiramente) e não vejo um centavo de ajuda da CBB. Alguém do norte/nordeste recebe ajuda da CBB?

Aqui no RS era assim também: uma prestação de contas enrolada, um discurssinho pobre, o uso dos amigos para divulgar possíveis melhorias e tudo se acalmava... Terminamos sem sede própria, vendida pelo Sr. tão bem retratado nas fotos da matéria, sem autorização dos clubes.

Se nada for feito, se o povo do basquete se contentar com essas justificativas e outras que devem estar sendo plantadas na mídia, sem um grupo forte de oposição a isso tudo - não ao Carlinhos, mas ao estilo de política esportiva que ele representa - ele estará reeleito após Londres-2012.

Anônimo disse...

Acho que quem recebe da Rede Globo é a LNB.
A CBB (ainda bem!) não tem mais nada haver com o Campeonato Brasileiro.
como diz o ditado, mudaran-se somente as moscas...

Abraços
Luiz

Anônimo disse...

GUTO
RSRSR,A ASSESSORIA FINANCEIRA,JURIDICA E COMUNICAÇÃO,SE REUNIRAM E COM DADOS DO DEPTO TÉCNICO,DERAM ESTA BELA PEÇA DE FICÇÃO,FAZENDO INVEJA AO FAMOSO PERSONAGEM ENROLANDO LERO. COM CERTEZA SE PEGAREM O PRESIDENTE AO VIVO E SEREM FEITAS AS MESMAS PERGUNTAS,ELE NÃO SABERÁ RESPONDER E NEM SE LEMBRARÁ DO QUE FOI RESPONDIDO.BRUNORO GANHA COMISSÃO POR APROXIMAÇÃO COM O MINISTÉRIO DOS ESPORTES.É UM ESCÁRNIO A NOSSA MEDIANA INTELIGENCIA!!!
BALA,A CBB É O"BATEAU MOUCHE" ESTA AFUNDANDO E LEVANDO ALGUNS OPORTUNISTAS E OUTROS INCOMPETENTES.
MAIS VEZ,A IMPARCIALIDADE E A COERENCIA É O MÍNIMO QUE SE ESPERA DE UM JORNALISTA.ALÉM DE INDENPENDENCIA E CORAGEM.E,VC AS E OS TEM. MAIS UMA VEZ PARABÉNS!!!

Fábio Carvalho disse...

Primeiro isso: "Enfatizamos que o objetivo da entidade não é lucrar com a gestão do esporte."

Depois: "Ressaltamos mais uma vez que nenhuma verba proveniente de órgãos públicos em nenhum momento é usada para o pagamento de custos financeiros da Confederação."

Sinceramente, a contradição fala por si só. Será que a BSB concorda com a primeira citação?! Além do que, a BSB não possui remuneração fixa, mas "a remuneração prevista está baseada em êxito". Como avaliar o êxito? Aliás, o que é êxito para a CBB e BSB? "A empresa recebe uma porcentagem das receitas trazidas para a CBB." Que porcentagem é essa?! Por fim, o mais assustador depois de ler as avaliações dos especialistas no post anterior foi ler que a BSB foi a responsável pela "aproximação com o Bradesco". Fiquei na dúvida se isso conta como "êxito"...

No mais, parabéns Bala pela melhor série de posts do blog! Você se superou dessa vez! Muito bom mesmo! Abs!

Anônimo disse...

Mas a SPORTV pagava pelas seleções Brasileiras MASCULINAS E FEMININAS, o que houve com isto.

O gestão anterior com todas as suas falhas fazia tudo o que a atual faz so com 11 milhões.

Bradesco entrou na CBB por vontade propia e estrategia do banco estar ligado a Confederaçoes.

O aumento do valor da Eletrobras foi obra da outra administração, já estava negociada.

Não esquecer que a administração anterior parece que deixou quase 2 milhoes em caixa.

Anônimo disse...

Como equacionar todo o staff que o Brunoro colocou dentro da CBB em posiçao de mando? Isto não e estranho?

Anônimo disse...

O melhor trecho da entrevista:

"A CBB decidiu tomar um empréstimo nesse valor para acelerar seu poder de investimento/crescimento, o que estava previsto no planejamento orçamentário da entidade."

Como pode fazer um planejamento orçamentário além de sua capacidade de receita?

Anônimo disse...

Amigos, o Presidente da CBB explica ao Bala de forma gentil e ao invés de ressaltarmos tudo que está sendo feito de positivo, passamos somente a atacar. O basquete brasileiro tem este longo problema que é o negativismos de todos. O CAMS acima é uma velho e rencoroso inimigo de todos os que fazem basquete no RS. Acho válidas as nossas cobranças, mas também temos que respeitar tudo de bom que está sendo feito, sob pena de perdermos credibilidade em nossas críticas.

Henrique Lima disse...

Ao ultimo anonimo (30/04 as 14.30), coloque seu nome aqui.

Coloque seu nome e aí sim, teremos um debate.

Não pode colocar seu nome porque não quer se queimar ???

O que está sendo ''feito de bom'' vale a pena pelo PREÇO que estão pagando ??

Afundar a CBB financeiramente é inteligente ?!! Isso é ''tudo de bom'' que temos ??


Enquanto alguns imbecis entenderem que CRITICAR é sempre negativo e não compreender de forma alguma que são com críticas construtivas que fazemos a nossa modalidade melhorar, fica dificil discutir.

Mas, não coloca o nome aqui né ?
O medo é uma coisa incrível.

Passar bem ...

Anônimo disse...

O prof. Carlos Alex, sabe muito bem quem é Carlos Nunes, o pessoal da Sogipa também, com também o marketing da Pepsi da década de 90.
Se pesquisar meus amigos, o cara dá nó em pingo d'agua, ele consegue vender binóculos para cego.

Anônimo disse...

Professor Cralos Alex deve ser piada do anônimo acima. Pergunte no RS quem é Carlos Alex. Conhecido como "Chocolate" não tem nenhuma credibilidade, nem na sua cidade, Pelotas.Todos os anos inscreve equipes e desiste no meio das competições, não paga nada e ainda fala mal de todos. Não sei como a FGB ainda permite que ele dispute o Estadual no RS. Todos os demais clubes são contrários a sua participação e suas atitudes.

Toledo/MG disse...

Bala: Não sou economista, mas um dos princípios financeiros que consegui aprender em minha vida profissional é que não existe "dinheiro carimbado" no caixa de qualquer empresa ou organismo, só existe RECEITA e DESPESA. Isso de dizer que nenhum centavo do dinheiro público é utilizado para o pagamento de empréstimos é pura balela! O que a CBB recebe da viúva tem a mesma finalidade que o dinheiro que entra via banco, bilheteria, patrocínio, etc.: a formação do caixa (vide a extinta CPMF, cuja aplicação deveria ser apenas na saúde, e financiou tudo!). Então, o empréstimo bancário será pago, sim, com dinheiro público, e ponto final.

Anônimo disse...

O anônimo de cima, 1 de maior, 22:37 disse tudo sobre o "Prof. Carlos Alex"! Assino abaixo!

cams disse...

Eu penso que é isso mesmo: vamos malhar quem esta na ponta de baixo e rala pra fazer basquete SEM AJUDA DA CBB, enquanto eles pegam 280 mil de ajuda de custo ou adiantamento para dirigentes - com essa grana faço 2 anos de basquete de base aqui no RS. Malhando caras assim, logo ninguém mais vai colocar pra fora o que sabe e o que vê... ficamos todos ACUADOS...

Hein, Anônimo, tua corja e falsas verdades não me assustam e não me calam... Lembra de uma coisa: quem deu um déficit, em 20 meses, de 2,4 MILHÕES no basquete não fui eu...

Tô aqui esperando apoio para pagar o aluguel da quadra dos treinos, o transporte para Porto Alegre ou Santa Cruz, as taxas da FGB... Querem vir gerenciar o projeto aqui? Tragam patrocinadores e podem gerenciar... Pergunta se a CBB vai te deixar gerenciar 10% da receita deles...

Tudo que falei, venho dizendo há anos. Tudo que acontece agora, é resultado dos clubes gaúchos se calarem e deixarem o Carlinhos prosperar por 14 anos na FGB...

Devo pra FGB? Devo e sou sozinho, mas SOGIPA deve e tantos outros clubes do estado...

Vamos lá, me apedrejem por tentar fazer o basquete andar enquanto eles riem de nós...

Anônimo disse...

Carlos Alex, ninguém aqui está falando de dificuldades, que todos tem. Estamos falando das suas atitudes e irresponsabilidades no RS. Vc recebe o maior apoio e não retribui em nada, pelo contrário, só esculhamba tudo. Não sou eu quem está falando, mas todo o basquete do RS. Perguntem em Pelotas quem é Carlos Alex?

cams disse...

Manda Bala... A quem tenho que retribuir, retribuo... Os pai-trocinadores que tem o mesmo foco que eu: ter o basquete como opção sadia para nossos jovens de Pelotas. Já aprendi que gratidão eterna é subserviência. Existem parcerias, onde ambos devem ganhar. Quando um só lado leva vantagem, não é parceria...

Quem esta a frente da FGB negocia minhas dívidas, como faz com qualquer outro clube, sendo que são clubes históricos, não um nanico como nós. Na reunião de inclusão dos clubes, em fevereiro de 2011, ninguém levantou a mão e disse que minhas equipes não poderiam participar por isso ou por aquilo. NINGUÉM DISSE UMA ÚNICA PALAVRA CONTRA!

Então tenho maior apoio? De quem? Talvez apoio ao trabalho por parte do Gilson e do Thunm, mas de ti? Nem sei quem és, apenas mais um covarde que não tem capacidade de mostrar a cara, assumir o que pensa e poder ser contestado também – vai ver é mais um favorecido pelo Carlinhos em alguma coisa... Tu não estas criticando a mim, mas te escondendo atrás de um anonimato para proteger um péssimo administrador. Tu não estas defendendo a ti, teu trabalho, teu clube (se és de um clube), estas defendendo e tirando do foco alguém que vendeu a sede da FGB (tá nos balanços da FGB que a atual gestão entregou) e deixou o caixa zerado, com dívidas (tá na auditoria que foi feita pelo Gilson e Thunm para se protegerem quando saírem da FGB)...

Tu me motivas a denunciar essa venda ao ministério público e pedir explicações, pois meu clube é entidade filiada e quer saber como, quando e para quem foi vendida a sede da FGB. Aprende uma coisa: para bater eu preciso saber que haverá defesa e estar pronto para ela. Vocês estão prontos? Minhas críticas no Mais Basquete (http://maisbasquete.blogspot.com) continuarão e muito do que esta dito aqui, foi publicado lá em 2007, 2008... Cada vez me sinto mais livre e independente para fazê-las.

Alguns textos aqui são como um soco pelas costas, quando tu viras não consegues te defender, pois não sabe de onde vem. O direito ao anonimato só é garantido a fontes jornalísticas e em denúncias públicas. Comentários que são ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou que de alguma forma prejudicam a terceiros, deveriam ser bloqueados, pois desrespeitam a constituição.

Ao Sr. Anônimo: não te respondo mais. Fica a vontade para dizer qualquer ofensa sem provares nada. O que digo aqui - e assino embaixo - é fato e não preciso mandar perguntar por aí, criando a ilusão de ser verdade... Contra fatos inexplicáveis, como a análise do balanço feito por profissionais da contabilidade, não há argumentos.

Carlos Alex Soares

Anônimo disse...

Carlos Alex e CN são desafetos de longa data.

Anônimo disse...

GUTO

TUDO BEM,A POLEMICA É INTERESSANTE E FICA CLARO,O ACUSADOR DO CARLOS ALEX,NÃO ESCLARECEU A VENDA DA SEDE DA FGB.SE ELE TEM SEUS PROBLEMAS,COMO TODOS TEMOS,PRINCIPALMENTE QUANDO A ATUAÇÃO É BEM AMADORA E NO SACRIFICIO,NÃO DESCLASSIFICA MAIS UMA DENUNCIA DO CARLOS NUNES!!!PARABÉNS CARLOS ALEX,ESTE ANONIMO DEVE SER ALGUEM QUE CIRCULA PELO 16 ANDAR DA RIO BRANCO E MAMA NAS TETAS DA CBB,ENQUANTO FEDERAÇÕES ANDAM E VIVEM DO SACRIFICIO DE SEUS PRESIDENTES.

Anônimo disse...

O foco não é o Cams e sim o CBB e Carlos Nunes, porque quer mudar o foco, anônimo?

Também acho muito covarde fazer acusações e se esconder atrás do anonimato.

Anônimo disse...

So peço que perguntem quem é Crlos Alex no RS. Daí vcs saberão o porque das criticas ao Carlos Nunes.

Anônimo disse...

O carlinhos poderia explicar ao basquete brasileiro quanto a BSB trouxe de recursos para CBB e quanto recebeu de corretagem pelo a verba conseguida, ai sim teriamos uma noção melhor do que realmente o BSB esta levando em temos de taxa de administração pelos serviços prestados.

cams disse...

O que eu sempre pergunto a quem me critica e não será diferente dessa vez: se sou tão nocivo, por que aqueles que se julgam ofendidos, caluniados não abrem processo por calúnia, difamação e injúria? Porque sabem que não vencerão uma ação dessa natureza, pois não há uma ofensa no que digo. São denúncias comprovadas...

O que irrita é o anonimato covarde e a fuga do foco: onde esta o dinheiro que o Grego deixou em caixa (3 milhões), onde foi 2,4 milhões em 20 meses e as tais antecipações para dirigentes? Isso é o que importa...

Olhem os comentários no Draft Brasil de 2008. Outras pessoas do RS tentando evitar que Carlos Nunes fosse eleito a CBB. Eles também são "desafetos antigos"? Basta questionar que a pessoa se torna desafeto de alguém?

Comentários nesse link http://www.draftbrasil.net/wordpress/o-verdadeiro-candidato-a-cbb-por-chiaretto-costa/

Querem saber mais sobre quem é Carlos Alex? Visitem http://maisbasquete.blogspot.com e aproveitem para pesquisar minha lista de postagens.

Anônimo disse...

esse adiatamento para dirigente é grave.
Pois emprestou dinheiro com juros 0% e apanhou emprestimos com juros de ?%.
Parabens Carlos por denuciar sim.

Sérgio Franca disse...

Parabéns Carlos por denunciar.
A gestão passada só conseguiu assinar com o patrocinador em Fevereiro.então não teve tempo de trabalhar com os 11 milhões pois aiu em maio.
Emprestar dinheiro para dirigente provavelmente sem juros , é claro. Apanhar emprestimo com juros porque estouro o orçamento.
Que administrator é esse?