sábado, 4 de setembro de 2010

Revés

Foi horrível a apresentação da seleção feminina na noite de hoje em Barueri. Não pelo resultado, que foi ruim (derrota para um time de Cuba novo, desfigurado e que nem vai ao Mundial por 79-73), mas pelo que o time de Carlos Colinas (não) apresentou em quadra.

Os números não dizem, mas a seleção foi muito mal no ataque (sem fluidez, com pouca troca de passes e péssimo espaçamento entre as atletas). Mas a defesa conseguiu ser pior. Levou 22 pontos de Gelis e outros 18 de Noblet com uma passividade assustadora. Se isso não bastasse, as horríveis rotações (Palmira errou em todas) geraram colossais 31 lances-lives das cubanas.

De positivo, para ser justo, ficam as boas atuações de Karen (foto), que parece mais "solta" com a camisa da seleção (13 pontos e três assistências) e da jovem Tássia, que anotou sete pontos em 11 minutos. O resto...

Para terminar, uma perguntinha que sempre se repete: alguém pode me dizer por que diabos ninguém consegue colocar a pivô Kelly em forma? Mais uma vez ela está gordinha, gordinha.

Como se vê, o time feminino precisa melhorar demais. É óbvio que Iziane e Érika vêm aí, mas é muito pouco para quem, como Hortência costuma dizer, pretende ficar entre os quatro do mundo.

15 comentários:

Sta. Ignorância disse...

As jogadoras deveriam ter um pouco mais de responsabilidade. É tão dificil ter amistosos no Brasil, ainda mais televisionado, e quando tem elas entram em quadra "desconcentradas", como disse a Alessandra.

Espero que amanhã a postura seja diferente, senão vai ficar dificil levantar a seleção feminina, ainda mais agora que a menina dos olhos da CBB e da mídia está indo bem na Turquia.

Anônimo disse...

Fabio,perfeito o seu comentario do
jogo.Infelismente a Hortencia não
escolheu certo.O Colinas pode ser
bom la na Espanha porque aqui......
As meninas estão perdidas na quadra.O time não tem proposta nem
ofensiva e muito menos defensiva.
Ficou nitido nos pedidos de tempo
que ninguem entende nada do que
ele fala.Seria melhor passar o bastão para o Tarallo porque a
Janeth tambem não tem perfil para
ser técnica.Não tem o principal:
carisma e isso o Tarallo tem de
sobra. Fora Colinas,volte para a
Espanha e va trabalhar com a base.

Ana Clara disse...

Além do jogo horroroso que as meninas apresentaram, o uniforme (de homem) deixa a aparência das mesmas PESSIMAS. Tinhamos avançado nesta questão com o macaquinho, mas retrocedemos no tempo com este uniforme horroroso...Kelly parece uma ELEFANTA com aquela roupa. Um horror!!!!

ltb_btl13 disse...

Concordo... até o uniforme de Pequim era melhor que este: a camiseta mais uma bermuda de lycra. Este short, de homem mesmo, como a Ana Clara coloca, fica desajeitado e esteticamente muito feio...

Na minha opinião volta aquela discussão que existiu no futebol feminino: atletas masculinizadas fazem o patrocinador se afastar. Entendo que tudo isto é "estereotipo construido culturalmente" mas de qualquer forma a roupa grande e desajeitada até atrapalha nossas atletas.

Anônimo disse...

Bla Bla Bla.... o time não tem padrão de jogo e ficamos discutindo os uniformes!!!!
A Iziane vai deitar e rolar, e ainda vai enfiar o dedo na cara das outras meninas e da comissão!!!!
Jogo horroroso!!!!!

A Paulista

Sta. Ignorância disse...

Tarallo "carismático" na seleção adulta... parei.

Anônimo disse...

Sem padrão de jogo, sem jogadas à cesta, sem defesa e com uniforme de HOMEM... hahahaha!!!!!

Ainda por cima pagaram um mico ferrenho, pois a Hortência trouxe ao ginásio Magic Paula, Marta, Vania Hernandez, Maurren Magi...todas assistiram ao Show de horrores da seleção do Brasil... rsrs.

Anônimo disse...

Na minha opinião fizeram rotações desnecessárias demais... Helen a principio foi convocada como armadora (tendo em vista o corte da Nathália), mas chegou a entrar na posição 2 - desnecessário. Kelly a principio uma ELEFANTA - como citaram - entrou bem e poderia ter jogado mais tempo... mas no momento decisivo do jogo colocaram em quadra Damiris e Tássia (que teve uma bola roubada da Cubana).

Será que com este tempo todo de treinos o Collinas não conhece as jogadoras?

marcelo marques disse...

micaela e palmira

a primeira dese pequim a outra desde sempre

é mais ou menos o q ocorre no masculino com a convocação de nezinho


jogadores nota 1,2 ou num bom dia 3 não são jogadores de seleção

por que insistir?

Anônimo disse...

Gostei muito do primeiro tempo de jogo, o Brasil jogava solto, foi para o intervalo com 13 pontos de vantagem e permitindo menos de 30 pontos de Cuba que jogava duro.

No segundo tempo a coisa desandou.

Pelo que percebi o Colinas estava preocupado em dá jogo principalmente para as jovens. Damiris, Tássia e Fran tiveram bastante tempo de quadra, as veteranas menos.

Lógico que uma derrota nunca é boa, mas fiquei empolgado com o que vi no primeiro tempo. Empolgado e confiante em uma grande participação no mundial.

Leonardo Rodrigues

Anônimo disse...

Quanto ao técnico.

O estrangeiro tem visão bastante diferente da nossa. Amistoso tem como objetivo fazer experiências, a vitória é consequência.

DUVIDO que algum técnico brasileiro tivesse coragem de bancar Damiris e Tássia na seleção, sem esquecer da Nádia que estava atuando com assiduidade até se machucar. Só por essa "audácia", já seria um acerto. Nem estou levando em consideração aos resultados que a seleção vinha apresentando até esse jogo fatídico.

Leonardo Rodrigues

Paulinho disse...

Odiei a partida contra Cuba!

Depois de tanto tempo treinando a seleção brasileira, esse treinador não conseguiu imprimir nenhum tipo de padrão de jogo.
Os lances são definidos na base do individualismo.
E as rotações? O que é aquilo?
Rotações mecânicas, típicas de quem não conhece as atletas e não deve conhecer mesmo, pois não veio ao Brasil ver os jogos do Campeonato Paulista.
O cúmulo do absurdo e do amadorismo foi o cara tirar Helen e Franciele, que estavam decidindo a partida nos momentos finais para por duas meninas de 18 anos em quadra.
Óbvio que elas sentiram a responsa e cometaram erros infantis nos momentos cruciais.
Totalmente desnecessário.
Deu a entender que as rotações acontecem independente do que está acontecendo em quadra. Ridículo e totalmente sem propóstito. Amador esse Colinas!

Anônimo disse...

Eu nem diria amador,acho que ele está mais para impostor.Ridiculo.Esse cara não sabe nada do basquete brasileiro
A dona Hortencia vai ter que responder pela escolha equivocada,
sem pé e nem cabeça.Fora espanhol
ruim.Fora cabeça de bagre

Anônimo disse...

Mas vcs não entenderam ainda que a chegada deste técnico foi apenas para resgatar a Iziane para a seleção... infelizmente a cabeça da Hortência é pequena no aspecto "tecnico fazer a diferença". Nos anos que a mesma jogou na seleção e em clubes ela e Paula mandavam nas equipes... daí ela acha que a Iziane terá de fazer o que ela fazia no passado pra poder trazer o basquete feminino de volta a elite mundial.

Anônimo disse...

Hahaha... rindo muito com a "elefanta Kelly" e com o "uniforme de homem" da seleção feminina...