terça-feira, 21 de setembro de 2010

O que eu espero do Mundial feminino

Ao contrário do Mundial masculino, que eu imaginava alguma coisa, não tenho a menor ideia do que pode acontecer com as meninas na República Tcheca a partir de quinta-feira. Sem querer ser clichê, mas pode vir uma semifinal ou uma eliminação na segunda fase. Tão simples quanto isso.

Se por um lado teremos a jovem Damiris (foto) como uma boa novidade e a pivô Érika pela primeira vez em quatro anos (em 2006, também no Mundial a pivô jogou no sacrifício), por outro contamos com um desentrosamento atroz. A própria Érika jamais jogou com Franciele, com quem deve formar a dupla de pivôs titulares. Nas alas, gosto da possível dupla Karen e Iziane (muita defesa e muito ataque), mas creio que Colinas opte por Helen-Iziane, deixando ainda mais desbalanceado o time.

Se pudesse arriscar, diria que o Brasil cai nas quartas-de-final, mas juro que não tenho o menor palpite a dar. Há muitas variáveis em jogo (condição física da Érika, percentual de arremessos da Iziane, desempenho de Franciele nos rebotes e na leitura de jogo, um novo técnico, o cansaço da Érika e o revezamento de Alessandra e Kelly no pivô), e de novo apelando do clichê eu digo: pode acontecer de tudo com a seleção feminina.

E você, tem algum palpite? A caixinha é toda sua!

19 comentários:

Anônimo disse...

Bala, Bala, Bala.....
si vc troca os nomes das jogadoras pelos nomes deles (Leandrinho, Huertas,Machado) as variáveis sāo as mesmas.

O que tem é muita ignorância

Anônimo disse...

Não temos um técnico campeão olímpico no banco da seleção feminina e sim, um treinador espanhol que nunca treinou uma seleção adulta na vida.

Não tem comparação entre o feminino e o masculino.

Anônimo disse...

Oi Bala,


Não sei se Iziane, Erika e Franciele vão começar o Mundial como titulares, mas Adrianinha e Fernanda Belling é praticamente certeza que sim.


Marco Antônio

Ana Clara disse...

É, Bala... vc está certo: podemos tanto ser eliminados nas quartas, como podemos estar fazendo uma semi. Mas o que me preocupa é justamente o fato do técnico ser INEXPERIENTE demais... é inacreditável a "cabecinha" pequena da Hortência achar que duas jogadoras superarão aspectos táticos inexistentes em nossa preparação. Isto não existe!!!!

Por toda esta situação mereceríamos ser eliminados na primeira fase... mas por todo esforço de nossas jogadoras, tão relegadas, jogadas em segundo plano, pelo nosso histórico no feminino... merecíamos ficar entre os 4.

Vamos torcer acima de tudo!!!!!

Anônimo disse...

Torço demais por elas!!!!!

Mas gostaria que a Iziane e a Érika fizessem um PÉSSIMO campeonato, e jogadoras como Adrininha, Kelly, Karen, Franciele, Fernanda tivessem um grande momento de superação para que nossa Rainha Hortência abrisse o olho...

Anônimo disse...

Nossa, do jeito que algumas pessoas comentam, até parece que Erika e Iziane estão cometendo algum crime por estar jogando na WNBA até às vésperas do Mundial.


Que culpa eles tem do calendário de competições ter coincidido?

Inveja, mata!!!

Leandro disse...

Pessoal, só resta agora ao feminino elevar a moral do nosso basquete... espero que as meninas estejam conscientes disto, e façam um maravilhoso campeonato. Vamos todos torcer e muito por elas.

Anônimo disse...

A seleção brasileira feminina sempre foi imprevisível. Já nos decepcionou algumas vezes e já nos surpreendeu positivamente em outras ocasiões.

Não gosto dessa comissão técnica e nem da maneira como a Hortência vem conduzindo seu trabalho na CBB, mas vou torcer para que todas as meninas joguem como uma equipe e possam trazer um bom resultado.

Ricardo

kleiton disse...

Acredito que ficaremos entre as 8 seleções, e tbm acho que a seleção com ou sem Iziane seja a mesma coisa , acho que as meninas que vão se destacar vão ser as novatas , isso se elas tiverem oportunidade de jogo, torço p que Damiris e Franciele façam um otimo mundial e consigam contratos com times interessantes p melhorar ainda mais o basquete que jogam, tbm acho que tirando EUA e AUSTRALIA as outras seleções são bem niveladas , Brasil , Espanha,Coréia, Rep.Tcheca, Russia e até a Argentina , mas mesmo assim acredito que não iremos muito além.

Mesmo assim espero que as meninas façam um bom mundial




B

Anônimo disse...

Não existem motivos para euforia, como aconteceu no masculino, o que acabou atrapalhando, de certa maneira.

Também não acho que seja o momento para críticas destrutivas.

Vamos torcer pelo melhor, mas com os pés no chão e vamos ver o que acontece!!!

Anônimo disse...

Leandro..a Seleção Masculina elevou o moral do basquete brasileiro, basta ver e se informar no meio internacional!

Anônimo disse...

Este brasileño de 39 años que vive en
la zona de Sao Paulo es uno de los
mayores exponentes endógenos del cambio
a mejor que está dando el baloncesto
de ese país. Empezó su andadura en la
elite de la Confederación Brasileña de Baloncesto
(CBB) en el verano 2004 al ser
asistente de Segundo Ferrera durante una
gira por Europa (con parada en Alicante),
aunque Brasil no estuviese clasificada para
los Juegos Olímpicos. Más tarde, se
quedó 2 años en la U18 de la CBB y en
2007 accedió al puesto de seleccionador
de U19 Masculina que acabó cuarta en el
Mundial de Novi Sad. Eso le garantizó
continuar en ese núcleo federativo trabajando
con los jóvenes más prometedores
hasta la llegada de Moncho Monsalve en
2008, que le devolvió al primer equipo
como asistente («todo el español que sé
lo aprendí con él. Es mi papá en España,
siempre me quiso enseñar muchas cosas y
le tengo un gran aprecio», declara).
Rubén Magnano, el actual seleccionador,
también quiso que se quedase como
ayudante y scouter, lo cual le supuso una
gran alegría. «Rubén tiene una gran experiencia
y estoy muy contento. Aprendo
de cómo habla y de cómo conduce las cosas
». Neto se ha mostrado en el Mundial
muy activo en el banquillo para comunicarse
con los jugadores. ¿La razón? Compenetrarse
en la pista con el argentino:
«Hay conceptos diferentes en un idioma
y otro. En el scouting hablamos términos
diferentes a los de otros países».
En los 2 últimos años sólo ha trabajado
en la CBB y desde que acabó el Mundial
empezó un proyecto en el Palmeiras,
un club de fútbol, que quiere sentar las
bases de su futuro. ¿Una anécdota? Marcelinho
Huertas empezó a jugar en el
mismo club en el que Neto trabajaba, el
Paulistano, y le conoce desde bien joven.
CARLOS VELASCO
Fonte: Revista Gigantes, da Espanha

Anônimo disse...

Analisando a tabela tudo vai depender do desempenho do Brasil na segunda fase.
Temos que sair dessa fase com o primeiro ou segundo lugares para fugir dos EUA e Australia nas quartas.
Caso isso aconteça devemos pegar China, França ou Bielorússia nas quartas com grandes de ir pra semi, pq acho que temos mais time q essas seleções.
Porém não podemos pensar em perder para Espanha e Coréia na primeira fase (pois os resultados vão pra fase seguinte) e "podemos perder" para Russia ou Rep Tcheca, apenas para uma das duas - assim classificamos em 1º ou 2º.
Não mencionei a Argentina porque elas são freguesas.

Gosto muito do elenco, vamos ver como se comporta como equipe.

Jorge MP

Anônimo disse...

Tenho que realmente enfiar a viola no saco!!!! Brinquei que a Erika era o Nene do feminino, e ela fechou minha boca com luva de pelica!!!!
Espero que elas tenham um ótimo mundial, que Helen e Alessandra tenha uma despedida digna, como foi a carreira de ambas, que a Kelly de muito trabalho para as pivos adversárias, que a Erika repita suas melhores atuações da WNBA, que a Izzi tenha calma nas horas difíceis e humildade em todas as horas!!!
Que a Adrianinha consiga distribuir muito bem o jogo, que a Karen e a Sil acertem muitas bolas de 3, que a Fernanda faça um ótima marcação quando estiver em quadra, que a Palmira leve o jogo com mais responsabilidade e que a Fran e a Damiris sejam uma grata surpresa!!!! É pedir demais? Acho que não!!! E o resto é torcer!!!! Podemos ficar entre os 4 finalistas, o time é bom, mas falta treinar mais jogadas, e ter melhor definição dos ataques!!!
Boa sorte meninas!!!!

Anônimo disse...

Mexendo nuns DVDs antigos, achei o jogo entre Americana (Micaela) X Ourinhos (Janete) e pergunto para quem puder responder:
O que houve com a Micaela ? Assistindo os jogos atuais, percebo que o problema não é físico, mas sim, puramente técnico. Como é que uma pessoa desaprende a jogar desse jeito.

Anônimo disse...

Cara... essa final de paulista foi maravilhosaaaaaaaaaaaaa... a Micaela jogou muitooooooooooooo... nem de longe é a Micaela que vemos hj... triste mesmo!

Anônimo disse...

Vdd alguém sabe se a Micaela tem algum problema???

Jorge MP

Anônimo disse...

Não sei se a Micaela tem algum problema, mas torço muito para que ela reencontre seu basquete com a ajuda dela mesmo e de suas companheiras de clube, e volte a ser aquela jogadora que todos nós queremos de volta.Acredito que seja apenas uma má fase e que há ainda um grande basquete adormecido nessa menina. Bueno, sorte a ela e ENERGIA POSITIVA Kaé!!Aqui no sul do Brasil temos um carinho muito grande e torecemos por ti.

Anônimo disse...

Logo após as finais desse campeonato em que Kaé venceu a equipe da Janeth e foi MVP, ela sofreu uma grave lesão no tornozelo e foi cortada das Olimpíadas de 2004. Depois disso Kaé nunca mais voltou a jogar como nesse campeonato.