terça-feira, 29 de junho de 2010

O MVP fala - Parte 1

Tiago Splitter ainda não terminou a temporada 2009-2010. Depois de se sagrar campeão espanhol, obter o título de MVP da fase regular e das finais, chegou a hora de o pivô fazer uma de suas cestas mais importantes: dentro de poucos dias, o atleta de 25 anos se casa em Vitória (Espanha) antes de se apresentar à seleção brasileira para o Mundial da Turquia. Ontem, antes do jogo do time de Dunga na Copa da África do Sul, ele conversou pela primeira vez após o título do Caja Laboral. Splitter falou ao Bala na Cesta sobre o seu ótimo ano, as expectativas para trabalhar com Rubén Magnano e deixou muito claro que a sua ida para o San Antonio Spurs está praticamente consumada. A entrevista será dividida em duas partes. Nesta quarta-feira sai a segunda.

BALA NA CESTA: Em primeiro lugar, queria que você falasse um pouco da temporada que você teve no Caja Laboral, da emoção de ganhar o título com a equipe.
TIAGO SPLITTER: Foi uma temporada estranha, posso dizer assim. O time começou mal, com muitos jogadores lesionados – eu mesmo fiquei muito tempo parado. Não conseguíamos jogar da maneira que queríamos, e da maneira que o técnico desejava. No final da fase de classificação chegamos perto do que imaginávamos, mas foi nos playoffs que o time realmente encaixou no ataque, defendeu com consistência, atuou como uma grande equipe. Quando ganhamos o quinto jogo do Real Madrid em casa e do Barcelona na casa deles na primeira partida da decisão sentimos que poderíamos ser campeões. Confiamos, tivemos fé, batemos o pé e atingimos o objetivo.

-- Muitos torcedores dizem que você é o maior jogador da história do Baskonia. Você chegou a ler sobre isso, não?
-- Sim, li sim. Ser mencionado como o maior jogador do time é motivo de orgulho para mim, de verdade. Estou aqui há dez anos, e tive uma evolução natural, sem sobressaltos, sem pressa, sem pressão. Identifiquei-me com a cidade, com o povo, com a equipe, e tudo foi pensado ano após ano, sempre com carinho, respeito e tranqüilidade. O “resto”, por assim dizer, veio naturalmente. A fama, por exemplo, chegou de uma maneira bastante legal, e quem mais curte isso é a minha mãe, que guarda os elogios, me envia algumas notícias, se delicia com tudo mesmo. Eu, do meu canto, prefiro não olhar muito, porque os elogios são lindos, mas quando as críticas vêm, elas vêm muito fortes também. Você sabe como é, né...

-- Recentemente li que toda essa identificação com a cidade e com o Baskonia passam muito por uma espécie de tutor que você teve/tem por aí em Vitória. A pessoa se chama Iñake Iriarte, e gostaria que você nos contasse um pouco da importância dele para você.
-- O Iñake realmente é uma pessoa muito especial, e que poucas pessoas aí no Brasil sabem quão fundamental ele é para mim. Cheguei na Espanha com 15 anos, e ele foi meu primeiro técnico, meu primeiro amigo, meu primeiro tudo. Deu-me uma força incrível, com conselhos sobre basquete, estudos, vida, tudo. Ele é uma espécie de guru para mim.Hoje ele não treina mais comigo, mas vê muitos vídeos e sempre me liga para dar dicas, conversar, fazer críticas construtivas. Sempre agradeço porque devo muito do que sou a ele.

-- E como é a sensação de ser o primeiro atleta a ser MVP da temporada regular, dos playoffs e ainda sair com o título depois do lendário Arvydas Sabonis? Imagino que o assédio aí não tem sido fácil...
-- Posso te dizer que sair de casa aqui em Vitória não tem sido nada fácil. Ao mesmo tempo, é gratificante e motivo de orgulho para mim e para meus familiares. É maravilhoso receber esse calor do público, ser reconhecido pelo seu trabalho. Fico muito feliz, e os prêmios só reforçam que o empenho foi recompensado. Espero continuar assim, fazendo a torcida feliz na próxima temporada.

-- Mas, Tiago, de que torcida você se refere para a próxima temporada?
-- (Risos). Não sei ainda o que será feito, mas não tenho como esconder que tenho um desejo muito grande de jogar na NBA e isso está muito próximo de se sacramentar. Essa possibilidade já existe faz tempo, mas como tive ótimos contratos e uma condição muito boa aqui na Espanha, esperei um pouco. Agora, porém, me sinto maduro para poder chegar, me adaptar e atuar bem na liga americana. Ainda faltam alguns detalhes, mas sinto que é a minha hora de fazer o salto e vou fazer de tudo para me sair bem na NBA. Espero acertar a minha situação em breve com o clube (Splitter se refere ao San Antonio Spurs, cujo técnico, Gregg Popovich, ligou para Tiago na semana passada para reforçar o interesse da franquia em contar com os seus serviços, apesar das ofertas que quase dez times fizeram após o Draft).

15 comentários:

Fábio Carvalho disse...

Show de bola a entrevista, Bala. fico feliz e ansioso pelo fato do Splitter se sentir preparado para a NBA. Certamente irá aprender muito com Popovich, Duncan e cia. Só será estranho começar a torcer pelos Spurs, rsrs, mas tudo bem.

Abraço!

Anônimo disse...

Grande entrevista Bala.

Heverton Elias

PauloRJ disse...

Vai ser muito bom o Tiago na NBA, pois certamente vamos conseguir acompanhar muito mais a evolução e a carreira dele...acho que ele vai evoluir ainda mais jogando com o Duncam e sendo treinado pelo Greg Popovic...acho que estamos acompanhando a trajetória do jogador que tem tudo para ser o melhor brasileiro de todos os tempos....

Fernando disse...

O quinteto inicial dos Spurs, se realmente confirmada a presença do Tiago não ficará nada mal : Parker, Manú, Richard Jefferson, Duncan e Splitter. Será que dá pra parar os Lakers nas finais de conferência 2011??? rsrsrs
abraço

Anônimo disse...

Grande jogador, a seleção brasileira masculina de basquete tem tudo pra deslanchar de vez, um excelente treinador, ótimos jogadores (Splitter, Huertas, Leandrinho, Varejão , Nene, etc.

adriano disse...

Muito boa a entrevista mesmo, Fabio, fez uma excelente pesquisa e conseguiu abrir a boca do Splitter, que normalmente fala pouco e não gosta de se abrir muito. Tá de parabéns!!

Anônimo disse...

Eu quero saber se ele vai incluir no contrato dele a cláusula: LIBERAÇAO PARA JOGAR NA SELEÇAO BRASILEIRA SEMPRE QUE CHAMADO.

pq o Santo Antonio é dos times mais chatos nesse quesito...

fábio balassiano disse...

valeu, galera.
o splitter é fantástico, e acho que o papo ficou legal.
amanhã tem a segunda parte da entrevista, hein...
mais coisas boas virão.

abs, fábio

Anônimo disse...

Muita sorte Tiago, nessa nova etapa de vida e também da profissão.Sempre foi um grande jogador, e não é de hj.Que vc seja muito feliz, na Europa ou nos EUA e claro na seleção brasileira.

Parabéns Bala, essa entrevista de hj está do tamanho do basquetebol que joga esse guri!!

Anônimo disse...

Lindooooooooo, pena que vai casar!!!

João Pedro TONHÃO #23 disse...

Achoq o papel dele na Espanha tah feito.. E mtu bem feito neh..
Acho q agora eh momento de batalhar pra adaptar a NBA e fazer história lah tbm..
Quero mtu ver ele no EUA..
Abraço.!'

Bert disse...

Muito boa a entrevista.

Só precisa perder essa mania de dividir em duas partes! Rs!

Abraço, Mr. Bala!

Duda 11 disse...

Grande jogador e de cabeça boa, o que é mais importante! Tiago sempre foi diferente da maioria porque tem um grau de instrução muito bom! Se for para o Spurs, certamente obterá sucesso!

fábio balassiano disse...

valeu, amigo bert.
eu divido para multiplicar a curiosidade...

abs, fábio

joaomail disse...

Os Spurs vão reconstruir as torres gêmeas.

www.theringbball.wordpress.com