segunda-feira, 6 de julho de 2009

Alto-falante de luxo

"A Hortência, que jogou mil vezes mais do que a Iziane, nunca teve uma atitude como aquela. O pior é que ela (Iziane) não reconheceu o erro. Pedir desculpas é digno e a Iziane nunca teve essa atitude. Agora, eles vão encher a bola dela? Convocá-la novamente é dar alguns privilégios que podem trazer complicações. Talvez a Iziane não seja um bom exemplo para as jogadoras. Em 20 anos defendendo a seleção brasileira, nunca nos recusamos a entrar em quadra. Até porque não ficávamos no banco"

A declaração, dada à Rádio Globo neste domingo, é de Paula (foto), a respeito da situação de Iziane e da nova diretora de basquete feminino da CBB, a sua antiga companheira Hortência. A pergunta persiste: até quando o esporte brasileiro continuará a fazer seus pactos com as coisas erradas?

10 comentários:

Gabriel disse...

Tem como nao ser fa dessa mulher?Sempre lucida,ponderada,digna.Magic Paula,maravilhosa.

The Gamer disse...

Mais uma vez LUCIDA. Vale pra varios esportes, arbitros, dirigentes, politicos e eleitores...e para o dia dia. Concordo 100%.

Técio Martins disse...

Paula deveria estar no lugar da Hortência. Sinceramente, é impossível não admirar uma pessoa dessa.

Henrique disse...

Paula perto de vários por aí é sacanagem comparar ....


Entendemos bem porque dela NUNCA ter chance em uma CBB da vida ...

Infelizmente, ela TERIA TUDO pra ensinar e acrescentar.

Lopes de Sao Bernardo disse...

Desculpem mas so dar cacetada é facil também né, nunca vi a Paula meter o pau na politica publica de esportes da cidade de Sao Paulo por exemplo, sera porque ela tem um emprego no COTP? E se ela estive na CBB sera que teria mesma opiniao? Quando esteve no Ministerio do Esporte, nao vi ela criticando la e muito menos quando saiu! Isso ninguem lembra né?

Lopes de Sao Bernardo disse...

Olha gente, quero deixar bem claro que adoro a Magic Paula, como idolo do basquete nacional. Porem nao concordo com as opinioes dela fora da quadra, pois ouvi muitas criticas dela em relação a FPB e nunca vi alguma mais concreta sobre isso, ela precisa estar participando dos torneios da FPB para poder mudar alguma coisa efetivamente, seja como dirigente de algum clube, pois nao existe outra forma de mudar as coisas se omitindo disso e so criticando fora.

Anônimo disse...

O fato é que atirar pedras significa algo irrustido, pq nao pega o tel e fala direto com a Hortencia?Por que ir a publico?
A Paula esta querendo algo tambem e nao deram, so pode ser isto.
O Trabalho dela é mediocre no CO,diz que faz atletas e adora meter o pau nos Clubes dizendo que os mesmos pegam dela.Ora, se ela faz mesmo jogadores,aonde eles irao jogar?No CO? Nenhum clube precisa do trabalho dela e muito menos do politico C.O.
Ela tem que arregassar a manga e trabalhar, e nao ficar metendo o pau na nova administraçao da CBB com a Hortencia.
Puro ciumes.

marcelo marques disse...

qndo ela saiu do ministerio lá meteu o pau sim

eu sou testemunha do otio trabalho q a paula faz no centro olimpico do ibirapuera

Camila disse...

Paula como sempre sensata.N é atoa q é minha ídola no esporte.

Anônimo disse...

Não sou fã do estilo de jogo da Iziane, achei a atitude dela no Pré-Olímpico ridícula ao se negar a entrar em quadra e depois se auto-intitular "estrela" em entrevista, mas é preciso ter bom senso.

Quem dirige o basquete não deve ter uma postura tão rígida, nem atitudes radicais, pelo contrário é necessário um perfil conciliador, como a Hortência tem demonstrado ter.

Essa é uma opinião pessoal da Paula, que deve ser respeitada, mas devemos buscar um meio termo entre excluir a Iziane definitivamente da seleção e ficar implorando para ela voltar, como a Hortência está fazendo.

Não é porque ela errou que deve ser condenada para sempre por isso. Creio que ela deve voltar à seleção, porém sua volta deve ser condicionada a uma retração pública.

Concordo com a Hortência que as melhores atletas em atividade devem ser convocadas e a Iziane está entre as doze melhores jogadoras brasileiras em atividade, com certeza.

Quanto ao estilo de jogo "crazy shooter", cabe ao treinador utilizá-la quando estiver com um bom aproveitamento ou lançar mão de outra opção quando a bola dela não estiver caindo.

O fator preocupante é que não temos boas alternativas nessa posição, como vimos nas Olimpíadas de Pequim.

Vivemos uma entresafra de talentos, por isso creio que a prioridade deveria ser preparar outra atleta para ocupar essa posição de ala pontuadora na seleção.

Espero que surja alguém na seleção sub 19 que esse ano disputa o Mundial da categoria ou que a Mariana Camargo se firme nesse posição.

Boa sorte Brasil!