quinta-feira, 19 de março de 2009

Alto-falante

"Sou um mala. Tenho de admitir que não faço outra coisa senão reclamar. Depois de um breve exercício de auto-análise, não há outra conclusão.

"Meu primeiro emprego foi numa loja de software. Mas, quando o dono me pediu para varrer o chão em vez de visitar clientes, protestei. Fui demitido, o que me levou a abrir o primeiro negócio.

"Eu tinha um amigo de Indiana que, como eu, morava em Dallas. Nós vivíamos reclamando por não poder acompanhar os jogos dos nossos times. Então, fundamos a AudioNet, que depois viraria a Broadcast.com, para transmitir as partidas pela internet.

"Por isso eu não entendo por que tantas pessoas acham que manifestar descontentamento, fazer demandas, bater o pé, ser um mala enfim, é algo negativo.

"Reclamar é o passo inicial para mudar as coisas. Você percebe que algo está realmente errado e que precisa fazer algo a respeito. Pessoas que não reclamam tornam-se saco de pancadas, são incapazes de influenciar o mundo".

----

Decidi publicar as frases acima, todas de Marc Cuban (escrita em seu blog há quase dois anos), o bilionário dono do Dallas Mavericks, por acreditar que o momento do basquete brasileiro não pode aceitar um "cala a boca" simples, como os que tentam colocar nas caixinhas de comentários por aqui. Estamos mal, muito mal, e, assim como Cuban, acredito que reclamar é o primeiro passo para mudar a situação.

Muita gente tem reclamado que este blog é ranzinza, chato, que as "críticas não vêm em um momento oportuno". Sinceramente não entendo o motivo deste oba-oba (se pela recente e comercial "onda global" no basquete ou por outra coisa parecida), mas eu ainda acho que a modalidade pode, e deve, ser mais bem cuidada por aqui. Por isso, amigos, quando lerem críticas por aqui não entendam como "chatice", mas como uma maneira de querer bem. É só uma questão de percepção.

24 comentários:

Anônimo disse...

Ninguem reclama aqui do seu mau humor ou coisa do tipo.

Todo mundo sabe q vc e o cara que quer vender o papel de "contra o sistema".

Todos querem ouvir criticas, mas elas tem q ser melhor colocadas.

O melhor ex disso e a pagina do Bert.

O basquete feminino ta numa fossa infinitamente maior do que o masculino. Nem por isso ele so fala mal da modalidade. Tambem nao e por isso q ele deixa de fazer as criticas certas nos momentos certos.

fábio balassiano disse...

anônimo, ouso discordar de você.
eu não discordo "por discordar", muito menos por ser "contra o sistema", seja lá o que isso significar.

Aqui ao lado há dois posts de sugestões para a LNB, coisa que não vi em nenhum outro site. E as sugestões foram lidas pelo pessoal da entidade.

Ontem fiz um post sobre os dois bons jogos da rodada.
Elogiei o título do Flamengo.
Fiquei feliz com a campanha do Brasília na liga das américas.
Elogiei o Nezinho, em quem todos jogam pedras.
Canso de parabenizar o Alex pelas suas atitudes.
Não existem "só críticas" portanto.

Eu só acho que o basquete brasileiro está mal. Por isso é natural que existam mais crtícias que elogios, não? Mas sobretudo acho, como diz o cuban, que não existe momento certo para criticar. criticar, por si, é um ato legal (lícito e justo), desde que seja bem funamentado. mas se você falar em momento, vivemos em um bem ruim, não?

mas vou pensar no que você falou sobre "a maneira de colocar" as coisas". obrigado pelo toque. mas saiba que é com o meu amigo bert, que com certeza lerá isso, que converso sempre que escreverei críticas aqui...

abraços, fábio balassiano

Luiz Guilherme disse...

Não cho que dê criticas vazias. Mas sem dúvida há algo sendo feito para tentar mudar o panorâma. O simples fato de conseguirmos um campeonato organizado pelos clubes e forte (em relação a realidade nacional) me diz muitas coisas, se a experiência der certo, conseguimos repatriar alguns bons jogadores e trazer bons jogadores dos países vizinhos (nossa moeda é mais valorizada que a deles). Isso daria fôlego o suficiente para investimento em categorias de base. Acredito que seria um campeonato muito forte se houvesse ainda a participação de mais clubes do tamanho do Flamengo. O vasco já teve um dos melhores times da america do sul. O Corinthias poderia sim montar um belo time. Enfim, a tendência é de melhora, pode ser uma experiência furada, mas não podemos reclamar sem nehuma sugestão de melhora isso sim enfraquece.

Anônimo disse...

entendo o q o bala quer dizer.
acho que ele nao critica por criticar. mas pq quer ver aquilo que ama sendo tratado de boa maneira!

concordo com isso. o basquete brasileiro tem qualidades, mas hoje é pior do que melhor! temos que nos contentar com isso. e criticar para melhorar.

se temos um começo, é apenas um começo.

eriberto-MS

Anônimo disse...

Bala, to com vc nisso. O seu papel esta sendo feito.
Vc bate, mas mostra tb caminhos.

Aio invés de reclamarmos de vc, devemos bater juntos sempre que acharmos certo.

Abs

Alexandre Reis

adriano disse...

é verdade. na situação que o nosso basquete se encontra, não adianta ficar satisfeito com qualquer coisa. eu acho que é um processo e as coisas estão se movendo, mudando aos poucos, não adianta esperarmos que da noite para o dia, passemos a ter um basquete fortíssimo. Mas vc está coberto de razão, não há um "momento oportuno" para críticas; críticas devem ser feitas sempre que houver algo a se criticar.

É natural do ser humano não lidar bem com críticas, ninguém gosta de estar errado ou de ter seu trabalho diminuído, mas tem de se aprender a viver com elas e ver que o crítico não tem a intenção de magoar ou duvidar da possibilidade de dar certo; o crítico quer que dê certo e oferece sua opinião sobre o que falta para isso.

Bala, saber se colocar melhor é parte disso também, como vc mesmo admitiu. É um desafio para todos nós, jornalistas, sempre nos comunicarmos cada vez melhor. Às vezes, suas críticas soam amargas e ranzinzas mesmo, e alguns podem interpretá-las de má fé. Como criticar é uma coisa bastante delicada, tem de se esforçar bastante para colocá-las de forma a não ser confundidas com implicância e má vontade.

De resto, meu conselho é que não se deixe afetar pelas reclamações. Você está fazendo um papel muito necessário e já reúne muitos fãs e leitores. Espero que este seja seu último post "metalinguístico", porque você não deveria perder tempo se defendendo de críticas. Os ataques pessoais e infelizes, ignore; as críticas construtivas, leia, ouça, reflita e guarde para si. De resto, faça o seu trabalho sem se importar se vai incomodar mais do que agradar. Um abraço.

fábio balassiano disse...

show de bola, adriano!
mas esse post foi pra galera refletir mesmo.
a metalinguagem, como existe em "as rosas púrpuras do cairo", eu deixo pras aulas de literatura...
ahahahaa
ao contrário do que parece, sou uma pessoa muito bem humorada!

abraços, fábio.

Henrique disse...

Tem cara muito mala.

Primeiro o cidadão posta em anonimo.

MEDO ??? Que piada. Seja homem e dê a cara pra bater.

Ou nem isso é possível devido os rabos presos no basquete ?


Basquetebol brasileiro é um lixo.
Me desculpem mas o Fábio está mais do que certo criticando e apontando caminhos.

Melhor do que os idiotas de plantão que não fazem nada pela modalidade e se vangloriam de fazer qualquer coisa.

Mentalidade pequena e resultados ridiculos.

Fábio está certo em criticar e aplaudir quando se deve.

Ele, o Rodrigo Alves, o pessoal do Draft Brasil, enfim, todos que podem e tem COMPETÊNCIA para fazer as críticas.

Quem dera se gente assim estivesse no basquetebol brasleiro ajudando a ser melhor orientado.

Mas enquanto isso, alguns postam anonimos, como o cara do primeiro comentário e ainda tem a cara de pau de falr que o cara é contra o sistema ?

Que sistema ? O falido sistema do basquetebol brasileiro ?


Abraços Fábio e continue a sua jornada. Sozinho não está e quem tem o minimo de inteligencia sabe entender o que voce preza com seu blog.

Anônimo disse...

Sr Henrique,
Vc me parece o bonzão da turma.
Ao invés de jogar pedra por jogar, por que não faz algo útil pró Basquete Nacional,sai fora Mane.
Por que não debate de igual para igual com a galera.Sugerindo.
Caras como vc que não possui argumentação e conhecimento da causa e que estão estragando o basquete.
Vc , metido a Charles Barkley da literatura.
Da onde vc e?
Quem e vc?algum pivô frustado das categorias de base.

Bert disse...

Citaram meu nome aqui como "bom exemplo", mas não é assim que eu entendo o que eu faço.

Realmente, mantenho o meu blog num período em que o basquete feminino não teve conquistas internacionais expressivas.

Mas o caso (ou a loucura) de quem mantém um blog como eu ou o Fábio não é simplesmente o bom ou mau momento da modalidade. É realmente amor a ela.

Se vivêssemos de bons momentos, ou de 'booms', estaríamos no futebol. Ou no máximo, no vôlei.

Também não acho que seja uma questão de ser "contra o sistema". Se essa fosse a intenção, melhor escolher algo mais relevante que o "sistema do basquete".

O que quero dizer é que da mesma maneira que essas pedradas e calas-bocas chegam às caixinha aqui, elas também me perseguem lá no blog.

Há sempre os que adoram dizer que sou "corneteiro" ou quem sabe "fofoqueiro". Ou duvidar das intenções das minhas preferências.

Acho que faz parte do jogo.

Eu tenho a consciência tranquila de tudo o que eu fiz nesse período foi buscando o bem desse esporte.

Tenho certeza que com o Bala, que é um dos meus grandes amigos, o mesmo acontece.

Não esquenta com isso, Bala. Concentre-se no prazer de escrever e de acompanhar o (bom) basquete. Porque sempre vai ter um maluco gritando: "Toca Raul!". Hahahhaa.

Já falei demais.

Abraço.

Carlos Alex Soares disse...

Fábio,

nem li os comentários, vim direto escrever: pra cima deles!!! O basquete brasileiro é mais que esse povo que usa o discurso da "paz" para calar os que são de vanguarda. Tem que denunciar maus gestores, tem que questionar ações, tem que sugerir mudanças,tem que criticar a qualidade do jogo, citando exemplos e questionando os por ques de tanta dificuldade em construir um basquete sólido e duradouro - somos 180 milhões e devíamos tirar 100 times de ponta e mal conseguimos tirar uma seleção capaz de ganhar da argentina, com míseros 20 milhões de habitantes. Isso foi dito pelo próprio técnico da seleção.

Enfim, concordo com a auto-definição do Mr. Cuban, pois me sinto contemplado por elas. Continuarei sendo chato e espero ter a tua companhia, de Paulo Murilo e outros blogueiros para vermos, ainda nessa vida, o basquete brasileiro grande, internacionamente e internamente, para o nosso povo. Por quê? Simplesmente é um esporte magnífico, não aceito deixar nas mãos dos maus sem lutar...

Fábio_Fortal disse...

Pô Xará, tá na hora de parar de ler Marx, Engels e demais coisas do gênero! "Ser contra o sistema" é algo muito pesado (para não dizer cômico). Ah, Anônimo, também me chamo Fábio, e se a tua noção de "sistema" for CBB (tendo Grego como manda-chuva), também sou mais um "revoltado (sem causa?!)".
Bola pra frente Bala!

Henrique disse...

Anônimo, me pergunto quem é você.

Escondido atrás de posts ?

Não é homem para dar seu nome e vir aqui colocar a cara pra bater.

Então meu caro ... quando virar homem de verdade venha discutir quem eu sou o que eu faço ou deixo de fazer.

Enquanto isso ... fique escondido mesmo atrás de posts anônimos.

Osama_Lakers disse...

Bala, criticar faz parte da profissão de um comunicador sério, como todos sabemos. Elogiar e sugerir caminhos, também. Vc faz tudo isso, e com muita competência por sinal - assim, como vários já disseram, vá em frente com a caravana e não se preocupe com o pessoal reclamante.
1 abraço,

lisangelo disse...

Manda ver Bala.
O basquete brasileiro tem muita coisa a ser feita ate voltar ao lugar que merece. O que esta sendo feito ate agora, com a Liga é elogiavel mas eh o minimo dos minimos.
Nao vamos esquecer a eleicao vindoura pra ver no que vai dar...

Anônimo disse...

Balassiano,
seu blog é um dos mais politizados do basket brasileiro, falando sem medo e sem amarras com ninguém.
Precisamos ir fundo no que realmente tem afetado nosso basket e dizer que o surgimento de uma liga é a solução de tudo, é muito precipitado. Lembrem q a nova liga não tem um departamento de marketing, nem patrocinador e alguns dos seus fundadores ajudaram a implodir a NLB com o Grego. Por que falar isso agora?
Porque apesar de parecer que tudo vai de vento em popa, com alguns paliativos sendo utilizados, o risco da mesmicie administrativa, do improviso, continua a incorrer no basket brasileiro e pergunta-se: Até quando a Globo vai bancar esse amadorismo descabido? a paciência deles é curta.
Por isso mesmo, se as coisas começaram a mudar, precisamos continuar vigilantes e pessoas como eu, que vivem do basket só tem a agradecer a jornalistas como vc Fábio.
Parabéns!
Chiaretto Costa

Henrique disse...

Até quando a Globo vai bancar esse amadorismo descabido? a paciência deles é curta.


_______

Boa dúvida. Até quando ?



E para finalizar pro tal "anonimo"
eu sou frustrado mesmo.

Frstrado por não ver a seleção do meu País jogar uma Olimpiada neste novo milênio.

Frustrado por não ver a seleção do meu País se quer chegar perto de uma boa posição no Mundial.

Frustrado por não ver NENHUM MOVIMENTO em prol da massificação do basquetebol no país.

Mas o tal "anonimo" deve ser o gênio do basquetebol brasileiro.

Em terra de cego, quem um olho é rei não é mesmo ?

Passar bem.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Henrique disse...

Caro Anonimo ... primeiro não me chame de Barkley, tenho nome, diferente de você idiota.

Segundo, você deve ser quem ?

Oscar ?!?!


Terceiro, faça você algo meu companheiro, saia de trás no anonimo e poste teu nome ?!?!

Medo !?!?

Vai virar piada se postar ?!!?

Agregado da CBB !?!?

Enfim .. eu creio que sim.

Te chamarei de:

"Ovelinha da CBB"

E continue enterrando o nosso basquete ovelinha ...

Anônimo disse...

Censura!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Caro Charles Barcley da literatura.
Vc não consegue nem diferenciar a gestão do Grego com a importancia de uma instituicao como a CBB.
Sua agressividade escrita se parece muito com a censura imposta pelo dono do site.
Adeus Fabinho
Ovelinha

Henrique, o unico!!!!!! disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Russo disse...

assim nao da e ditadura mesmo. colocaram um comentario aqui sem um palavrao, muito bem escrito, mas como ia de encontro com o MALA, ele tirou.
piada mesmo, so pra mostrar que esse blog nao e serio..