domingo, 12 de julho de 2009

Alto-falante

"Nunca fechei as portas para a seleção, mas eu e o Paulo não temos condições de trabalhar juntos. Ele não aceita meu basquete, acha que eu não tenho condições de jogar para ele, e isso foi ele quem disse. Não vou ter respeito nenhum por uma pessoa como ele, e ele não vai ter condições de me ensinar na quadra"

A frase é de Iziane, em entrevista ao Esporte Fantástico, da Rede Record, nesta manhã. Ela ainda disse que não jogará na seleção feminina enquanto Paulo Bassul por lá estiver.

MEUS COMENTÁRIOS:
1) Será que a Hortência vai pegar um avião agora?
2) Que educação tem essa menina Iziane, hein...
3) De que lado a CBB se colocará agora?

16 comentários:

Ricardo disse...

Fora Iziane.

Brasil com Iziane contra Cuba = Derrota no Pré-Olímpico das Américas.

Brasil sem Iziane contra Cuba = Vitória no pré-Olímpico Mundial e a almejada vaga olímpica.

Não sei por que a Hortência pensa que ficaria melhor com ela. Será que precisaria de uma relação chutes tentados/acertos dessa Iziane na seleção para convencer de vez que é a idéia mais absurda do mundo?

Anônimo disse...

Como os dirigentes da CBB são uns asnos , é bem capaz de trocarem o Paulo Bassul , que na minha opinião por ter aceitado chamar a Iziane deveria sair mesmo ! E que tragam a Dona Vitória - Maria Helena Cardoso. E Ponto!

Victor Dames disse...

Não seria um caso de traçar um paralelo com o caso do Marquinhos, comentando por você logo aqui no blog mesmo, Fábio? A diferença é que a Iziane talvez sinta-se segura pra dizer isso porque atravessa bom momento na carreira. O Marquinhos busca reencontrar um lugar ao sol, e paga o preço do que fez antes. Será que ela pensa que a boa fase vai durar pra sempre?

Abraços!

marcelo marques disse...

a iziane é uma jogadora nota 6 q se acha 11

depois dessa entrevista

tchau iziane

Anônimo disse...

IZIANE = MARQUINHOS

Ambos sinônimos de máscara, arrogância, egoismo.....e infelizmente fracassos na seleçã.

Mr. Hill disse...

Ego, submissão e flexibilidade. Em cima destes itens gira toda a situação que se criou na seleção feminina.
É fato que tanto o técnico Paulo Bassul como a atleta Iziane tem (ao contrário do que possa parecer) muitas coisas em comum: juventude, pseudo-convicções,falta de títulos expressivos e consequentemente muito ainda a provar dentro do mundo do basquete. Mas há um item , a flexibilidade, que os diferencia bastante, onde cada um segue para um lado e (ambos) para resultados desatrosos. Iziane acaba de reafirmar (enésima vez, quer que ela desenhe, Hortência?)que não acata mais nada vindo do Bassul, não se submete e mantém sua postura (arrogante)de sempre. O técnico, por sua vez, mostrou que aceita "sugestões", concordando em convocá-la e se submetendo também com a entrada da Janeth na sua comissão técnica (opção esta que já havia sido dugerida na gestão Grego e ele recusou).
Para a atleta, resta por enquanto a carreira internacional, na busca eterna por um estrelato que ela já provou não ter base para alçar e muito menos para sustentar, caso aconteça. Para o técnico, fica a pressão de arcar com as consequências do preço que tem aceito pagar, permanecendo no cargo e obrigado a gerar resultados imediatos.
Para o basquete feminino brasileiro segue o alerta vermelho. Enquanto jogadora quiser mandar e desmandar, técnico se submeter a qualquer coisa para manter cargo e dirigentes fingindo que tudo está em bom andamento o resultado é...

Anônimo disse...

Mr. Hill, me desculpe mas discordo da sua linha de raciocínio.
Pela pouca idade que tem Bassul tem um currículo enorme! Vários títulos paulistas e nacionais, vice-campeonato mundial sub21, bronze olímpico como assistente e por aí vai.
Acho que o "jogo de cintura" que ele mostrou para sair deste enrosco que a CBB criou desde o primeiro dia prova que ele está é muito mais maduro para o cargo.
2 meses atrás todos viam Iziane de volta à seleção e ainda por cima "premiada" pela atitude ridícula que teve e Bassul fora. Hoje a situação se inverteu totalmente e ele teve muita habilidade para suportar toda esta pressão.

jdinis disse...

Concordo com o Victor Dames sobre o paralelo entre Iziane e Marquinhos (falando apenas de atuações dentro da quadra). São dois jogadores com potencial mas que se acham muito (muitíssimo! absurdamente muitissímo!) acima do que realmente são e não se esforçam em melhorar. Não passam de jogadores razoáveis e dispensáveis.

Uma grande diferença na seleção brasileira: o Marquinhos foi esquecido e segue sua vida, enquanto com a Iziane fica esse "lenga-lenga". Ponto para o masculino!

Sds.

Bernardo disse...

Ufa!!!!!!! seleção está salva, agora que papelão que a Hortencia se presto e fez o Paulo prestar também.

Anônimo disse...

Pow, sinceramente eu torcia muito para que a Iziane voltasse para a seleção, colocasse a cabeça no lugar e voltasse com tudo...A menina é boa...

Porém, depois dessa entrevista, vejo que a menina é uma jumenta, não merece a seleção e infelizmente vai ter a carreira medíocre que ela mesma está construindo.

Anônimo disse...

Iziane é uma porca!
VAZA...E NUNCA MAIS VOLTA!!!
Cretina!!!

Luiz Melo disse...

A solução é simples. Aliás não sei porque Hortência não assumiu logo isso desde o começo. Pega o avião e pede para a Iziane dizer logo quem deve ser o técnico, o assistente, o médico, fisioterapeuta, roupeiro e as outras 11 jogadoras da seleção com quem ela se permite dividir a quadra de jogo, se é que ter outras jogadoras no time se faz necessário... Fala sério né? Essa nova direção da CBB já começa muito mal mesmo ao gerenciar a seleção feminina. Com todo respeito que Hortência merece, e ela merece muito, fica difícil de entender o que a fez mudar de ideia 180º quando saiu da função de comentarista para a de cartola.

Anônimo disse...

ABSURDO...essa menina nao tem equilibrio nem educação para estar em um grupo de qquer coisa. Outra da CBB....li num comentario que um agente vai assumir o comando da sel masculina..será verdade? tem algum cabimento? Alguem sabe alguma coisa sobre isso? Ou vai ser a Hortencia mesmo?

Anônimo disse...

Ela tem que ser banida do basquete brasileiro, depois de tudo que escutamos, desculpem o radicalismo, mas uma coisa dessa chamada Iziane, não merece nem respeito do basquete e muito menos do povo brasileiro, ela se negou defender o país que deve estar acima dessas rusgas particulares de caracteristicas de quem subdesenvolvida cultural e educacionalmente.
Desculpem o desabafo radical.

Henrique Lima disse...

Essa Iziane é a piada pronta do basquetebol brasileiro.

Como alguem leva à sèrio uma pessoa deste naipe ?

Pqp ... só é merda que sai da boca dela.

Anônimo disse...

Iziane é muito burra. Se ela não quer jogar por rebeldia que não jogue. Mas ela deveria medir as suas palavras e ser menos egoísta, pois acredito que ela tenha família aqui no Brasil e neste momento por mais os seus familiares apoiem sua atitude eles estão expostos de maneira negativa na opinião pública. Iziane deixe de ser estúpida.