quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

O general que moldou Blake Griffin

Quem viu o (bom) torneio de enterradas no sábado deve ter ficado ainda mais impressionado com a habilidade atlética de Blake Griffin, vencedor da competição e maior sensação da temporada da NBA até aqui (22,8 pontos, 12,6 rebotes e autor de 27 duplos-duplos seguidos).

Se há um responsável por ter transformado o "mirradinho" Blake do Draft de 2009 nessa montanha de músculos ágeis de 2011 este alguém é Frank Matrisciano, com quem o ala-pivô dos Clippers trabalhou antes desta temporada. Frank foi do exército norte-americano e há cerca de dez anos "molda" corpos de feras da NBA (Gilbert Arenas foi um de seus clientes).

Excêntrico, Frank acorda todos os dias às 05:22 em sua casa em São Francisco, e exige que seus atletas estejam prontos para trabalhar às 7h da matina. Fanático pela boa alimentação, não é à toa que apenas 30% de seus clientes chegam ao final dos 30 dias de extenuante trabalho. Blake Griffin, claro, chegou, e chegou depois de ter corrido durante duas horas/dia em dunas, subido e descido degraus de um campo de futebol com 156 lances de escada e "brincado" de andar com sacos de terra em suas costas - isso sem falar nos exercícios de flexibilidade e peso que o professor adora.

Para piorar a situação, o solteiro convicto que odeia ter a sua identidade revelada (na foto, a maneira como ele dá os seus treinos) leva sempre consigo o seu único amigo, o cachorro Seminole, um Husky Siberiano que late raivoso a cada reclamação de seus atletas. Blake Griffin não reclamou, não latiu, não bateu perna, e hoje brilha na NBA. Com as bençãos do general Frank Matrisciano.

8 comentários:

lisangelo disse...

O torneio realmente foi bom, tao bom que Blake Griffin deveria ter ficado ate em ultimo lugar. Assisti um clipe com os melhores momentos e sinceramente achei que os outros competidores fizeram enterradas de maior dificuldade. Desculpem se nao sei o nome de todos os outros competidores, mas vamos la. BG pegou um rebote e enterrou. De Rozan pegou um rebote, passou entre as pernas e enterrou. Outros competidores enterram duas e ate tres bolas ao mesmo tempo. BG pulou por sobre um carro (na verdade sobre a parte mais baixa do capo). Outro competidor saltou de mais longe e conseguiu enterrar.

Anônimo disse...

surreal o post, adorei!
melhhor blogueiro do brasil!

incrível a qualidade das informações!

parabéns

otto

Anônimo disse...

Nao esqueça que o mesmo ja era forte antes da temporada e que depois de treinar dfa forma como treinou antes do Draft de 2009 pode ter ajudado em sua lesao que o deixou de fora de toda a ultima temporada.

Anônimo disse...

esse treinamento foi pós-lesao.

Anônimo disse...

Pos-lesao?? Voce apostaria quanto nisso?

RASBRITO disse...

Treinamento de elite, sem duvida.
Mas que rolou um "suquinho Gummy" versão veneno... ahhhh rolou!
rs...
Só pra constar, sou totalmente a favor de que atletas profissionais tomem "suquinho Gummy"...

RASBRITO disse...

http://www.youtube.com/watch?v=_Rhg10_Ptkc
Link do video de treinamento.

Anônimo disse...

As pessoas que lerem este comentario, por favor não vão sair por ai correndo e saltando com pesos, e treinar ou obrigar garotos a treinar como loucos, espero e até tenho certeza que o treinamento descrito e acompanhado por medicos e de varias especialidades, pois e muito perigoso.
Antigamente, treinei basquete na decada de 66 à 70, os tec. nos pegavam com ainda doze anos e nos faziam pular arquibancadas pra cima e pra baixo com cameras de pneu cheias dagua, usavamos bolas de cinco quilos, corriamos feito loucos, era um festival de garotos com menos de dezesseis anos com joelho e tornozelo estourado, muitos atletas que chegaram a categoria adulto, jogaram a vida inteira com dores e limitações causadas por erros de treino, e muitos pararam de jogar, quem e do meio ou foi deve conhecer varios casos.
Muito boa a reportagem, mas cuidado os que de repente quererem utilizala como exemplo.