terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Cruzada

Foi convocada ontem por Janeth a seleção Sub-16 feminina que tentará vaga na Copa América da categoria em junho, no México. Gostei de ver entre os 19 nomes os de Polyana (da Apada, do Mato Gross), Serena, nascida em Rondônia e atuando no Vizinhança (DF), Andrine, do clube Sobral (Ceará) e as já conhecidas Izabella (que treina com a Sub-19), Kawanni (a boa ala de Osasco está na foto) e Vitória.

Também fiquei animado com a lista de André Germano para a Sub-16 masculina. Há nomes importantes, como o do ala Lucas Dias (foto), de Fernando Stafleu Andrade, do Barcelona, de Adriano Alves, pivô de 2,05m do Paulistano, e de Fábio Billieri, de Santa Catarina.

O que eu fico encucado, no entanto, é o período em que estes meninos (de 20 de fevereiro a 2 de março) e meninas (de 21 de fevereiro e 15 de março) estarão treinando. Se por um lado será uma oportunidade de desenvolvê-los em dois períodos, o que é ótimo esportivamente, por outro há um prejuízo escolar sem tamanho.

Estes jovens, que deveriam estar estudando, perderão suas aulas por conta de um sonho que, claro, muitos não conseguirão realizar (o de se tornarem jogadores profissionais de basquete - ainda mais aqui no Brasil). É meio ranzinza dizer isso, é meio chato, é um assunto difícil, já falei disso antes, mas não me animo muito com a ideia de "jogar tudo pro alto atrás de uma possibilidade só". É arriscado, cruel e injusto, e a modalidade precisa começar a pensar em alguma maneira de não deixar isso continuar a acontecer. Teremos, portanto, atletas muito bons - e estudantes horríveis. Se isso é bom? Acho que vocês sabem a resposta.

21 comentários:

marcelo marques disse...

discordo fabio quem perde aula agora
assiste depois sem problema nenhum

marcelo marques disse...

uma pena o arthur pecos do palmeiras ser por poucos meses mais velho do q a idade

acho ele mt bom jogador

Anônimo disse...

Mto legal bala!
E Marcelo, vc so discorda porque talvez não seja pai!
Me preocupo, e tenho um fiho que em breve jogara e seleção! A educação dele ficara prejudicada, certamente!

Não pense apenas no esporte!

Luis-sp

Anônimo disse...

Perfeito o post!
A Cbb nao quer saber não!
Só se interessam pelo menino em quadra!
O resto, dane-se!
Feio demais

Gustavo

Anônimo disse...

Entendo a preocupação mas não acho que esses poucos dias farão alguma diferença na vida academica desses atletas. Mas acredito que para toda a base, o sistema americano é o mais correto o esporte é um premio para bons alunos,sem nota não joga e isso deveria ser lei.

fábio balassiano disse...

pessoal, apenas para reflexão.
Seleção Sub-16 feminina

1ª fase - 20/02 a 15/03
2ª fase - 06/04 a 18/04
3ª fase - 02/05 a 05/06

Seleção Sub-16 masculina

1ª fase - 16/02 a 27/02
2ª fase - 27/02 a 31/03
3ª fase - 01/04 a 30/04
4ª fase - 14/05 a 31/05
5ª fase - 01/06 a 12/06

períodos consideráveis, não?
aliás: como treinam mais os meninos, não?

Abs, Fábio

fonte: http://www.cbb.com.br/calendario.asp

Anônimo disse...

Bala, porque o Daniel Barbieri do Baskonia não foi chamado?

Toledo/MG disse...

Bala: estou com o Luis-SP. Tenho um filho disputando uma vaga na Seleção Brasileira (não é de basquete), e isso significa períodos mais ou menos longos longe da escola, não só com a Seleção, mas também com campeonatos nacionais e outras atividades "obrigatórias". Ele tem recebido convites para se mudar para diversas cidades e equipes, com promessas de bolsas de estudo e maior visibilidade, mas nenhum oferece a mesma qualidade no ensino que lhe propiciamos agora, em um colégio dito de primeira. Já me falaram para transferí-lo para um colégio, digamos, "mais compreensivo", mas ainda não me rendi a isso. Apesar de achar que o seu futuro está mesmo no esporte, não poderia nunca abrir mão de minha imposição quanto à necessidade de sua educação ser do melhor nível que eu possa pagar. Por outro lado, ele mesmo disse que ir à seleção e ter a possibilidade de integrar desde já uma equipe de grande visibilidade trata-se de um sonho, de um privilégio de poucos, e que seria lamentável perder esta oportunidade. Quando eu tiver uma posição mais definitiva, uma opinião já formada, comunico para vocês. Abraços.

Anônimo disse...

Não entendi. ora é para treinar mais, ora é para estudar. Meu caro, ainda bem que você já se definiu como ranzinza. 15 20 dias fora? TODOS os grande atletas se sacrificaram mais que os outros. Por isso se tornaram grandes atletas. Este mundo perfeito que você quer viver não existe.

Anônimo disse...

Bala isso é uma questão de ciclo vicioso, e que no Brasil infelizmente vai demorar muito tempo para mudar.Quem está a frente dessa seleção não tem estudo e nem formação para isso, é uma consequencia obvia que essa pessoa não valorize, não se importe e nem cobrará das atletas o estudo.Como a técnica principal vai valorizar uma coisa que não teve, que nao tem formação nem senso critico para isso??? Ai voltamos para a famosa e cansativa discussão da importancia da" formação do formador", que muitos ainda batem na tecla do CREF,que para mim esse é o menor dos problemas, e essa questão educativa é somente um dos varios prejuizos que esses adolescentes terão futuramente, ou seja os 80% que não forem selecionados.Claro que pessoas c a visão e a cabeça limitada só pensam na questão basquete a curto prazo, apoiam e incentivam esse tipo de medida que é necessaria para justificar a má gestão e falta de projetos coerentes e efetivos para reerguer o basquete nacional a médio e longo prazo, mas sinceramente só quem continua perdendo com isso é o proprio basquete brasileiro.

Anônimo disse...

A questão não é quanto se treina mas sim como!!!!

Anônimo disse...

Como é que funciona na europa e nos EUA?

Henrique Lima disse...

O Brasil é um país que não é preocupado com a educação.

O brasileiro caga e anda para isso também.

Logo, nada além de refletir a realidade que estamos cansados de ver por aí.

Uma pena, poderia tudo ser diferente e tudo ter sua hora e espaço.

Anônimo disse...

Não seria mais coerente questionar a CBB sobre o tema?


Lembro que num post recente as mesmas questões foram levantadas aqui no blog sobre a seleção sub-19 e posteriormente o Vanderlei e a Hortência deixaram claro que o treinamento seria com compatibilizado com os estudos, com total apoio da CBB para isso.

Então porque no sub-15 seria diferente?

Não fale à pena apurar os fatos antes de tirar conclusões?

fábio balassiano disse...

Seu argumento procede, mas Vanderlei e Hortencia falaram das seles de desenvolvimento apenas.
Falei com 8 atletas, e eles me disseram que , sim, perderão aulas.

Todo mundo sabe que é assim.

Abs, fabio

Anônimo disse...

Por isso nos deparamos no Brasil com atletas do alto-rendimento praticamente ANALFABETOS, sendo este fato visivel nas entrevistas.

E os jogadores de Futebol - que fazem M**** adoidados por ai - que nem ler e fazer conta devem saber. Me digam se estes caras tivessem o minimo de intrução seriam assim?! DUVIDO!

Mas como já foi falado em algum post anterior Educação no Brasil NÃO É PRIORIDADE.

Jonathan Soares disse...

Você Esta certo mesmo, CBB tem que da um Jeito para que eles não fiquem prejudicados nos Estudos.

Anônimo disse...

En Europa se concentran en epoca de ferias y las competiciones tambien. Aunque realmente de las competiciones no tiene la culpa la CBB y si la fiba america.

Anônimo disse...

Post e discussão muito importantes.
Gostaria de dar os parabéns à postura do Toledo/MG e torcer para que continue proporcionando a melhor educação possível a seu filho. Gostaria de lembrar também que a educação e a conclusão dos estudos (até o ensino médio, no mínimo) são de grande valia também para aqueles que "vingam" no basquete (ou qualquer outra modalidade), pois devemos lembrar que boa parte dos atletas, sobretudo aqueles que atuam no Brasil, não conseguem adquirir estabilidade financeira para uma aposentadoria. O que quero dizer é que quando se aposentam, com seus 35/40 anos, há um leque de opções muito maior para aqueles com um mínimo de estudo, e mesmo para que retome à vida acadêmica de seu gosto.

PS: Um garoto de 15/16/17/18 anos muitas vezes não sabe da importância do estudo em suas vidas, só passam a ter noção disso quando mais velhos e quando não há tempo para "recuperar o estudo perdido". Seria a missão dos pais essa busca pela educação.

Abraço!

Marcelo Nogueira disse...

Concordo com o Bala! A tarefa de "correr atrás" do prejuízo escolar acaba ficando com os atletas e os pais, sempre no final do ano escolar...
Quanto a lista do Germano, a agradável surpresa foi a convocação do "Adrianão" (ex-Paulistano, atual Hebraica). O garoto é alto, forte e determinado! Tem tudo para desencantar!É fruto do ótimo trabalho executado pelos treinadores Cláuber Roder e Denílson Leite na base do Paulistano! Acho que esse time vai dar caldo!!!

Anônimo disse...

Isso aqui e uma piada. O calendario das Americas e diferente do calendario Europeu. O esporte deveria ser praticado nas escolas e nao nos clubes. Se nao treinarem vao tomar uma surra e corneteiros como todos os senhores vao meter o pau porque e uma vergonha isso e aquilo. Enfim, voces tem que se decidir. ahhhh
esqueci, o negocio e falar mal de qualquer coisa.Ja ia ate esquecendo que o Oscar e PHD assim como Marcelo Negrao, Mari, Paula Pequeno,Fabiana,Maureen Maggi e outros tantos mestrandos do nosso esporte.A culpa e realmente da CBB.hahahaha