quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A dor da eliminação

Vamos lá, pessoal. Consegui escrever algumas linhas sobre a eliminação brasileira no Mundial - agora de cabeça fria. Divido em três partes para facilitar o entendimento.

O JOGO
a) Sergio Hernandez deu um nó em Rubén Magnano. A frase de Prigioni ("Huertas poderia pontuar o quanto quisesse, desde que não colocasse Splitter e Varejão em jogo") é sintomática. O objetivo era simples: Luis Scola. Ele foi brilhante no ataque simplesmente porque "descansou" na defesa (uma falta e 11 chutes combinados entre Splitter/Varejão).
b) Huertas foi brilhante na pontuação, mas o Brasil deu apenas 10 assistências (17 dos rivais). A Argentina migrou toda a marcação para o garrafão, deixando o perímetro mais solto. Quando o jogo apertou, Leandrinho (alguma surpresa?) tomou decisões erradas - e os hermanos cresceram. Ponto para Hernandez mais uma vez.
c) Magnano errou em outras ocasiões: ao não manter Marcelinho Machado no final e ao permitir que Jasen, que até ontem havia anotado apenas 17 pontos na competição, terminasse o jogo com 15. Para um jogo de eliminação, foram equívocos demais.
d) Por fim, uma perguntinha: se todo mundo sabia que Scola poderia decidir o jogo, por que diabos o técnico brasileiro não dobrou, ou triplicou, a marcação em cima dele? Nos últimos três minutos, o ala anotou dez pontos para a Argentina. A tão falada boa defesa brasileira ruiu completamente. Os corta-luzes argentinos, simples e sem mistério, não tiveram resposta brazuca.

O MUNDIAL
a) O Brasil fez um Mundial regular, e sinceramente termina no lugar em que se encontra no cenário mundial. As oito seleções classificadas às quartas-de-final (Turquia pode ser a exceção) fazem parte da elite. O Brasil, ainda não.
b) Todo mundo sabia que as decisões seriam contra Eslovênia e Croácia. Com uma derrota, o confronto contra a Argentina foi antecipado, e todos sabiam o que poderia acontecer - e aconteceu.

O FUTURO
a) Conforme coloquei aqui semana passada, a seleção precisa aprender a vencer partidas difíceis. Em jogos disputados (seis pontos ou menos), são oito derrotas em oito partidas. Algo precisa ser feito, não? Um psicólogo cairia bem.
b) Acho a ideia de "começar tudo do zero" um tanto quanto absurda. É necessário corrigir os erros, mudar algumas coisas, mas se a cada derrota for necessário "modificar tudo", nunca se chegará a lugar algum. Nem um campeão olímpico começa a trabalhar e coloca um time entre os quatro do mundo do dia para a noite. O argentino precisa de tempo.
c) Por fim, fica a pergunta: essa geração será vencedora algum dia? Temo que, com um enorme talento, este grupo de atletas seja lembrado mais pelos fracassos do que por suas conquistas.

50 comentários:

Anônimo disse...

não concordo que falem mal do leandrinho, o cara é muito bom! só que não tava entrosado com os pivos!

o lance que ele perde a bola, tava sendo marcado por 2 e não tiha ninguem ajudando!

o pior foi nosso técnico, nas substituições! a argentina teve muito sorte fora a arbitragem!

Anônimo disse...

Não vi nó tático nenhum. Os caras tinham o time melhor e o mais entrosado.

Anônimo disse...

O melhor comentário que li até agora sobre os resultados do mundial está aqui: http://www.draftbrasil.net/turquia2010/a-dor-da-derrota/
Acreditar nas palavras "ciumentas" do Prigioni, que foram ditas para justificar o destaque do armador brasileiro em relação a ele é pura ingenuidade. Nó tático???? que mundo vc vive? onde aprendeu sobre basquete???

Anônimo disse...

Bom texto Bala,

Discordo apenas de uma parte

c) Por fim, fica a pergunta: essa geração será vencedora algum dia? Temo que, com um enorme talento, este grupo de atletas seja lembrado mais pelos fracassos do que por suas conquistas.

Quais conquistas bala? Não vale falar Pan e Sul-Americano!

Abraços, Gustavo.

fake1993 disse...

É triste, mas fiquei um pouco com essa impressão mesmo: pontuadores brasileiros foram basicamente Huertas e Leandrinho, sendo que o segundo tomou algumas decisões meio forçadas (chutou umas 4 bolas de três de muito longe meio forçadas embora tenham caído 2 e duas infiltrações contra o time adversário inteiro)

O Leandrinho é o novo crazy shooter, que o Magnano vai ter que domar e assim que ele conseguir o Brasil vai ganhar um cara consistente e efetivo tal qual o Machado se tornou.

No muundial comvenhamos que não demos sorte nem no sorteio dos grupos, caímos no grupo mais enrolado e ainda assim fizemos bonito fazendo dois dos melhores jogos do campeonato (xARG e xEUA) e essa derrota vai amargar por hoje, mas vai dar ainda mais gás pro próximo campeonato.

Paulinho disse...

Com o desfalque do Nenê, Varejão jogando no sacrifício, mais a lesão do Splitter na partida contra a Eslovênia, nosso garrafão perdeu toda a sua força.

Fica complicado ir mais longe, com tantos problemas. Para passar pela Argentina, teria que dar tudo certo.

Infelizmente não foi dessa vez, agora é planejar melhor para a próxima competição e avaliar todo o trabalho realizado para corrigir as falhas, com atenção especial ao trabalho de preparação física, quem sabe na próxima competição, o número de contusões ocorridas durante o treinamento seja menor.

fábio balassiano disse...

gustavo, digo isso se as conquistas vierem, claro.

abs

Luiz Fernando Paes disse...

por que o Splitter não começou de titular?

vejo pela primeira vez alguém falando em lesão do Splitter contra a Eslovênia, houve isso?

por que jogamos tão pouco com ele no ataque? quando a bola chegou houveram três ou quatro boas jogadas ..

me espantou ver tão poucas jogadas em dupla de Huertas/Splitter, corta-luzes básicos .. jogadas simples .. onde foram parar?

Luiz Fernando Paes disse...

li vários textos do jogo de ontem e esse seu tem um trecho que resume de modo simples e direto o que foi o jogo ..

faltando 3 min, a hora do "vamovê", Prigioni e Scola fizeram jogadas simples, e marcamos mal, dobramos no armador e o Scola meteu as bolas todas ...

aí quando fomos ao ataque, em nenhuma vez fizemos algo parecido com o Splitter ...

aí já era ... simples assim ..

Anônimo disse...

Bala, concordo com você em algumas coisas, porém discordo em outras.
Como disse o anônimo aí de cima, o Prigioni parecia muito mais "ciumento" pela partida feita pelo Huertas do que realmente analisando o jogo. Porque o Huertas teve um aproveitamento fantástico, converteu quase todos os pontos que tentou, portanto, acho que não tem fundamento esse comentário do Prigioni. Se fosse o Splitter ou o Leandrinho que tentassem os pontos e convertessem da mesma forma que o Huertas fez, logicamente que seria a mesma coisa. Não acredito que o Scola tenha feito os seus 37 pontos por ter descansado na defesa. Ele fez esses tantos pontos pela defesa burra, infantil, do Anderson. Como é possível o Anderson ajudar na marcação do Prigioni, quando era feito o Pick and Roll, sabendo que todas as bolas seriam passadas para o Scola? Isso, confesso que não entendi mesmo!!! O que você acha sobre isso Bala?
Abraço!

Anônimo disse...

Bom, vejo duas coisas aqui. Um time Ideal, ou seja completo, bem treinado e entrosado, e um time real, treinado, mais ou menos entrosado e incompleto. Se levarmos em consideração o time ideal, (Nenê em forma e entrosado com um Huertas, Splitter e Varejão também em forma) poderíamos sim, bater essa Argentina que jogou contra nós. O problema é que eles também não levaram o time ideal deles, assim como os Estados Unidos e Espanha também não tiveram. Então, não estamos analisando o Brasil ideal, e o que seria do mundial se todos os times tivessem levado seus times ideais ( e teríamos menos chance se isso ocorresse) No exercício da análise do time real, evoluímos, isso é obóvio. Estávamos num posso sem fundo, só faltava jogar a terra em cima. E veja só, agora, não estamos mais reclamando da desorganização, da falta de preparo, ou do fato dos jogadores terem se recusado a entrar em quadra, ou nem se apresentarem para convocação porque a seleção está uma bagunça. Estamos falando de um time que foi derrotado porque um outro técnico se preocupou em fazer um esquema tático, para que? Para parar o nosso esquema tático. Veja bem, o Brasil foi para um mundial com um esquema tático que foi respeitado pelo adversário, e exigiu o melhor deles. Tá, não somos a liga norte americana de basquete, nem mesmo a europeia ou a argentina. Mas o que vejo é, se o poço não tinha fundo, pelo menos agora sabemos o quão fundo estavamos e ao invés de cavar, estamos começando a escalar.

Heverton Elias

fábio balassiano disse...

erro de marcação, anônimo.
ninguém pode "pagar" pro scola.
se ele faz o pick, vc não sai nele, simples. fica no cara, não desiste dele. ou roda a defesa depois do pick.

dá uma olhada nisso no youtube. há boas aulas do calipari, phil jackson e coach k sobre isso.

a seleção pecou demais nisso. o único que vi comentando isso na tv foi o gustavo de conti, na bandsports.

abs, fábio.

Paulinho disse...

Luiz Fernando,


Saiu uma reportagem hoje no UOL revelando que o Splitter sofreu uma contusão na partida contra a Eslovênia e por isso estava sendo poupado nos treinos e jogos.

Não foi dessa vez!

Anônimo disse...

Enxerguei a mesma partida que você.
Concordo sobre o nível do time brasileiro hoje em ambito mundial e sobre o futuro do basquete brasileiro.
Lembrando que a Argentina veio sem Ginobili e Nocioni e Olberto jogou também no sacrifício.
Carlos Muniz

Alan de Faria disse...

Bala, to em Madri e, agora, ca\ando um lugar para assistir ao jogo da Espanha aqui. O brasil ainda nao faz parte da elite mundial, como vc mesmo mencionou e precisa voltar a gostar de vencer, ou melhor, a aprender a vencer, algo que demorou a acontecer, por exemplo, com a selecao de volei feminina. Esse time precisa ser mantido... Huertas e Splitter sao OS caras da selecao hoje... e garanto que soh tendem a melhorar. Precisamos trabalhar um armador de verdade para substituir o Huertas e um outro pivo, vamos dizer, de ataque, visto que Varejao precisa melhorar nesse sentido.

Anônimo disse...

concordo com o anônimo das 11:15. Perfeito!

Fábio Barcelos disse...

Bala, você abordou o X da questão. O Sergio Hernandez optou por uma tática que minou um de nossos pontos fortes (Pivôs) além de boa marcação nos alas, deixando Huertas solto.Porém ele não contava com o partidaço do nosso armador e quase pagou caro pela tática. No Brasil não deu para entender as dobras no homem da bola no pick and roll. Em alguns reposições de bola após as cestas, deu pra ver o Huertas desesperado com a facilidade dos chutes do Scola. Achei que Marcelinho Machado deveria estar em quadra no último quarto e não entendi por que ele insistiu com Marquinhos(talvez a defesa em Delfino) em detrimento do ala do Flamengo. E por último - sem crucificar Leandrinho, mas ele esteve abaixo do potencial e não é o craque falado aos quatro cantos. Ele consegue tirar a velocidade da maioria dos ataques (sua principal qualidade) e enxergar sempre a opção menos viável (na maioria opta por arremessos desequilibrados de 3 pts). O que me preocupa é ver que nem um cara com a bagagem do Magnano conseguiu enquadrá-lo no seu sistema de jogo. Enfim acho que foi a derrota de um grande em time em formação (que precisa achar o seu "Craque") para um onde cada um sabe a sua função e a quem dar bola na hora H.
Fábio Barcelos - ABASCA

Adriano disse...

Bala, excelente análise, mais uma vez. Abraço!

Giancarlo Giampietro disse...

Boa, Bala,

comentários certeiros sobre o jogo. O Magnano não teve a melhor de suas jornadas, não.

Sobre os amigos comentaristas, duas coisas: não dá para lamentar muito defalques e lesões, porque todo mundo jogou com baixas significantes (Lorbek, Smodis e Udrih na Eslovênia, por exemplo).

A outra é sobre a atual seleção. Te passei um mail a respeito, mas acho que vale dividir aqui com o pessoal.

Vejam aleatoriamente as idades dos jogadores da atual seleção: 35, 29, 27, 18, 30, 27, 27, 27, 30, 28, 26, 25.

Em 2012, isso vira: 37, 31, 29, 20, 32, 29, 29, 29, 32, 30, 28 e 27,

Em 2016, serão 41, 35, 33, 24, 36, 33, 33, 33, 36, 34, 32 e 31.

Tem aquela expressão em inglês de “Window closing”, e me parece totalmente o caso desta geração. Não somos mais “inhos”, não sei o que mais que esse grupo pode render.

Anônimo disse...

Acho que o huertas pontou bem e se o treinador dos hermanos falou que ele poderia pontuar o quanto quisesse foi um equivoco grande.
Quantas bolas de três o Huertas acertou no fim, ele foi fantástico, e poderia ser mais.
Imaginem se ele fizesse dó duas cestas de três a mais, teriamos vencido. Acho que ele e os outros foram bem e quase alcançaram.
Sabe o X da questão qual é?
Uma CBB despreparada, com um Staff inchado e cheio de gente completamente despreparada, sem currículo, sem vitória nenhuma, e pior, que não consegue colocar nosso melhor time na estréia e faz uma preparação LOUCA, cheia de viagens, com muito desgaste, quando o certo seria fazer tudo na medida certa. O que fazem na STAFF sujeitos bizarros como Andre, neto,Jeleilate,Andreoli,Felipe Brunoro,e isto sem falar no tanto de diretores, aspones e presidentes de federações.
O que fez este povo lá?Fomos a delegação mais inchada e por isso somos ainda amadores neste esporte.
Gente despreparada e amadora dá nisso, uma preparação desastrosa e desgastante, que não leva a lugar nenhum. Acho que a mesma falta de profissionalismo e ruim do Grego continuam a pairar por este presidente Carlos Nunes, que aliás era vice do Grego.Ai está o X da questão: NADA Mudou e nem vai mudar enquanto este bando não for banido do basquete nacional. Até que isso ocorra veremos sim o fracasso e derrotas,como esta pra Argentina(não vencemos há 15 anos).
O X da questão é a CBB e sua gente despreparada,perdedora, e que aliás é a grande responsável pela seguida decadência do Basquete.
Como vai mudar algo se o vice do Grego agora é quem manda?
Que pena que o GREGO faz SCOLA.

Marcio-33 disse...

Tambem não vi nó tatico, vi uma equipe com um monstro e alguns jogadores produtivos. Se o Scola tivesse feito os mesmos 37 e o Jasen não tivesse feito as duas de tres no ultimo quarto as coisas seriam diferentes. Falei em outro post que a vitoria passaria pela mao dos coadjuvantes e foi o que aconteceu. Léo Gutierrez com uma bola do meio da rua e as duas do Jasen acabaram com o brasil. Um bom time encontra soluções, e o Huertas foi a nossa solução ofensiva, se houvesse um nó tatico teriamos tomado 20 e não 3 pts da Argentina.Quanto as substituições, o brasil jogou na frente até o fim do terceiro quarto, o que significa que a rotação foi boa.Não importa o quanto vc jogue, jogue o seu melhor! Marquinhos entrou e só jogou pro lado, Splitter(problema na coxa) foi anulado e Varejão também não rendeu. Não estou condenando ninguém, o Brasil jogou muito e infelizmente perdeu para um time superior no que diz respeito a saber matar o jogo.
Acredito que este grupo ainda pode jogar a Olimpiada e o próximo mundial, fazendo uma mescla com as revelações da sub-18 e os talentos que ainda estão em estado bruto. Sou otimista quanto ao basquete em geral no Brasil.

Abraxxx

Anônimo disse...

Acho q só vc e uns bêbados que não incluem o Brasil como parte da eite, maioria dos grandes sites europeus citaram a partida como épica, em muitos, a'te antes da partida diziam que eram dois times que mereciam estar nas 4as sem sombra de dúvidas, na frente de Rússia e outros. Até o Ginóbili, sem querer, entregou,... falou que era para se preoucupar muito mais com o Brasil doq com a Lituania!!! ui. Voltamos à elite sim, agora é trabalhar para voltarmos ao pódium!!

Guilherme disse...

Tenho que discordar dessa tese, do "Huertas faz o que quiser". Depois do jogo ganho, isso vira "estratégia". Mas durante a partida o Hernandez usou um cara pra marcar o Huertas a quadra toda, esse cara fez 4 faltas em dez minutos, não me parece que a ideia tenha sido simplesmente deixa-lo pontuar. Me parece mais como uma desculpa para aliviar a fraquíssima atuação do Prigioni na defesa. A Argentina conseguiu evitar as jogadas de cortina e passe do Brasil? Sim. Mas ainda assim o Brasil encontrou maneiras de pontuar. Não posso acreditar que um treinador saia satisfeito com a sua estrategia defensiva tendo levado 89 pontos.
Quanto a todo o demais, concordo. Creio que o que decidiu a partida foi o fato de eles terem conseguido manter o padrão de jogo em momentos chave, algo que nós não conseguimos. O Brasil chegou a abrir 6 e 7 pontos no segundo tempo e a Argentina continuou fazendo as mesmas jogadas, sem desespero. Quando nós ficamos atrás, bem, foi um "vamo que vamo", e aí, de novo, perdemos.
Acho o que estão fazendo com o Leandrinho. Óbvio que eu quis entrar na tela da TV quando ele arremessou aquela bola quase do meio da quadro e principalmente quando desperdiciou aquela posse no último minuto. Mas tudo isso se deu porque ele tentou assumir um status de estrela que não é. Basicamente o mesmo que aconteceu com o Marcelinho Machado no passado. E todos nós vimos, que o Marcelinho sendo coadjuvante, com funçõs bem delimitadas, rendeu muito bem nesse Mundial. Acho que é isso que falta ao Leandrinho.

Guilherme disse...

Outra coisa. Muito se fala que falta o cara que na hora H pegue a bola, coloque debaixo do braço e grite "deixa comigo". Discordo. Não podemos ficar a mercê do surgimento de um grande jogador. O que tem que fazer quando o jogo aperta é escolher uma jogada do repertório e tratar de executar. Isso aí de deixar tudo na mão de um cara só já nos custou vários resultados, e não apenas nessa geração não...

Márcio-33 disse...

Bela analise Guilherme, mantendo o padrão a Argentina colocou a bola na mão do Scola no final do jogo, infelizmente é isso que faltou para o Brasil, rodar as jogadas convencionais ou até alguma que estivesse na manga do Magnano, mas não foi isso que vimos. Acho que o Leandrinho jogou bem, infelizmente tomou algumas mas decisões que comprometeram o resultado,mas pelo menos não se omitiu na hora do vamos ver, se tivesse matado aquela bola de tres do mesmo lugar de onde o Léo Gutierrez matou a dele e quem sabe tivesse dado um giro e ido pra cesta na ultima bola estariamos comemorando um feito histórico,mas no esporte é assim, as vezes a maior esperança se torna o vilão!
Vamos em frente que esse time ainda vai colher bons frutos, eu acredito!!!!



Abraxxxx

jdinis disse...

Fábio,

Concordo em tudo com seu texto, parabéns.

Gostaria de acrescentar algo que não faz a mínima diferença na campanha do time mas me irrita e muito: TIREM ESSA RÍDICULA CAMISA BRANCA DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE BASQUETE!!! A Nike e a CBB não tem esse direito, cor do Brasil é amarelo e ponto final!

Quando vemos uma torcida na arquibancada de amarelo é a torcida do Brasil, foi isso que aconteceu nos ginásios da Turquia. Branco não!

Luiz Fernando Paes disse...

agora que eu vi do Splitter ..

tomara que tenha sido apenas uma lesão .. porque o rendimento do Splitter foi bem abaixo do esperado, ao menos por mim ..

tive a impressão que não estavam passando as bolas pra ele de propósito ..

marcelo marques disse...

é hora de fazer um grupo novo com novos jogadores

sub 23 é logico com splitter e huertas

guilherme,alex,machado,nezinho,batista,murilo ja não tem mais idade para nada

os 3 ultimos nem basket

com magnano coordenando e é hora de dar um passo a frente

com respeito a jogadores não se apresentarem é bom saber desde já com quem podemos contar

Lucas disse...

Sinceramente Fabio, vc viu alguma evolução no grupo?
Não vi o trabalho do tão falado Magnano não.
Nossa defesa não evoluiu e as melhoras ofensivas foram graças ao Baskonia. Só Splitter e Huertas evoluiram desde o último pré-olímpico.
Não gostei da rotação do Magnano. Nas horas mais importantes ele não deu jogo ao Marcelinho Machado q, infelizmente, ainda é o nosso melhor definidor.
Além disso não jogou com os Pivôs. Desde o início do Mundial todos mundo fala q o forte do Brasil são os Pivôs e realmente são. Mas o técnico tem q botar os caras pra jogar! Tem q forçar o jogo de garrafão e diminuir o ímpeto do Leandrinho!
Leandrinho errou muito, mas a culpa não é dele! A culpa é do técnico q não tira o cara de quadra e não treina outro tipo de jogada.
Sei lá... Achei o time pior q o time do Moncho.
Com o espanhol a gente via evolução tática e defensiva, com a troca do trabalho parece q voltamos ao zero.
Jogo com pouca marcação e muitas bolas forçadas.
Agora é torcer pros EUA e aproveitar os jogaços.
Abraço

Anônimo disse...

Concordo que estes nomes que marcelo sitou podem ser riscados, talves o Machado ainda possa participar do pré-olimpico se jogar da mesma forma que jogou o mundial entrando alguns minutos. Splitter, Huertas, Varejão e Leandrinho ainda estão na minha lista. Acredito que o LB aprenderá a mesma lição que o Machado aprendeu, jogue para o time vencer e não para satisfazer o seu ego. Os heróis morrem mais cedo.

Anônimo disse...

OS UNICOS CULPADOS SAO CARLOS NUNES OU GREGO (É A MESMA COISA, BRUNORO(MKT),FELIPE(ZÉ CUTIVO), ANDRE ALVES(LOBISTA E TRAÍRA), NETO(TEM O APELIDO DE FRITEX POR FRITAR OS OUTROS IMAGINEM!),JELEILATE(FRITEX 2 HOMO); DR. ANDREOLI(NÃO SERVE NEM PRO INPS), VILASBOAS(O EX-FIGURANTE QUE ACHA QUE JOGOU MUITO). ESTE É O TIPO DE GENTE QUE FEZ O BRASIL PASSAR POR MAIS UMA DERROTA, E PIOR TENDO UM TIME MELHOR. A RETAGUARDA DA SELEÇÃO É FUNDAMENTAL PRA SE ALCANÇAR ALGO.
SÃO ESTES PERDEDORES QUE DITAM AS REGRAS AOS JOGADORES E FAZEM ELES FAZER ESTA VIA-CRUCIS ATÉ O MUNDIAL.POR ISSO O NENE SAIU (INCLUSIVE ELE JÁ ESTÁ BEM DESDE A TERCEIRA PARTIDA DO BRASIL).
É ISSO,GENTE INCOPETENTE E SEM CURRICULO, FRACASSADA, COLHE ESTE TIPO DE RESULTADO. ENQUANTO A CBB TIVE GENTE DESTE CALIBRE COMO FUNCIONÁRIO A COISA VAI CONTINUAR ASSIM, FEIA, CHEIA DE DERROTAS.
QUE FRIA QUE VOCE SE METEU HEIN MAGNANO?
JOSÉ POCCI

Anônimo disse...

RECEITA DO BOLO GREGO NA TURKEY = CARLOS NUNES + BRUNORO 171+ FELIPE BRUNORO(ZÉ CUTIVO)+ ANDREALVES(MOEDA DE DOIS REAIS)+ DIEGO + TADIELO + NETINHO+ BRUNA VERNEKE(A AMANTE)

OBSERVAÇÃO:CUIDADO PARA ELES NÃO TE COZINHAR

Anônimo disse...

LANÇO A PERGUNTA O QUE GREGO E SEU SUCESSOR TEM DE IGUAL?
JAMILE BORGES

Anônimo disse...

GUTO
NÃO SOU DONO DA VERDADE,MAS LENDO ATENTAMENTE OS POSTS AQUI,RESUMO,O MAGNANO CHEGOU AONDE CHEGOU PORQUE TEVE A OPORTUNIDADE DE DIRIGIR UMA GERAÇÃO SENSACIONAL QUE FOI MONTADA PELO JULIO LAMAS(ATÉ PARECE O CASO MIGUELZINHO)E O MAGNANO USUFRUIU.NÃO VI EVOLUÇÃO ALGUMA NO TIME BRASILEIRO,DEFENSIVAMENTE SÓ FOI BEM CONTRA A USA(PIOR PARTIDA,DESTA EQUIPE C OU D)OS OUTROS JOGOS NADA DE MAIS.OFENSIVAMENTE PARECE NO TEMPO DO LULA,CORRE PRÁ LÁ,CORRE PRÁ CÁ,ATÉ CAVAR EM UM PICK ROLL ALGUMA SITUAÇÀO DE CESTA.CHEGA AO PONTO DE FALTANDO QUASE 4 MINUTOS PARA ACABAR O JOGO QUEIMAR SEU ÚLTIMO TEMPO,JOGADA DE PICK ROLL COM O SCOLA,ELE AO INVÉS DE IR PARA O GARRAFÃO ABRIA PARA O ARRESSMO ENQUANTO O SEU MARCADOR IA PARA A DOBRA COM O HUERTAS,COITADO SE FOSSE ALGUM TÉCNICO BRASILEIRO,ESTARIA HOJE PENDURADO EM UM POSTE NA AV.RIO BRANCO ENFORCADO,O MACHADO TEVE SUA MELHOR PARTICIPAÇÃO EM MUNDIAL,MAS FOI QUEIMADO E ESQUECIDO NO BANCO NOS MOMENTOS DECISIVOS PELO MAGNANO.
AGORA DISCORDO DE VC BALA QUANDO DIZ GERAÇÃO TALENTOSA,QUE NUNCA GANHOU NADA,NEM EM CATEGORIA MENORES,OS NBA SÃO COADJUVANTES E OLHE LÁ,O SPLITTER SUMIU NESTE MUNDIAL,HUERTAS ACABOU SENDO O NOME.ORA SE O HERNANDES OPTOU POR FECHAR O GARRAFÃO,QUALQUER TÉCNICO INCIANTE COLOCARIA UM ARREMESSADOR,NO CASO O MACHADO. CONCORDO COM OS POSTS ACIMA QUANDO AGORA,DEPOIS DESTE MAIS UM FRACASSO ENXERGAM O QUE ESTOU ALERTANDO HÁ TEMPOS,ESTÃO BRINCANDO COM O BASQUETE BRASILEIRO,ESTA CBB É UM CASO DE POLICIA.E, ESTES CARAS ESTÃO CONSEGUINDO MOSTRAR QUE O GREGO NÃO ERA TÃO RUIM,COMO NÓS ACHAVAMOS,POIS TINHAMOS QUE ACHAR O CULPADO.O NENE CONTINUOU NÃO COMPARECENDO E O NUNES NÃO FOI CHAMADO DE CULPADO,AH,TAMBÉM ESTA PERSONAGEM NÃO EXISTE.

Anônimo disse...

De nivel A mesmo, em termos internacionais, temos um armador fantastico: Huertas. Depois, no nivel B, vem os pivos (Anderson e Thiago) e depois la no nivel C ou D, temos os alas (Alex, Marquinhos, Machado e Guilherme). Leandrinho eu colcoaria entre os niveis C e B, depende do fundamento que se observa. No jogo de velocidade, ele eh nivel A. Mas no 5 x 5, fica no C ou B (quando consegue cortar pra dentro). Eh um bom time, nao ha o que negar, mas precisa de mais trabalho, mais tempo. Vai chegar la, entre os melhores do mundo.

Duda 11 disse...

Bala, concordo com quase todo o seu comentário, à exceção quando você fala em psicólogo! Para mim, o que falta é tomar as decisões corretas nos momentos decisivos. Alguma coisa deu errada ontem: ou a movimentação pedida pelo Magnano ou a execução dos jogadores em quadra! Na minha opinião, são os jogadores brasileiros que erram mais, principalmente quando fazem chutes extremamente precipitados (Marcelinho cedeu este posto a Leandrinho). Enfim, acho que o Brasil melhorou muito desde a chegada do Moncho e tem totais condições de estar em Londres! Abração!

Ricardo disse...

- Argentina contra Brasil:

Scola e Delfino = 39 minutos

- EUA contra Brasil:

Durant e Iguodala = 39 minutos

- Brasil contra Argentina:

Splitter = 25 minutos (!)


Ah, olha, achei a maior palhaçada o Splitter ficar tanto tempo no banco. Nosso principal jogador, na partida mais decisiva dos últimos anos, sem estar carregado de faltas, jogar tão pouco tempo? NÃO FAZ SENTIDO.

Até o Marcelinho, que tinha entrado bem no jogo, ficou pouco tempo em quadra.

E não adianta ser cego e dizer que Magnano não teve falhas. Durante a competição inteira isso ficou visível. No jogo contra a Argentina então, nem se fale...

Anônimo disse...

Demos um bom passo a frente. Jogamos como um time em muitos momentos e isso vale muito. Jogamos dentro dos padrões internacionais, ok.
Agora as constatações: Temos 2 jogadores de 1o. nivel, Splitter e Huertas. Leandrinho NÃO é o cara pra definir um jogo, e isso ficou clarissimo, perdeu aquela bola a 1 minuto como se fosse um rachão, leu errado, e perdeu uma bola decisiva num erro infantil, basico. Anderson é um bom coadjuvante, pra fazer o trabalho sujo, com todo mundo sabe. Alex é otimo defensor embora um pouco baixo mas se supera com garra e vontade, e tem 30 anos. Nene...bem, acho melhor esquecer dele, não jogará pela seleção e pronto, não quer e nem faz questão nenhuma de esconder, só alguem ingenuo pra acreditar que ele QUER jogar. Guilherme é bom jogador para rotação, por alguns minutos e só. Tem muita garra e se supera tb na casa dos 30 anos. Murilo só p/ rotação. JP...bufff, não tem nivel. Marquinhos pode ser util tambem na rotação, por alguns momentos. Nezinho se despediu das principais competições internacionais, acompanha o JP. Machado foi sua ultima competição internacional de nivel e cada vez entende melhor seu papel num time deste nivel, se despede com honra. Exposto todo o acima acho que é a hora de se pensar a medio/longo prazo em substituir os que ja não estarão em Mundiais e Olimpiadas. Temos que buscar gente para as posições que estão os jogadores mais velhos. Para o Pre-Olimpico ok este time pode dar Samba mas para o futuro não. Pensar uma renovação criteriosa deveria ser o proximo passo do bom tecnico Magnano. Ele errou muitas vezes, pricipalmente em algumas sustituições, mas fez um bom trabalho e deve continuar. Tambem ha de se renovar os bastidores da CBB com gente reconhecidamente capacitada e comprometida, comprovadamente sem nenhum laço comercial ou interesse estranho. Deve-se trabalhar com transparencia e planejamento de longo prazo. Dr Eduardo.

fábio balassiano disse...

Fala, Lucas, beleza? Concordo em parte com vc. A evolução em relação ao time do moncho é pequena mesmo - e com mais ou mesmos jogadores de nível. Mas o magnano tem apenas três meses de trabalho. Acho, sim, q ele merece mais tempo de trabalho.

Na Argentina, ele perdeu no pré de 99 antes de ser vice do mundo três anos depois. Acho q a palavra é continuidade.

Mas, veja, acho q vc tem razao tb.

Abs, fabio

fábio balassiano disse...

Fala, Lucas, beleza? Concordo em parte com vc. A evolução em relação ao time do moncho é pequena mesmo - e com mais ou mesmos jogadores de nível. Mas o magnano tem apenas três meses de trabalho. Acho, sim, q ele merece mais tempo de trabalho.

Na Argentina, ele perdeu no pré de 99 antes de ser vice do mundo três anos depois. Acho q a palavra é continuidade.

Mas, veja, acho q vc tem razao tb.

Abs, fabio

Anônimo disse...

O jogo, me causou estranhesa a calma argentina, jogaram desde o primeiro minuto com certesa da vitoria, conheciam nossas deficiências, e mesmo quando estavam atraz no marcador, éramos nos que estávamos desesperados na quadra, os argentinos jogaram com supremacia e cozinharam o galo ( canário ).

Quanto ao no tatico do Hernandes:
Outro dia comentei que maghano tinha a chance de provar que era melhor que Hernandes, e não so um cara de sorte que estava no lugar certo na hora certa, e so foi campeão pois tinha um grupo maravilhoso nas mãos(muito melhor que a Argentina de hoje). A duvida dos argentinos foi tirada !

Quanto a Huertas ter marcado muitos pontos e não ter dado mais assistências:
Como armar num ataque sem movimentação (falha no sistema ofensivo de Magnano)? Como armar com jogadores que quebram o tempo todo as movimentações (Alex e principalmente LB)? Huertas jogou muito, nunca vi no Brasil um armador do nível dele, obrigado mais uma vez a Espanha por telo moldado para nos.

Erros nas modificações de Magnano, são realmente incontestáveis, mas o pior foi ter levado JP por estar próximo na ocasião(FRANÇA)/ Nezinho, nem precisamos dizer porque/E Raul, por indicação e conveniência.

Defender em cima do Scola:
A nossa defesa como um todo não funcionou, não temos fundamentos defensivos, e isso não se adquire com uma varinha mágica argentina. Mas podemos constatar que a únicas duas veses que foi dobrado ele perdeu a bola, e pelo menos a disposição defensiva aumentou

Quanto ao Mundial estamos aonde nosso talento nos coloca, e na proporção exata do mesmo.

Quanto ao futuro, aprimoremos o que houve de certo, tentemos corrigir os erros, assumamos que nossos atletas de ponta são fracos em fundamentos e joguemos de acordo com nossa deficiência e talves possamos disputar uma Olimpíada já em 2012, mas temos que trabalhar..

POR FAVOR PESSOAL QUE TRABALHAM NAS BASES, CUIDEM DA FORMAÇÃO DOS GAROTOS, APRENDAM AS LIÇÕES, CONTROLE DO JOGO, VALORIZAÇÃO DA POSSE DA BOLA, FUNDAMENTOS DO JOGO, DESENVOLVIMENTO TECNICO E TATICO DOS JOGADORES.

Obs.: Psicólogo esportivo, ótimo ajuda, mas quem não sabe os fundamentos não consegue jogar, as veses querer não e poder tem que saber!!!!

Anônimo disse...

Se posivel vejam o que o Trajano fala na ESPN, em poucas palavras, ele que não e basqueteiro, falou mai que Wlamir, Boquinha e varios outros do meio.

raul d'avila disse...

Bem, o Brasil ficou em nono. Estamos subindo, não é o ideal, mas é melhor que 17°.
Todos estranharam a entrada tardia do Spliter e o pouco tempo de jogo, contra a Argentina e antes. Estava baleado, ele também, sobrecarga pós trauma. O Brasil precisa trabalhar os que tem condições, destes atuais, e trabalhar uma seleção de futuro para ver se dá com o Rafael Luz, o Augusto, Fab Melo e algum outro. Tem que mexer, mas não demais, levar os melhores e torcer para EUA ou Argentina ser campeão, daí levar um super time, com todos em forma para brigar com centro americanos e caribenhos pela segunda vaga aos Jogos Olímpicos

Anônimo disse...

No Amor, na Guerra e no Basquetebol, o importante são os detalhes, e isso o Magnano não enxergou.

Anônimo disse...

Irapuan/Curitiba: Concordo com você Bala. Acredio que somente com mais tempo seja possível termos um time mais consistente. Em dois jogos mostramos que temos potencial para isso, contra EUA e ARG. Mas um time consistente é aquele que joga bem 80% dos jogos, e não 30%. Espero que a CBB mantenha o técnico e também tenha um planejamento de médio prazo, no mínimo. Precisamos disso para reverter uma hibernação de 30 anos fora da elite do basquete, e passarmos a ter um time respeitado por todos os demais. Olhar para nosso volei masculino e feminino seria uma boa coisa. Chegaremos lá!!!

marcelo marques disse...

olha como leandrinho esta triste


comportamento bem diferente do huertas,alex,splitter e machado

http://globoesporte.globo.com/basquete/noticia/2010/09/foto-andre-santos-e-leandrinho-barbosa-jantam-juntos-na-turquia.html


q nojo em leandrinho se eu canso de criticar jogadores de futebol por isso o leandrinho naum fica atras

Anônimo disse...

Fala serio... Elite? Se formos analisar friamente, a unica diferença entre esse mundial e o passado esta no fato de termos ganho uma partida e se classificado pra oitavas... Foi a mesma merda de sempre, não estamos acostumados a jogar em alto nível e pesa não termos um cara com uma bola de segurança q va nos tirar de apuros em momentos difíceis da partida... Não somos ganhadores, não somos competitivo e isso no final define quem e elite ou não Rafael

Anônimo disse...

JORGE SANTOS

ANTES O NENE NÃO IA PARA A SELEÇÃO, CULPA DO GREGO,AGORA CHEGAMOS A CONCLUSÃO QUE NÃO VAI PORQUE NÃO QUER!PLANEJAMENTO ZERO!PRECISAMOS PERDER NAS OITAVAS PARA VERMOS QUE A CBB É UMA VERDADEIRA AÇÃO ENTRE AMIGOS,É A TURMA DO PRIMEIRO MINISTRO-BRUNORO-É A TURMA DO TRAÍRA MÓR-ANDRÉ ALVES- É A TURMA DO OMISSO VIAJANDO NUNES,FORMADO POR ASPONES SFD-SEM FUNÇÃO DEFINIDA).SEM CONTATAR A TURMA DA BOQUINHA FORMADA PELOS PRESIDENTES QUE VOTARAM NO PRESIDENTE! VAMOS AGUARDAR O FEMININO,E VER O VAI ACONTECER!!!!

Anônimo disse...

Caro Jorge Santos,
Vc esqueceu de incluir outra ação entre amigos ou balcão de negocios mesmo: a de Vanderlei, socio de empresa que controla o Basquete de SBC e seus "amiguinhos", sem qquer experiencia, que ele colocou estrategicamente em algumas seleções de base a fim de trabalharem para "um irmão-agente menos famoso". É só investigar e facilmente se descobre todos os envolvidos.

Anônimo disse...

JORGE SANTOS

É EU HAVIA ME ESQUECIDO DO VANDERLEI,DEPOIS DO PAU QUE ELE LEVOU DO PROF.PAULO MURILO SE ESCONDEU,SE BEM,QUE ELE É ESPERTO,FICA QUIETINHO FAZENDO SEUS ESQUEMAS.É, AMIGOS, É ESTE GRUPO QUE OS SENHORES PRESIDENTES DE FEDERAÇÃO VOTARAM E ELEGERAM,O SR.OMISSO VIAJANDO NUNES.