quarta-feira, 13 de abril de 2011

Bye, Bye Brasil - Rodrigo Silva

Aos 20 anos, Rodrigo Silva, conhecido como pirulito entre os amigos, tem impressionado em Wyioming (ele está por lá desde 2010). Com média de 13,2 pontos, 9,6 rebotes, 4,7 tocos e ótimos 55% nos tiros de quadra em seu primeiro ano no Laramie County College (é mais um brazuca que está em Junior College), o sergipano de 2,08m já chama a atenção de universidades grandes (houve cinco convites da divisão I até aqui), que querem contar com seu talento. O Bala na Cesta foi conversar com Rodrigo, tão tímido quanto educado (“um cara simples que gosta de treinar e descobrir novas oportunidades”, diz), para a seção "Bye, Bye, Brasil".

BALA NA CESTA: Você saiu do Brasil após ter treinado por algum tempo no Pinheiros. Como foi esse período, o que você aprendeu por lá e quais foram os conselhos que te deram?
RODRIGO SILVA: Foi o período mais importante da minha carreira até agora. Tive a oportunidade de treinar com os melhores jogadores do Brasil (Josuel, Marquinhos, Olivinha etc.) e com um dos melhores técnicos do país (CláudioMortari). Tive a sorte de ter grande amizade com alguns jogadores, e um deles foi o Olivinha, que me deu muitos conselhos bons e sempre me ajuda nas dificuldades. Sou muito grato ao clube.

-- Como é a sua vida aí nos EUA? Poderia contar um pouco mais do seu dia-a-dia?
-- A vida nos EUA é muito diferente da que eu tinha no Brasil. Aqui temos uma rotina que nunca muda: treinos na parte da manhã, aula e outro treinamento no fim da tarde. Depois de jantar eu volto ao ginásio para chutar - é assim quase todos os dias. Meu projeto é ficar aqui nos próximos quatros anos para me formar aqui nos EUA. É uma oportunidade única, e só depois disso conseguirei escolher em que lugar jogar. -- Dentro e fora de quadra, o que você verifica de mais diferente entre o basquete brasileiro e o norte-americano? Poderia citar exemplos?

-- Os americanos são muito individualistas dentro e fora de quadra. A grande diferença entre o basquete brasileiro e o norte-americano é a individualidade - aqui nos EUA eles jogam bastante no um contra um. A minha maior dificuldade foi quando cheguei, pois não sabia falar inglês e para piorar as coisas ainda perdi as malas com toda a minha história no basquete (uniformes de clubes, por exemplo). Com certeza os primeiros seis meses foram os mais difíceis da minha carreira.

-- Dentro de cinco anos, em que patamar você quer estar em sua carreira?Conseguiria descrever este "mundo ideal"? E sobre seleção brasileira, você pensa?
-- Meu “mundo ideal” para daqui a cinco anos seria assim: já estaria formado (o mais importante para mim) e estaria atuando por algum time da NBA. É assim com qualquer atleta que joga basquete, não é? Além disso, em termos de seleção brasileira, te digo que é o sonho de todo jogador. Mas neste momento estou focado apenas em conseguir entrar em uma boa faculdade de Divisão I aqui nos EUA.

BATE-BOLA
Uma frase: “Pra quem tem pensamento forte, o impossível é questão de opinião”
Uma palavra que odeio: Desistir
Um ponto que tenho que melhorar em quadra: Vontade
Uma qualidade fora de quadra: Amizade
Um defeito: Achar que eu não sou capaz
Uma mania: Tenho mania de brincar o tempo inteiro
Um sonho: Jogar na NBA
Uma cidade: Aracaju
Um ídolo: Olivinha
Um lugar: Pinheiros
Uma comida: Feijoada
Quando penso no Brasil, penso em: Poder jogar de novo no Pinheiros
Das coisas do Brasil, sinto mais falta da: Família
Um livro: Transformando Sonho em Ouro, do Bernardinho
Um filme: O Homem que Copiava
Uma música: Pensa em mim que eu to pensando em você, Darvin Um amigo(a): Isabella
Um momento triste: Perder a final do Juvenil para o Paulistano
Um momento feliz: Quando vi minha namorada nos EUA
Um técnico: Cláudio Mortari

17 comentários:

Anônimo disse...

parabens rodrigo silva.
muita forca por ai.

bala, outras perguntas que voce pode fazer na sua seri bye bye brasil :
como foi o contato pra voce ir pros EUA? (isso poderia abrir as portas para novos jogadores)
voce tem contato com outros brasileiros que jogam em outros JUCO ou universidades por ai? (isso poderia ajdar a achar outros brazucas por la)

fui!!!

Will disse...

botei fé nesse menino... com certeza vai estar na NBA...

Anônimo disse...

ei esqueceu pessoas importantes para voce esta ai hoje telma ze foram os que te colocaram ai???

Anônimo disse...

se ele treinou ou jogou no pinheiros ele nao poderia estar no college, mesmo que ele nao tenha jogado, fica marcado como profissional , ja que ele estava no meio de profiisionais. certo?

Mesmo que voce nao receba salario, se voce jogar no profissional a ncaa considera voce com um tambem.

como fica entao?

fábio balassiano disse...

ele nao jogou no adulto, anônimo.
só na base

fábio

Anônimo disse...

Tive a oportunidade de treinar com os melhores jogadores do Brasil (Josuel, Marquinhos, Olivinha etc.) e com um dos melhores técnicos do país (CláudioMortari).

isso nao conta como participar de atividades com profissionais?

fábio balassiano disse...

como diz o texto, ele "TREINOU".
isso não conta.

abs, fábio

rodrigo silva disse...

Quando falo que so grato ao clube, falo em nome de todos, nao esqueci de ninguem, Telma e Ze Otavio fazem parte do clube e com certeza me ajudaram muito a estar aqui hoje.

Lucas Candemil disse...

Parabéns Rodrigo!
Bela entrevista Fábio.

Abraço.

Anônimo disse...

O Rodrigo, o Rossi vc esqueceu... rsrsrsrs
Assim vc não volta...

Wladir Lima disse...

Po eu ja tomei uma cravada na cabeça dele
kkkkkkk
num jogo-treino antes dele ir disputar o brasileiro pelo COC-São Paulo
Força ai cara.

Vitor disse...

esse anonimo ta com inveja, com certeza é mais um jogador frustado. Incentiva o cara, ao invés de criticar. O piru é um dos jogadores mais esforçados que passou pelo pinheiros, alem da humildade, o respeito com todos, só deixou coisas boas por lá, e com certeza vai voltar depois de passar pela nba!!

Anônimo disse...

nem uma palavrinha sobre os outros dois brasileiros que jogam com ele?

Bruno Machado e Dawton Quieroz

Anônimo disse...

Rodrigo, fiquei muito contente com a sua situação ai nos EUA, siga treinado e correndo atrás de seus sonhos...Lembra do alojas no ibirapuera? que fase!!Aproveite todas as oportunidades para melhorar seu jogo...um abraço...

Julio Malfi

Anônimo disse...

Gostei da pessonalidade desse garot, com certeza ira chegar longe.

Alberto disse...

Força cara que você chega lá,você para nós sergipanos é motivo de muito orgulho,e além de ser um cara que para mim é motivo de inspiração e de que é possível sonhar em ser um jogador profissional e com muitos meritos,que Deus te abençoe e te ilumine nessa caminhada a NBA.sou um cara que te conheceu no dia 02/08/2011 em um visita sua aqui no aliança socorrence.......

Alberto disse...

Força cara que você chega lá,você para nós sergipanos é motivo de muito orgulho,e além de ser um cara que para mim é motivo de inspiração e de que é possível sonhar em ser um jogador profissional e com muitos meritos,que Deus te abençoe e te ilumine nessa caminhada a NBA.sou um cara que te conheceu no dia 02/08/2011 em um visita sua aqui no aliança socorrence.......