quinta-feira, 16 de abril de 2009

Uma "entrevista" com Carlos Nunes

Coloco, abaixo, a entrevista que tentei fazer com o candidato da oposição-pero-no-mucho Carlos Nunes. Carlinhos, como é conhecido, não respondeu a ela. Resolvo, então, mostrar a vocês, leitores, aquilo que Nunes temia não responder . Vamos lá.

BALA NA CESTA: Quem é o candidato Carlos Nunes? Qual é a sua trajetória na modalidade para comandar a entidade máxima do basquete brasileiro? Suas credenciais para o cargo são 15 anos à frente do basquete gaúcho com uma série de acusações pouco empolgantes e oito anos na articulação política da atual gestão.
CARLOS NUNES:

BALA NA CESTA: Indo mais além: qual a trajetória profissional do senhor, já que está há oito anos na CBB, e, segundo consta, o cargo não é profissional. O que é há de tão atraente neste cargo?
CARLOS NUNES:

BALA NA CESTA: Por que alguém que fica oito anos na gestão do Grego agora quer ser candidato da oposição? O que mudou de forma tão repentina? Comenta-se, também, que era você quem, na época de eleição, visitava os presidentes de Federação para estreitar laços e conjecturar alianças.
CARLOS NUNES:

BALA NA CESTA: O senhor também enfrenta críticas pesadas por conta do seu mandato na Federação Gaúcha. Há, inclusive, críticas sobre suas atitudes extra-quadra. Sua última eleição foi conturbada e com pendengas judiciais. Na assembléia, que adiou a eleição da nova diretoria de janeiro para junho, dez votos foram dados por árbitros de basquete, que receberam procuração para votar. Há alguma razão plausível para tal?
CARLOS NUNES:

BALA NA CESTA: Sendo o maior articulador da atual gestão, o senhor poderia dizer como funcionam estas alianças com os presidentes de federação? Por que um dirigente do Acre, Mato Grosso, Bahia, votam por um lado ou por outro em uma eleição?
CARLOS NUNES:

BALA NA CESTA: O que vale mais na eleição da CBB: boas propostas para o basquete ou boas alianças polícias?
CARLOS NUNES:

BALA NA CESTA: O senhor possui uma empresa forte por trás do senhor, a de João Carlos Brunoro. Por que essa empresa, e o que ela traria ao basquete brasileiro de novas idéias e planejamento?
CARLOS NUNES:

7 comentários:

Madeiras disse...

Anônimo disse...

Nao conheco nada do basquete brasileiro alem dos jogadores no estrangeiro. Mas percebi que as perguntas sao "ASSASSINAS"!


Nairo Carlos

Henrique disse...

Boas questões, pena que não tivemos as mesmas respondidas aqui.

Quem sabe mais pra frente ...

Leonardo disse...

Respostas esclarecedoras elas não? Acho que o mais incrível é a CARA DE PAU desses caras.
Ai ai
Abraços

Anônimo disse...

Esta o pai Grego e filho Carlinhos, quando o assunto é omissão de vir a publico responder e mostrar a cara, esse é o novo presidente da CBB, sai um ruim e o que entra fica duvida se é tão ruim quanto ou pior.Parabens Balassiano pelas perguntas.

Nair Benit

Osama_Lakers disse...

triste... pobre basquete brasileiro.
e tem gente que acha estranho que a gente torça só para times estrangeiros...

AHMED IDJI OTTA disse...

já falei aqui antes e repito...peçam para o Ari Vidal, ajudar a responder essas perguntas do Fabio...ele conhece BEM o perfil do candidato...e se estiver disposto a falar, tem muita coisa a dizer.
O Basquete esta entre a cruz e a espada, já que como a mãe Dinah previa, Toni se afastou da corrida a presidencia