terça-feira, 3 de março de 2009

A voz da caixinha

Na segunda parte da entrevista do Guilherme, o leitor Joel fez um comentário sobre a mudança no jogo de Marcelinho Machado. Gostei do que ele escreveu, e por isso reproduzo-o aqui. Aliás, sempre que houve um arremesso legal na caixinha ele será colocado em forma de post. Portanto, caprichem na pontaria. Vamos lá:

"Bala, não está na hora de fazer uma matéria com a reviravolta do basquete do Marcelo Machado?O cara já foi considerado ate crazy-shooter por aqui e hoje vendo as estatísticas da NBB eu vi que ele mudou o seu jogo, e pra melhor. O cara alem de ter a melhor eficiência no torneio, ainda lidera não só os 3 pontos convertidos como era de se esperar, mas também os arremessos de 2 pontos com 71% de aproveitamento - na NBA não tem nenhum armador com o percentual melhor do que 60%.
Além disso a mão certeira se faz presente nos lances livres com 91.4% - é o segundo da NBB, e mais uma vez, na NBA ele estaria entre os 5 melhores. Mas o que me chamou mais a atenção foi ver que ele tem 6.1 rebotes, 2 roubadas e 3.4 assistências por jogo e quanto aos erros, ele não está nem entre os 20. Então no máximo ele tem 2 erros por partida, o que já seria incrível já que ele tem uma média de 36 minutos por partida.
O cara está mesmo melhorando com a idade, não é? Acho que se ele continuar assim ele tem mais é que continuar vestindo a amarelinha, fazendo dupla com o Guilherme. Eles dois, Nenê, Varejão, Leandrinho, Splitter, Tavernari, Baby e mais 4", Joel.

---
E aí, amigos do basquete, o que acham?

17 comentários:

Sérgio disse...

Na minha opinião, é louvável o esforço dele em ser um jogador mais completo, como mostra a evolução nos rebotes. Já a média de 2pt "melhor que a NBA", acho que isso se deve mais as fraquíssimas defesas dos times brasileiros que outra coisa. Basta ver que os arremessos do Marcelinho sempre desaparecem quando ele enfrenta defesas mais fortes.

wayand disse...

Bala,

mas ha tempos eu tinha escrito isso. Ele sempre foi um jogador que ajudava nos rebotes e nas assistencias. Algumas vezes, acho que 2, com triplos-duplos. O dia em que ele resolve não forçar bolas e jogar em conjunto, ele dá show. São poucas as vezes, mas...

Juca disse...

Respeito a opiniao do amigo, mas descordo profundamente.
Se ele fosse esse jogador sensacional que foi dito no texto, acho que nao seria um dos jogadores mais odiados no brasil, e estaria jogando em um basket de melhor nivel, ja q nunca chegou a jogar em bons times fora do pais.
Aqui ele joga bem por dois motivos... ele joga em um campeonato de fraquissimo nivel tecnico e a arbitragem no brasil meio que tem ele como cafe com leite, onde ele manda e desmanda.
Eh soh ver oque acontece quando ele joga algum jogo internacional, o rendimento dele com a camisa da selecao deploravel. No territorio NBB foi divulgado um
(otimo) post com os rendimentos dele na selecao, eh de dar pena.
RMas uma vez, respeito a opiniao do amigo e acho que tem todo direito de te-la, mas eu e muiota gente nao ve a hora que esse sujeito se aposente da selecao de vez.
Abracos

Belotts disse...

Não adianta pode ter 7 mil de eficiencia...chega na seleção ele só faz m....

e não tem como discordar....td vez é o mesmo..ahh o Machado melhorou..ahh o Moncho usava ele como defensor...ahh ele ta matando td na lituania...e chega na hora do vamos ver..é a mesma draga....

eu ja desencanei...

abs

Alan disse...

Marcelinho sempre vai ser questionado.

Agora vamos lá:

Sempre quando falam bem do Marcelinho, reclamam do nível fraco do campeonato..

Então porque falam que Alex é o melhor jogador do Brasil??

Onde o Alex se destaca nas estatísticas?

Queria saber que jogador tem um rendimento sensacional na Seleção Brasileira??

Helinho, Rogério?

A galera força um pouco..como se o Marcelinho fosse o grande culpado pelo fracasso da Seleção..

Jones disse...

Fala aí Bala, o Joel falou muito bem
concordo com as palavras dele em alguma coisa!!
acho que o marcelinho pode continuar vestindo a camisa da seleção brasileira, só que tem um problema
ele seria útil vindo do banco!!!
nao acho ele o jogador chave pra começar jogando e ser o capitão, só que pro moncho é ele e mais 11!!!

outra coisa que queria dizer:

incrível o suns, ressurgiu das cinzas???
acho que vão dar trabalho pra muito time e ainda se classificam para os offs!!

abraço

Jones disse...

Fala aí Bala, o Joel falou muito bem
concordo com as palavras dele em alguma coisa!!
acho que o marcelinho pode continuar vestindo a camisa da seleção brasileira, só que tem um problema
ele seria útil vindo do banco!!!
nao acho ele o jogador chave pra começar jogando e ser o capitão, só que pro moncho é ele e mais 11!!!

outra coisa que queria dizer:

incrível o suns, ressurgiu das cinzas???
acho que vão dar trabalho pra muito time e ainda se classificam para os offs!!

abraço

Rafael disse...

Acho o Marcelinho fraco. Em nivel internacional ele some, reclama da arbitragem e esquece de jogar. Na selecao, como sexto homem. Entra tenta meter umas de 3 e sai fora, vale a pena. O problema é que uma "estrela" como ele nao vai querer fazer isso.

Nao tenho acompanhado o basquete da NBB (to nos EUA), mas pelo que vi no paulista e nas ultimas vezes que vi o Flamengo jogar, defesa é algo que inexiste. entao qualquer um que tenha um bom arremesso, faz a festa em terras tupiniquins.

Queria saber também qual seria o quinteto ideal da selecao e o banco? Será que classificamos p/ o mundial? Qual a sua expectativa Bala?

fábio balassiano disse...

rafael, o brasil se classifica sim.
meu quinteto ideal ficaria com huertas, alex, tavernari, splitter e nenê.

abs, fábio

Pedro disse...

Concordo com o Alan, o Marcelinho é sempre tratado como bode expiatório na Seleção. Não é só ele que joga mal com a amarelinha, outros jogadores como Alex e Leandrinho sumiram no Pré de Las Vegas.
E eu que acompanho a NBB posso garantir que o Marcelinho vem selecionando muito melhor os arremessos e sendo decisivo (o jogo contra Bauru é só um exemplo), além de ser disparado o melhor do campeonato.
Pra mim, a maioria das reclamações contra ele não passam de perseguição.

Christian disse...

Marcelinho tem jogado bem no Flamengo e arremessando bem menos que antes, e também não está forçando tanto os arremessos de 3. Também atuou bem nos jogos do Flamengo na Liga das Américas e agora na Sul Americana. Mas não se pode comparar o nivel dele com o de alguns jogadores principais de algumas seleções que estão na NBA, ele tem que participar da seleção fazendo parte do rodízio de jogadores e dentro de planos de jogo definidos coisa que não temos a muito tempo. Aliás ele tem jogado bem melhor que o Alex por exemplo na NBB.

Anônimo disse...

Ele seria um bom reserva pra seleção!

camorais disse...

Parece que o problemas que afetavam seu rendimento, foram transferidos pro Duda...

A verdade é que o pessoal de SP nunca gostou do Marcelinho. Em parte, tinham razão nas críticas. Mas sempre exageraram, como se ele fosse o único culpado por tudo de ruim da seleção.

Carlos disse...

Os paulistas deveriam culpar o verdadeiro culpado: Hélio Rubens..

Sem mais

Luiz Melo disse...

Vamos lá, uma coisa é jogar bem no nosso campeonato local, outra bem diferente é manter esse nível em competições internacionais. É claro que Marcelinho não consegue render pela seleção o quanto rende pelo Flamengo. Aliás, me digam um jogador que esteja atuando no nosso basquete que consiga? Outra coisa é considerá-lo o único culpado pelos fracassos do nosso selecionado. Pode-se acusá-lo de tudo, mas pelo menos ele tem peito de ir lá, dar a cara a tapa e tentar. Se a marcação não permite que ele jogue, até que ponto a culpa é dele e até que ponto é do esquema tático utilizado (por ser previsível ou algo do tipo)? Nós brasileiros temos mania de procurarmos um salvador e quando não o achamos simplesmente passamos a procurar um bode expiatório. Como se a culpa ou o sucesso nosso, e aqui não apenas esportivamente falando mas como nação também, pudesse ser de um único indivíduo. Desse modo parece até que ficamos satisfeitos por podermos afirmar: "A culpa é de fulano, eu não tenho nada a ver com isso." Vamos parar e começar a analisar a situação como um todo, ou vamos manter essa postura que, claramente, não está dando resultados?

Fernando Segura disse...

Acho que sempre o caminho do “meio” é a melhor abordagem para as situações: o Marcelinho não é um Oscar, um Marcel, não é um jogador do primeiro escalão em nível mundial (não é um Ginóbili, um Nowitzki, um Pau Gasol, Tony Parker ou Rakocevic); por outro lado, foi e continua sendo injusto colocar a culpa dos fracassos da seleção em cima dele. Colocam um rótulo e criam um esteriótipo mais ou menos como a “Era Dunga” da seleção de 1990 – desnecessário lembrar a injustiça.

Na minha opinião, o Marcelinho ficou visado porque era um cara que não afinava e arremessava as bolas na seleção – o problema é que o ataque sempre foi previsível, não
criava oportunidades livres de arremesso e invariavelmente sobrava para ele meter um pombo com o relógio estourando (é evidente que ele forçava algumas bolas também). Ele é mais vítima do sistema de jogo (ou da falta de) do que vilão.

Agora, comparar os números dele com a NBA ou Europa é um despropósito, pois nossos campeonatos são de baixíssimo nível. Mas, com a experiência, o Marcelinho vem melhorando, forçando menos bolas e valorizando qualidades que ele têm: principalmente a visão de jogo e habilidade para assistências. É muito útil à seleção ainda. Ainda é um dos poucos jogadores que criam suas próprias oportunidades de arremesso. Para mim, ele tem de fazer parte do grupo de jogadores que devem carregar a seleção nas próximas competições – os “TOP-7” –, junto com Nenê, Splitter, Leandrinho, Varejão, Huertas e Alex.

Anônimo disse...

Ele é amarelo, sempre amarelou...merece a amarelinha! Prefiro investir minhas esperanças no Duda!rsrsrs