segunda-feira, 21 de março de 2011

A estreia do Bye, Bye Brasil

Conforme prometi aqui, a partir da próxima semana estreia aqui a seção "Bye, Bye Brasil", um espaço em que falaremos sobre os brasileiros que jogam lá foram. É óbvio que Splitter, Nenê, Huertas e os mais conhecidos poderão pintar, mas a ideia é explorar justamente quem pouco conhecemos (como foram os exemplos dessa semana dos meninos do Junior College ou do jovem Marlon Louzeiro na NCAA).

Então é assim: quem tiver dicas de jogador(a) nos EUA, nas divisões de base da Europa ou em qualquer canto desse mundo, manda brasa aqui na caixinha de comentários ou através do email fabio.balassiano@gmail.com . Não será um trabalho fácil, eu sei disso, mas acho que vai valer a pena. E conto com vocês para, a cada semana, eu ter ao menos uma novidade!

Obrigado aos que me ajudaram a formatar essa ideia, e ao grande Chico Buarque, que compôs a música que dá nome a nova seção do Bala na Cesta. Quem quiser, pode começar a dar sugestão dos integrantes do "Bye, Bye Brasil" desde já. Valeu!

29 comentários:

Anônimo disse...

Fábio, vc podia investigar se todos os técnicos convocados para a seleção brasileira sub 15 possuem CREF. Você terá grandes surpresas.

Orgulho de ser brasileiro disse...

Parabens pela otima ideia!

Henrique Bramorski - Columbia College
Islam Toledo - University of Idaho
Diego Pasos - Northwest College
Andre Almeida - University of Nebraska
Bruno - Laramie County Community College
Rodrigo Piru - Laramie County Community College( eleito Freshman do Ano)
Vinicius - Snow College
Todos os brasileiros do Western Wyoming
Abner Moreira - Idaho State University
Romario Souza- Louisiana Tech
Fabio Roberto - University of Louisiana-Monroe
Douglas Kurtz - University of Hawaii
Luis Paulo Santos - Marshalltown Community College
Renan Lenz - Arizona Western
Adonis Sousa - Arizona Western
Fernando - BYU-Hawaii

Sei tambem que tem brasileiras jogando em Eastern Utah

grande abraco!

@RiqueMonteiroS disse...

Brasileiros foram muito bem na rodada da ACB do fim de semana. Huertas, Augusto Lima, Paulão Prestes, Caio Torres.

Messo disse...

Bala... tem algusn q vc pode nos dizer como estão na Europa.. são eles:
Carlos Cobos
Caio Torres
Paulão Prestes ( draftado pela nba )
Rafael Hettsheimeir

Marco Antonio disse...

Tenho muita curiosidade em relação a Thaís Pinto que joga na Universidade de Nebraska, pelo fato de ser uma pivô muito alta: 1,97m, de apenas 19 anos e por já estar a dois anos nos Estados Unidos.

Recentemente o auxiliar técnico do Tarallo em Jundiaí foi contratado por essa mesma Universidade.

Anônimo disse...

Icaro Parizotto Irmão do Audrei de joinville.

marcelo marques disse...

vi os melhores momentos do jogo entre o zaragoza e o menorca

o caio torres finalmente resolveu emagrecer e esta mais rapido

foi o cestinha do jogo

e o dmitri vai jogar pela seleção?

Anônimo disse...

a cbb nao faz, o bala faz!

parabéns garoto!

Anônimo disse...

Você ja deve conhecer, mas em todo o caso segue o link:

http://www.latinbasket.com/Brazil/basketball-Players-Abroad.asp

Da para se esbaldar.
Abraços.
Luiz

fábio balassiano disse...

pessoal, obrigado pela ajuda!
temos um bom material pra começar

abs, fábio

johnurzeda disse...

Vamos ver se alguem me pode ajudar..tem um jogador que estreiou o ano passado no Blanco de Ruedas de Valladolid da ACB q se calma Leo Klassmann, no fim da temporada passada ele foi cedido ao filial do Valladolid para pegar mais experiência e tb por questões de cupo.e vinha se destacando bastante la liba LEB e pediu despensa do club por motivos pessoais..e ñ consigo encontrar mais nada sobre esse jogador..ele era considerado com um jogador seguro para a ACB na proxima temporada.

Anônimo disse...

Ao primeiro anonimo da historia do CREF. Eu particularmente acho uma babaquice. Voce sabia que o Bernardinho ganhou o dele?Isso nao significa competencia mas se essa e a lei ok. Porque voce nao fala quem nao tem ao inves de ficar fazendo intrigas o tempo todo...coisa chata.

Anônimo disse...

O brasileiro tem Mania de valorizar que trabalha ou joga no exterior. O fato de jogar em outro país não quer dizer que o cara é maximo. Tem aparecido tantas decepções como JP batista, baby araujo e muitos outros que fizeram sucesso na NCAA e depois decepcionaram. Mas gostaria de ter noticias do desenvolvimento do tavernari. O fab mello por exemplo, depois de ter esnobado a seleção brasileira, tem se mostrado muito fraco para NCAA.

Anônimo disse...

O brasileiro tem Mania de valorizar que trabalha ou joga no exterior. O fato de jogar em outro país não quer dizer que o cara é maximo. Tem aparecido tantas decepções como JP batista, baby araujo e muitos outros que fizeram sucesso na NCAA e depois decepcionaram. Mas gostaria de ter noticias do desenvolvimento do tavernari. O fab mello por exemplo, depois de ter esnobado a seleção brasileira, tem se mostrado muito fraco para NCAA.

Anônimo disse...

O brasileiro tem Mania de valorizar que trabalha ou joga no exterior. O fato de jogar em outro país não quer dizer que o cara é maximo. Tem aparecido tantas decepções como JP batista, baby araujo e muitos outros que fizeram sucesso na NCAA e depois decepcionaram. Mas gostaria de ter noticias do desenvolvimento do tavernari. O fab mello por exemplo, depois de ter esnobado a seleção brasileira, tem se mostrado muito fraco para NCAA.

Orgulho de ser brasileiro disse...

Não fala o que você não sabe... O Fabrício Melo não esnobou a seleção brasileira não senhor... alguns atletas precisam fazer aulas durante o verão americano para poderem jogar na temporada seguinte. Dependendo da quantidade de matérias que ele tinha em seu currículo escolar, é bem possível que ele tenha precisado de uma ou duas matérias durante o verão, são regras da própria NCAA. Sem contar o fato de que as próprias universidades seguram e pressionam seus atletas para que possam ficar na universidade treinando em quadra e na sala de musculação durante o verão americano inteiro...

vamos parar de acusar e apontar o dedo sem saber... valeu!

Anônimo disse...

Rafael Maia que jogava no paulistano ta nos eua tbm

Anônimo disse...

Tem um baiano chamado JOJO na Universidade de North Carolina... pivo do carai!

Anônimo disse...

Daniel Barbieri....garoto 96 que está dando o que falar na Espanha...

Orgulho de ser brasileiro disse...

Pedro Maciel - Pearl River Community College
Marcelo Crivellente - Western Nebraska Community College
Bruno Ferreira - Indian Hills CC
Rodrigo Peggau - Duquesne
Rodrigo Silva - Wayland Baptist
Eduardo Gallina - Southern Indiana

sta.ignorancia® disse...

Bala, pode citar o feminino também?

A lista é grande:

Priscila Cergol - ORU
Ariani Silva - Cowley College
Thais Pinto (pivo de 1,97 e 21 anos) - Western Nebraska
Priscila Borges - Eastern Utah
Daiana Ferreira - Eastern Utah
Bruna Deichmann - Eastern Utah
Taise Santana - Arkansas Tech
Samantha Ludwig - Arkansas Tech
Natalia Santos - Arkansas Tech
Marlianne Louzeiro (maranhense, seria irmã do Marlon?) - Casper College
Sâmara Matthes - Calgary (Canadá)

Tem muito mais meninas por lá, só que eu não me lembro agora...rs

fábio balassiano disse...

vale, claro, sta!
deixe comigo.

abs, fábio

Anônimo disse...

A questao eh saber : Qdo vale a pena jogar la fora?
Claro q estudar e viver em outro pais ja eh muito bom ,mas muitas vezes- talvez a maioria- os jogadores sao subjugados a times menores de 2a e 3a divisao da europa,ou uma universidade menor dos USA....Onde sao tratados da pior maneira .Os citados na maioria dos comentarios foram os que deram certo."Se deram bem",mas eh soh a ponta de um imenso iceberg.
manoel

Anônimo disse...

Desinformado. A CBB acompanha todos os atletas que estão lá fora. Basta atentar para o noticiário especializado em basquete.

Anônimo disse...

Realmente, a CBB acompanha todo mundo!!! É só querer: dê uma olhada no site (TOSCO) que a CBB disponibiliza para todos nós...
Se não tem o que falar, fica de boca fechada!!!

Anônimo disse...

Anonimo das 10:27,


Que informação a CBB tem ou apresenta sobre as dezenas de atletas que atuam nas Universidades dos Estados Unidos, por exemplo?

Marco Antonio disse...

Consegui números da Thaís Pinto e outra informação interessante: segundo seu profile ela mede: 6'7'' ou seja, 2,01cm.



PS.: Sta Ignorancia, tem certeza que Thaís tem 21 anos? Acho que ela é da geração da Kika ex-Jundiaí que tem 19 anos.


http://www.hometeamsonline.com/teams/default.asp?u=REGIONIXWBASKETBALL&t=c&s=basketball&p=profile&playerID=127274

sta.ignorancia® disse...

Marco Antônio,

A Thaís é da geração que foi para o mundial sub 21 em 2009.

Ela é de 1990, fez ou vai fazer esse ano 21 anos...

Nossa, será que ela tem mais de 2 metros? Eu lembro que quando ela surgiu junto com a Kika na seleção mineira, ambas eram creditadas com 1,95.

Só lembrando que a Thaís jogou pela seleção cadete e foi campeã sul americana em 2006. Depois machucou o joelho e sumiu da seleção. Tem que voltar urgentemente!

Bala, vc q tem contato com a Hortência precisa indicar essa menina! Não dá pra deixar passar mais uma menina alta como estamos deixando passar Isis e Danila...

Marco Antonio disse...

Sta Ignorancia,


Em 2009 não houve Mundial sub-21 e sim sub-19.

A Thaís é mesmo dessa geração da Kika (19), Tatão (20), Fabiana(20), Tainá (19), etc.

Deve ter entre 19 e 20 anos.

Andei pesquisando no pbf e quando ela surgiu aos 15 anos em 2006 ela media 1,95m, mas segundo o site americano agora ela tem 2,01m.

Precisa ser trabalhada logo na seleção, pois atletas com mais de 1,90m estão cada vez mais difíceis de aparecer.