segunda-feira, 21 de março de 2011

Penumbra

Quando percebi que a final feminina de Indian Wells atrasaria passei a mão no telefone e gritei para um amigo tenista: "Alguma chance de o jogo do Djokovic e Nadal terminar antes das 19h30?". Com o "nenhuma chance" que ouvi comecei a me preocupar, e obviamente eu sabia o que aconteceria. O canal campeão tinha duas possibilidades: 1) postergar o jogo; 2) começar a transmissão com a partida rolando. Na verdade as duas opções foram marcadas, visto que ainda houve um (rápido) terceiro set, e as imagens de Franca e Brasília começaram já no segundo período.

A culpa, insisto, não é do Sportv, que tem uma grade recheada de programas ao vivo e com eventos internacionais com horários que são respeitados. O problema, ao meu ver, é na gestão (como sempre!) do basquete brasileiro, que permite que bizarrices como a deste domingo ainda ocorram. E quando falo em gestão, incluo, nessa vez, os atletas também. Ontem mais uma vez eles foram passivos ao não exigir que a partida começasse no horário combinado. Isso, claro, sem falar no desrespeito com o fiel torcedor de Franca (cadê o Estatuto do Torcedor?), que pagou pelo ingresso de um evento que começaria às 19h30 e que teve início mais de 45 minutos depois. Repito o que disse no Twitter: se fosse jogador, exigiria que a bola quicasse no horário marcado; se fora torcedor, teria pedido meu dinheiro de volta.

A questão, como se vê, é bem maior do que arrumar horários que se encaixam na grade do Sportv (parceirão da LNB - esta, aliás, sequer informou no Twitter que a partida atrasaria), mas sim encontrar profissionais com vivência no mundo corporativo para cuidar de um produto que é bom, mas que ainda patina em pontos básicos para quem frequenta o mercado há algum tempo. Tem dúvida do que estou falando? Converse com um diretor de marketing de uma empresa imensa, tire dúvidas com um gerente de produto de uma multinacional ou troque ideias com um vice-presidente financeiro de uma grande corporação e você verá que quase tudo o que a Liga faz está na contramão do que o mercado faz e propaga. Enquanto a gestão não mudar, não há a menor chance de o basquete brasileiro se modernizar por completo.

20 comentários:

Anônimo disse...

Na mosca Bala.

Enquanto a LNB tiver a tendÊncia paternalista de contratar pessoas por aproximação e não por competência, isto continuará.

Será que nomes como Luisão (ex-jogador e dirigente de Joinville) tem gabarito para fazer parte da comissão de marketing ...Qual seu curriculum corporativo? Quias cases de sucesso tem na vida de executivo de marketing?

Assim como Luisão, existem outros apadrinahdos, que estão lá por aproximação/favor e não por gabarito como executivos.......e este é um grande problema. (se já é em empresas onde familiares são admitidos só por serem familiares, imaginem em uma entidade como a LNB).

OLHO NESTE PONTO.....E ~LIMPEZA IMEDIATA NOS FAVORECIDOS POR APADRINHAMENTO!!!!!!!! LNB NÃO DEVE SER ENTIDADE DE CARIDADE PARA EX-JOGADOR´SEM COMPETÊNCIA E EXPERIÊNCIA CORPORATIVA.

Anônimo disse...

Primeiro voce nao e nem nunca foi jogador.
Segundo, so voce acha que o basquete tem que bater de frente com a Globo para crescer. Hoje o basquete depende dela para crescer assim como faz o volei e e por isso que eles estao aonde estao.

fábio balassiano disse...

Respeito qualquer tipo de comentário, mas vamos
Ler direito antes de Falar, vamos.
Eu nunca fui e serei jogador (graças a Deus), e em nenhum momento falo (pelo contrário) que o basquete precisa bater de frente com a Globo.

É preciso ler direito até pra discordar! Falar coisas que não foram ditas e ainda por cima se esconder no anonimato são coisas feias demais. A troca de idéias é importante. Necessária, mas tem dois fatores importantes: 1) não é desqualificando a minha que você vai "validar" a sua; 2) não use argumentos falsos ou diga coisas que nao disse. Assim o diálogo não flui.

Abs, fabio

Abs, fabio

Anônimo disse...

O mais legal do jogo e ver como as máscaras estão caindo em Brasilia. Dizer que o Zé galinha tem o time na mão e brincadeira...Nos tempos técnicos ninguém dava a mínima atenção ao que ele estava falando.....Nezinho pouco ligava...Outra que arremesso (de três) é esse no Nezinho 1/10.
O bom mesmo e ver a ponta do campeonato uma briga boa...todos querendo melhorar na classificação.

Anônimo disse...

Bala
Não gosto muito de escrever por aqui, mas esse seu comentário é brilhante mesmo.
Trbaalho em uma empresa grande, e jamais vi tanto amadorismo como o que vimos na lnb. É de deixar todos tristes mesmo!

Pena que continuemos da mesma maneira, sem mudar!

Parabéns, e continue assim! Teu blog tá dando um banho de cultura também!

Augusto

Anônimo disse...

Concordo com o Bala, isto e um absurdo, so por que na NCAA os jogos atrasam ate mesmo 45 minutos pra comecar na hora certa da TV, nao quer dizer que temos que fazer o mesmo no Brasil.
Acabei de fazer um levantamento e desses 52 jogos que ja aconteceram desde de quarta feira 21 comecaram atrasado, 21!!!!
uma bagunca e uma falta de respeito ao torcedor.
o jogo de Syracsue na sexta feira por exemplo comecou 27 minutos depois da hora prevista e anunciada pela tv.
repito, o basquete dos EUA esta indo de mal a pior por querer colocar o seus jogos ao alcance de todo o pais na TV.

Certo Bala?

Anônimo disse...

muito bom o post!
mto bom mesmo!
adoro a sua visão de planejamento das coisas.
você deve ser meio nerd, estudioso, mas sem dúvida é a melhor cabeça pensante do nosso basquete

nao ligue pros detratores!

gustavo

fábio balassiano disse...

anônimo das 09:16, algumas coisinhas:

1) Não consigo te responder porque não entendo uma linha do que você escreve (desculpe, cara!).
2) Não gosto de ironias babacas como a sua. Até pra usar ironia precisa ter talento. E, me desculpe, você não tem.
3) Até pra comparar você precisa ter inteligência. Em primeiro lugar, o jogo de Syracuse atrasou porque houve duas prorrogações. E depois: esses 21 que você cita, qual a fonte? Não confio!
4) Não use argumentos falsos para defender coisas que você considera corretas.
5) Não vou perder mais 30 segundos com pessoas como você, ok?

Abs, Fábio.

Anônimo disse...

Acredito que a falta de profissionais gabaritados esbarre na falta de cash para contratar no mercado. Quase todos ou todos os que trabalham com a liga estão diretamente ligados aos clubes. Pode até haver bons profissionais nos quadros da LNB mas gerir um negócio é trabalho full time.

Chizu disse...

Ainda bem que o Nadal simplesmente não jogou no terceiro set, resultando numa vitória rápida do Djokovic, senão 45 min de atraso seria pouco. Lamento pela falta de respeito com o torcedor no Pedrocão e com os atletas (afinal tiveram que manter o aquecimento por mais 45 min), mas a dupla LNB/Sportv parece mesmo que não se importa com o torcedor que vai aos ginásios. Ano passado já marcaram jogos às 16:00 no meio da semana (!), sem falar na novidade que vai ser a final única, que vai privar uma das torcidas (ou ambas se for em local neutro) de prestigiarem o seu time no ápice da competição. Se o jogo de tênis tivesse se estendido, será que os amantes de basquete só veriam só um quarto ou os minutos finais da partida ao vivo? Será que não teria sido mais sensato se o jogo tivesse iniciado no horário e a Sportv transmitisse a reprise desde o começo da partida assim que o tênis acabasse?

Anônimo disse...

bala !
responda ! se o jogo fosse ao ar no seu horario abtual ao ´´meio dia´´ nada disto teria acontecido ! mas como se sabe teria a transmissão de jogos de basket em outro canal no mesmo horario ´´bandsports , espn hd´´ ai tem q fazer essas coisas esperar o tenis , isso mostra o quanto o basket está por baixo !

Bruno Beno
jundiai s.p

Anônimo disse...

chichico

prefiro não me identificar, bala, mas depois te digo pessoalmente quem sou.

Uma coisa precisa ser pensada: de acordo com o site da liga, o conselho de marketing é formado por jorge bastos, luisão, juliana e marcelo vido.

eu não conheço a juliana ou o vido (em termos de trabalho de marketing), mas falar do jorge bastos como homem de marketing é uma piada. o luisão, coitado, apela pra clichês ridículos em seu twitter e acha que faz marketing. e sinceramente: esse cara parou de jogar em 2007, 2008? quanto tempo de experiência no mercado ele tem pra exercer tal função? pelo amor de deus, né...

sinceramente, a liga está muito mal parada em termos de comunicação com o mercado, clientes e possíveis patrocinadores.

valeu e parabéns pelo blog, o melhor do país!

Anônimo disse...

Bala, os jogos em Cleveland no dia 18, ultima sexta feira, foram
Villanova-George Mason 2:10
UTSA-Ohio St. 5:00
Marquette-Xavier 7:30
Syracuse-Indiana St. 10:30

Nenhum desses jogos teve duas prorrogações, este jogo foi no dia seguinte no Arizona.

Anônimo disse...

Calma aí gente,
Calma

O Bala teria razão, se o ambiente corporativo do basquete existisse.Ele esta em construção, e pior em um ambiente nada profissional.
Infelizmente ira demorar, acho que grandes passos foram dados para que haja no futuro este amadurecimento.

Nada se constrói sem fundamentação, entendo a expectativa do Bala, como seu anseio.
Acho que todos queremos a mesma coisa.
Parabéns Bala, por estar atendo e cobrar o que esperamos da LNB.

Anônimo disse...

Marcelo Vido e homem de marketing, fez esse trabalho no Atletico Mineiro e o faz no Minas Tennis Clube. Uma pessoa de gabarito.

Victor Dames disse...

Bala, também não concordo totalmente com o seu ponto de vista. Não vou usar de ironias, mas nos EUA o atraso de jogos é recorrentes, apesar de geralmente só ocorrer por causa de outra partida de basquete. Não quero dar desculpas, mas creio que o modelo usado pela tv no Brasil ainda é de experimentação. Talvez eles estajam muito perdidos, e o uso de estratégias de marketing fosse uma ferramenta boa para se achar um caminho. E quem sabe uma quebra de monopólio nos direitos televisivos, como tentam fazer (apesar de sem sucesso) no futebol, seria boa para o basquete? Porque não poderíamos ter ao menos mais uma emissora transmitindo no basquete? Porque não negociar com a Globo um sublicenciamento, como fazem com o futebol? Porque não levar o caso para o CADE? Será que vão ameaçar dissolver a LNB, como fizeram com o C13? Não saberemos se ninguém procurar alternativas...

Abraços!

Anônimo disse...

Enquanto a parte do nível técnico não for resolvida, acho que nenhum marketing salva o basquete.
Da para melhorar a embalagem, dar uma perfumada, mas nada que se sustente por muito tempo.
Abraços.
Luiz

fábio balassiano disse...

victor, o seu argumento eu respeito - e o li até o final.
abs, fábio.

Victor Dames disse...

Também respeito seus pontos de vista, Bala, e muitas vezes concordo com eles, mesmo que não integralmente. Ao contrário do que alguns pensam por aqui, acho-o um crítico contrutivo, um tanto mordaz, mas realista e objetivo, nunca um simples ranzinza que não vai com a cara de um ou outro cbbista...

Abraços!

Anônimo disse...

apesar de muitas e muitas vezes discordar de vc,Bala..dessa vez concordo plenamente..
Uma vez que foi criado o estatuto do torcedor e que o horario do jogo seria postegardo em virtude de um grande evento, acredito que o jogo de basquete deveria comecar no horario...Nao estava em Franca,mas eh extremamente irritante e desolador ficar esperando a decisao de um canal de TV,seja ele qual for...Na final do paulista botaram a entrevista do ronaldinho gaucho no meio da decisao.....Num acho q seja bater de frente com globo tbem,mas ter respeito a regras estabelecidas para quem paga ingresso.
manoel