quinta-feira, 19 de março de 2009

Para onde vamos

Não vou comentar o critério para a seleção dos atletas para o Jogo das Estrelas porque cada liga tem a sua característica, e eu respeito. Mas o que dá para comentar, sinceramente, é que a qualidade técnica da competição, já dita até pelo "comissioner" Kouros neste blog, é ruim, muito ruim.

Além disso, um fator chama a atenção: dos 20 previamente selecionados, apenas um tem menos de 24 anos - o armador Felipinho, do CETAF. E aí é que é preciso pensar e refletir sobre a qualidade do basquete praticado neste cantinho do planeta, e, principalmente, a quantas andam as nossas categorias de base.

Se é difícil imaginar um Jogo das Estrelas da LNB, simplesmente porque não há estrelas atuando neste pobre basquete brasileiro, fica ainda mais complicado sonhar com o nascimento delas em um futuro próximo. O gringo Williams, que teve 14,5% dos votos, tem 33 anos. A mesma idade tem Marcelinho Machado, o segundo mais votado com 26,5% e mais eficiente atleta do NBB. Fica difícil acreditar em renovação assim.

7 comentários:

André disse...

Concordo plenamente com vc fabio.... genero numero e grau.
Abracos a todos

Bruno disse...

Fábio, você tem razão nas suas afirmativas.

No entretanto, acho que seria melhor do que fazer esta crítica agora, utilizar um enfoque mais positivo, lembrando que tivemos campeonatos brasileiros ridículos nos últimos anos e, somente o fato de termos um brasileiro unificado, anda mais com jogo das estrelas, ainda que incipiente, já é motivo de muita comemoração.

E quanto a renovação, acho que ele eiste, de leve, mas existe:existem alguns jovens valores no Brasil e outros no exterior.Não são muitos ou mesmo um número razoável, mas existem, só acho que agora, para promover a Liga e o renascimento do basquete no Brasil, pode ser uma boa apostar em jogdores mais experientes e mais reconhecidos pelo público, como Marcelinho,Baby,etc.

Não discordo das suas críticas, só acho que o momento não foi o melhor.

De qualquer forma, continue o ótimo trabalho no blog.

Anônimo disse...

fala fabio
temos muitos talentos ate 24 anos
só que estão fora do brasil

Henrique disse...

O mesmo papo de sempre do basquete.

Por que só mostram fatos NEGATIVOS ?


Porra, porque ninguem é coligado com ninguem para falar que tudo é BONITINHO e LINDO, sendo que está longe de ser a realidade.


Qual os nossos jogadores jovens excelentes ????

Huertas ? Que vai fazer 26 anos ?
Nene, Varejao, Leandrinho ?
todos com a idade similar ??

Tirando o Splitter, Tavernari, Paulão, Faverani, um ou outro podem ser bons jogadores.

A maioria também não da conta no nivel internacional.

Adendo:

Nacional tem quantos jogadores com menos de 23 anos que estão nas rotações e jogam pelo menos 15 minutos por noite ?


Não dá .. All Sta Game com Manteiguiha, Olivinha, Jefferson.
É piada mesmo.

Anônimo disse...

Oi Henrique,

A bronca de todo mundo é só pq o Fabio tá falando algo que todo mundo já sabe.

Depois de um seculo de NBB ele descobre que so tem velho jogando?

Ng esta dizendo aqui só tem revelação no basquete coisas desse tipo.

Agora, so pq ta na Globo nao pode falar bem? Nao pode falar q o publico ta indo e gostando?

Engracado e q eu descobri esse blog por causa da Globo...que coisa, hein?

Seria legal se ele desse umas sugestoes sobre como diminuir a media de idade do campeonato e coisas do tipo.

Criticar so por criticar e coisa de petista chato...

Anônimo disse...

O fato mais interessante é que os jovens talentos preferem ir para o exterior melhorar literalmente seu jogo pois os técnicos daqui não dão conta.

Abraço,
Ricardo/MS

Henrique disse...

Ao anonimo que me respondeu.

Primeiro de tudo, eu sou contrário o post em anonimo. É muito ruim não saber com quem fala. Mas vamos lá.


A exigência de usar 1,2,10 jogadores juvenis não adiantaria também.

Se o nível dos jogadores mais novos é fraco, tanto faz. Seria ainda pior o nível do torneio.

O que vale sim .. é coinciliar o nosso péssimo nível técnico com atitudes como:

Cada franquia/clube TEM QUE TER equipes pelo menos do cadete pra cima. Mante-las e disputarem competições.

Cada franquia/clube que joga o Brasileiro tem que pagar pelo menos uma clínica por semestre para todos seus técnicos das categorias de base mesmo que seja na Argentina, onde o jogo é mais desenvolvido.

Ou seja, algo como investimento de verdade na base e na melhora de quem faz o basquetebol lá embaixo.


Não adianta os caras chegarem no nivel que chegam ..

Mas as desculpas dos outros ja estão preparadas e infelizmente sabemos todas de cor.