quinta-feira, 5 de março de 2009

A resposta de Paulo Bassul

A respeito da dúvida de ontem, lançada no blog e não respondida pela CBB, fui consultar Paulo Bassul (foto), que não fugiu da raia para responder a um assunto absolutamente básico e pertinente para o andamento da modalidade. Segue a resposta do treinador da seleção feminina, sempre honesto com este blogueiro aqui:

"Oi, Fábio, só recebo alguma coisa da CBB no período efetivo de treinos e jogos, ou seja, de 2 a 4 meses por ano, mais nada. Quanto ao acompanhamento, tento fazer o que é possível acompanhando estatísticas, assistindo jogos transmitidos, e, quando é possível, comparecendo aos jogos que tenham mais relevância para a seleção".

Agora, uma pergunta se faz necessária: se Moncho Monsalve, cujo contrato deve ser idêntico ao de Paulo Bassul, viajou recentemente para encontrar os brasileiros da NBA, por que a CBB não faz o mesmo com o treinador da seleção feminina? Será que não valeria a pena fazer com que Paulo Bassul, sem clube para treinar no país, acompanhasse Franciele, Érika, Adrianinha, Kelly, Bibiano, Clarissa, Beling, entre outras, em seus clubes no velho mundo ou, quem sabe, deixar com que ele participasse de clínicas para treinadores nos EUA?

12 comentários:

Anônimo disse...

A CBB tem obrigação de dar um tratamento especial para o Paulo Bassul.São poucos treinadores que estudam o basquete feminino com tanta seriedade como esse grande profissional.A CBB deveria ter vergonha de não dar o mesmo tratamento para o Paulo Bassul ,pois ele com certeza nao deve receber nada da seleção enquanto não esta treinando a mesma , e mesmo assim esta lá fazendo pesquisa ,visitando ginásios para observar o andamento e os talentos que aparecem.Será que a CBB não se envergonha de colaborar para a decadencia do basquete feminino que é muito mais dificil de fazer do que o masculino e pagar somente para o Moncho fazer pesquisa em outros paise?.o Feminino merece respeito ,o Paulo Bassul tem que ser valorizado ou sera que tudo que ele faz e fez no basquete nao tem importãncia.Ele foi o unico técnico com peito de barrar uma atleta indiciplinada para manter a moral e a a seriedade que o feminino merece.Vamos valorizar quem merece .Abre o olho CBB que alem das atletas vcs vao acabar perdendo os grandes treinadores que ainda sobram aqui no Brasil.

Marcelo disse...

Pelo teor da fala do Bassul, parece que ele recebe uma espécie de ajuda de custo, nem salário, porque esse “alguma coisa” da frase não me dá a impressão de um pomposo ordenado durante os meses que ele efetivamente trabalha para a CBB. Espero que só seja impressão minha mesmo, e que eu esteja totalmente equivocado, porque a declaração do Bassul dá margem a pensar que ele recebe umas migalhas da Confederação.

Henrique disse...

E depois ainda questionam como vamos nos torneios ... se nem os tecnicos tem respaldo da cbb(aff)


Putz, Bassul é sério, estudioso e não tem o valor dele reconhecido por quem o emprega ??

Complicado.

Wanilson G.S.Junior disse...

Eu acho que o Bassul merece todo respeito...
Inclusive acho que ele merecia treinar um clube. Para ele se manter. Imagina só...
Você não ter um salário no final do mês, e ainda ter que se preocupar em estudar e visitar atletas ??
Isso é fora do normal. Depois cobram dele...
A CBB desvaloriza a seleção feminina. Logo elas que trazem os melhores resultados.

Giuliano disse...

Que lindo... esse é o profissionalismo da CBB. Inacreditável que um técnico do gabarito do Bassul se proponha a isso.
Agora, eu sinceramente não duvido que o contrato do Moncho seja diferente, dado o fato de que a CBB trata muito melhor o masculino que o feminino.
Belo trabalho, Bala!

Anônimo disse...

Grego vai ficar mais 4 anos gente!!! rsrs
Abraço
Ricardo/MS

Anônimo disse...

"deixar com que ele participasse de clínicas para treinadores nos EUA?"
deixar não, mandar!!

Anônimo disse...

coisa mais triste de se ler isso... primeiro, a CBB não responde nem para dizer que "é assunto confidencial" (o que não é, mas poderiam tentar essa desculpa esfarrapada), depois o Bassul responde e todo mundo (até a avó do Badanha) entende que há diferença de tratamento. HELLLOOOO!!!! CBB!!!! O basquete feminino é que tem se classificado para os torneios internacionais e Olimpíadas, sabia CBB? Quem sabe vc dá mais apoio ou (ao menos) o mesmo tratamento e salário para as 2 seleções e seus corpos técnicos? Ou isso tudo é um mal-entendido e fantasia de nossas cabeças pervertidas? Por favor, CBB, esclareça...

Anônimo disse...

A cbb tinha que pedir desculpa ao Paulo Bassul e começar agir diferente apoiando os projetos desse grande treinador .CBB esta igual a politica,entra dinheiro mas ninguem viu ninguem sabe mas a conta de alguem esta engordando,pois os pobres atletas que se prestam ainda a defender a camisa verde amarela continuam levando a culpa juntamente com seu treinador.E ainda falam em jogar por amor a seleção ,Que seleção ?Que nem os proprios dirigentes sabem o que é isso?Meu Deus ,acorda CBB ou vcs abrem os olhos para o basquete ou vamos afundar e para subir colega ...não quero nem pensar nisso.

joão sp disse...

amigos ele plantou e está colhendo sei que nao justifica ,as é dessa forma que é o nosso basquete, foça bassul sabemos que vc vai conceguir um time pra treinar .....

Anônimo disse...

A CBB tem que parar de trazer gente de fora e gastar o nosso dinheiro quando é que eles vao aprender que no Brasil temos gente boa Paulo Bassul no feminino e Hélio Rubens que por causa de picuinhas a CBB coloca o basquete em Risco.CBB acorda estamos cheios de ver a merdas que vcs sempre fazerm e ficar por isso mesmo .E vcs tambem recebem so em epoca de campeonatos,mundiais,pan...?conta outra ,pois vcs nadam no dinheiro dos atletas e ai vão responder ou não a pergunta do nosso amigo sobre o salario dos tecnicos ?Ja deu para pensar numa nova desculpa agente acreditar é que vai ser o problema

Anônimo disse...

O bassul nao é obrigado a ser o tecnico da selecao... se esta tao ruim assim.. arranja outro emprego...