sábado, 30 de abril de 2011

Sobre a entrevista de Carlos Nunes

Sempre atento, o professor Jorge Eduardo Scarpin, Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela FURB, enviou um texto que fala sobre as respostas dadas a este blogueiro pelo presidente Carlos Nunes, da CBB.



Como você acabou de ler, Jorge Scarpin contesta veementemente as declarações de Nunes. Sei não, mas acho que quanto mais a Confederação fala, menos ela se explica de verdade. Não sou economista, auditor ou contador, mas as argumentações do professor Jorge fazem todo o sentido - principalmente as sobre as taxas de juros.

Acho que é pedir demais uma intervenção de COB ou Ministério dos Esportes, porque sabemos bem em que país estamos. Mas não é só isso. O conjunto da obra é que é de se lamentar. A sociedade se cala e não age, a imprensa ignora (quantos foram os meios de comunicação que falaram sobre o balanço da CBB?) e aí esta trupe que dirige o esporte brasileiro de um modo geral e o basquete em particular se mantém por lá. É triste.

22 comentários:

Anônimo disse...

E a Eletrobrás? Convive com este estado de coisas sem falar nada?

Victor Dames disse...

Bala, como bem disse o prof. Paulo Murilo aqui no seu blog, "o rei está nu". A cortina caiu. Não por acaso a delegacia de polícia especializada em investigações desses assuntos financeiros, em especial relacionados a gestão de recursos coletivos, é chamada de "defraudações". Creio que deve-se encaminhar denúncias as autoridades sim. O MP apura denúncias feitas até em papel de saco de pão da padaria. Mas para dar credibilidade da denúncia, é bom que ela parta de alguma entidade independente relacionada ao esporte (descarta-se portanto atletas, árbitros, equipes). Alguma recomendação?

Aliás, parabéns pelo trabalho. Só mesmo a independência bloguista para expor de maneira tão aberta e exaustiva o assunto, com objetividade e imparcialidade, ouvindo todos os lados, num belo exemplo de jornalismo, algo cada vez mais raros nos tablóides da vida.

Abraços!

P.S.: Hoje no Lance!, mais uma notinha na coluna De Prima, agora sobre a incerteza da Supercopa. Se não for o Damato, algum colaborador dele deve ao menos gostar de basquete, pra dar um mínimo espaço...

Jorge Scarpin disse...

Anônimo, aqui é o Prof. Jorge, que fez as análises. Só comentando a sua afirmação, a Eletrobrás paga por exposição na mídia. O que a CBB vai fazer com o dinheiro, não é mais problema da Eletrobrás ou de qualquer outro patrocinador.
Entretanto, se ela perceber que a sua exposição de marca pode ficar manchada por má administração do patrocinado, pode simplesmente migrar sua verba de patrocínio para outros esportes.

Jorge Scarpin disse...

Anônimo, aqui é o Prof. Jorge, que fez as análises. Só comentando a sua afirmação, a Eletrobrás paga por exposição na mídia. O que a CBB vai fazer com o dinheiro, não é mais problema da Eletrobrás ou de qualquer outro patrocinador.
Entretanto, se ela perceber que a sua exposição de marca pode ficar manchada por má administração do patrocinado, pode simplesmente migrar sua verba de patrocínio para outros esportes.

Anônimo disse...

Prezado Bala,
voce acha que a CBB ja fez alguma coisa de bom na era Carlos Nunes?
abraços

Anônimo disse...

isso é revoltante! Não é possível que o COB. Min Esportes, a;guém tome uma atitude!

Adriano disse...

Incrível mesmo que ninguém da grande imprensa tenha atentado para nada disso, Bala. Uma pena que o Rodrigo esteja de férias, pois acredito que ele não deixaria isso passar em branco também. Parabéns pela coragem de expor os fatos e questionar com embasamento!

Henrique Lima disse...

Uma aula de jornalismo.

A melhor série que vimos na imprensa especializada !

Párabéns novamente Bala !


E não tem muito o que falar, se não, é caso para MP, TCU, enfim, os que fiscalizam com responsabilidade averiguarem.

Uma vergonha essa situação.

Mas, NADA ALÉM do esperado quando se trata de adminstração da CBB.

Ou alguem aqui esperava algo diferente disso ?

Porém, entre a ilusão e a certeza, sempre temos a esperança e essa foi embora com essa série de posts.

Um abraço

Jorge Scarpin disse...

Pessoal, aqui é o Prof. Jorge Scarpin de novo.
Vendo os comentários, vejo que há alguns exageros. O caso da CBB não é caso para TCU, MP, polícia etc.
A contabilidade da CBB é muito boa, muito boa mesmo, a análise que fiz só foi possível por conta disto. A auditoria também foi bem feita e não há fraude, nem crime algum refletido nas demonstrações contábeis.
Há sim uma dose absurda de incompetência e, incompetência, não é crime. E, aliás, uma boa parcela de culpa é do Conselho Fiscal que aprovou as contas, talvez porque seus membros sejam políticos e não entendem muita coisa do riscado.

Chizu disse...

Parabéns ao Bala e ao Jorge Scarpin pelo excelente trabalho no exame da prestação de contas da CBB. Fica evidenciada a necessidade mais do que urgente de colocar profissionais de verdade para gerir as ações da entidade.

Anônimo disse...

Bala , meus parabéns pelo excelente trabalho, pode ter certeza que vc fez a sua parte. Espero que esse seu post seja lido e debatido por todos que fazem basquete nesse país.

Mais uma vez parabens e obrigado pelo excelente serviço prestado ao Basquete Brasileiro.

Ana

Victor Dames disse...

Permita-me discordar em parte, professor, pode até não ser caso de polícia (e não quis dizer que era), mas a má gestão de recursos públicos é caso sim de Tribunais de Contas e MP sim. Mesmo uma entidade de direito privado, que se submete a auditoria independente, quando subvencionada com verbas do estado (caso da CBB), sujeita-se a ação fiscalizadora da Corte de Contas responsável pelo controle externo dos recursos a ela repassados. E é um escárnio que o TCU ainda não tenha bloqueado os repasses a CBB diante de tamanha incompetência. Por muito menos, já vi decisões nesse teor no TCE-RJ. Reforçado por sua análise, vejo esse balanço como indício clássico caso de improbidade, e aí sim entraríamos na esfera judicial, ainda que não criminal, pois não se configura delito, mas ilícito administrativo.

Abraços!

Anônimo disse...

Me lembro de alguém ter comentado por aqui em um outro post que "balanço é uma "fotografia" da gestão". E após muita gente ler, analisar e discutir o balanço da CBB, chegou-se a conclusão de que a atual gestão não "ficou bem na foto". Faço minhas as palavras do Prof Scarpin quando o mesmo diz que "Há sim uma dose absurda de incompetência" na atual gestão da Confederação. Falta gente capacitada para gerir e falta humildade por parte dos que estão no comando para assumir que precisamos elaborar um projeto sério de desenvolvimento do nosso basquete. O balanço deixa a má-impressão de que as coisas estão sendo feitas sem planejamento sério, sem uma verdadeira preocupação em agregar valor à administração do basquete. Infelizmente já esperávamos isso...

Anônimo disse...

Isto é a mais nova modalidade de delito, " ASSALTO DESPORTIVO".

Anônimo disse...

CUIDADO! O cara consegue vender binóculos para cego.

Anônimo disse...

caso de MP sim, tem dirigente pegando empréstimo com a CBB, que já não tem dinheiro e paga juros altíssimos emcima desses empréstimos...

Fábio Carvalho disse...

Muito legal o nível dos comentários!
Fiquei com essa frase do Scarpin na cabeça: "(..)talvez porque seus membros sejam políticos e não entendem muita coisa do riscado." Acho que esse é um problema bastante comum, não só na CBB mais em outras esferas de gestão também. Isso ficou claríssimo na entrevista do Carlos Nunes, não é verdade? Segundo ele, tudo vai ser quitado até 2012... só não sabemos como (e ele tampouco).

Anônimo disse...

Nosso esporte é uma vergonha, robalheira, panela e sem contar a peneira tapando este sol que cada vez esta mais perto de nos queimar, se não me engano, este homem tem formação em algo relacionado a saúde, nem sei se já saiu do Brasil, quero dizer, experiência de vida, acredito q não tenha muito para poder mudar a vergonha q encontramos nosso basquete!! TRISTE é ter neguinho contratando amigo!!

Anônimo disse...

às vezes o crime se esconde sob a máscara da incompetência!

Sinceramente, nos dias de hoje e no caso a incompetência não se justifica e tb não justifica nada.

Anônimo disse...

O termo trupe é uma ofensa ao circenses e aos que gostam do mesmo,acho que a expressão certa,sem dúvida,é quadrilha.
Nem o Bope dá conta de tanta gente especializada em enganar,sonegar e tentar iludir o Brasil como a CBB e as pessoas despreparadas que lá estão,desde os "áureos" tempos do GREGO,passando por André Alves e Hortência,até o nosso famigerado Nunes.

Anônimo disse...

Realmente pouco vão poder fazer o TCU pode ir em cima da Eletrobras, se as comprovações de utilização das verbas estiverem corretas nada poderão fazer com a Eletrobras e esta com a CBB, a não ser que venha uma ordem sarneiana para cancelar o contrato com a CBB, O Presidente do Maranhão é chegado a familia e poderia intervir para que providencias fossem tomadas, pelo que vem sendo divulgado em outro blog ele questionou a farra do boi na CBB, não poderia ter outro resultado que não fosse o apresentado no balanço.
Realmente incopetencia não é crime, crime mesmo foram aqueles que o elegeram, em 2013 espero que reflitam e lancem a campanha fora carlinhos da cbb para não acabar com o basquete de vez.

Anônimo disse...

atletas da seleção Brasileira de desenvolvimento estao com o salário atrasado, nd mais nd menos q 2 meses de atraso, se nao tem estrutura para fazer esse tipo de projeto nao faça comprimisso com os atletas