segunda-feira, 8 de junho de 2009

As memórias de Cíntia

Cíntia dos Santos, a Tuiu, tinha 19 anos quando foi campeã Mundial em 1994. Jogou 96 minutos em oito partidas, teve 2,9 pontos e 2,8 rebotes, e foi uma das revelações brasileiras. A pedido do Bala na Cesta, ela recorda como foram aqueles momentos.

"Como o tempo passa rápido. Já são 15 anos daquela maravilhosa conquista!

Na primeira fase do Mundial me lembro do relaxamento mental que fazíamos com o Hermes, da música que o Sergio (Barros, assessor) escreveu, dos conselhos das mais experientes e principalmente da reunião secreta das pivôs. Iniciativa da Ruth e que valeu muito para todas nós.

Recordo da partida contra a Polônia. Estávamos com uma vitória e uma derrota - já sem muito credito da mídia. Um jogo de cada vez, era esse era o nosso objetivo.

Em todos os jogos eu estava ansiosa, mas sabia que poderia contribuir se atuasse sem medo. Tinha 19 anos e era a única que jogava o último ano de Juvenil ainda - a união daquele grupo era sensacional.

Cada uma sabia o que poderia dar em quadra mesmo jogando pouco. Eu era uma delas, muito tímida com as mais experientes, mas com grande vontade de aprender o máximo com aquele momento. Lembro-me de um grupo de campeãs que estava pra conquistar o mundo. E que conseguiu seu objetivo".

CÍNTIA DOS SANTOS, campeã do mundo em 1994.

4 comentários:

Técio Martins disse...

Caralho, Fábio, muito boa essa série. Tinha quatro anos e quando pensava na conquista, só conseguia lembrar a imagem da Hortência chorando na hora do lance livre que o Bassul citou.

Meus sinceros parabéns e que continue assim, valorizando o esporte em território nacional.

fábio balassiano disse...

valeu, técio!
fico feliz que pessoas como você ainda sintam prazer em ler matérias como estas.
não sei se dá ibope, mas tem sido uma imensa alegria fazer essas lembranças.
eu tinha 11 anos!
foi uma fase sensacional, não?

abraços, fábio balassiano

Leandro disse...

Fábio: vc, seu blog e seu amor pelo Basquete são maravilhosos!!!!!

Grande abraço

fábio balassiano disse...

valeu pela força, leandro!
obrigado mesmo.
me alegra que estejam gostando do especial.

abs, fábio