terça-feira, 30 de junho de 2009

Alto-falante

"O Marcio Braga acabou com um relacionamento de 22 anos que tinha comigo. Para mim, chega. Não sei o que ele pensou quando chamou a Patricia Amorim para entregar o troféu e passou por mim sem falar nada"

A frase é de João Henrique Areias (foto), em entrevista ao Globoesporte.com. O ex-diretor de esportes olímpicos reclama da atitude de Marcio Braga, presidente do Flamengo, que fez com que Patricia Amorim entregasse o troféu do NBB a Marcelinho. Para entender melhor a situação, recomendo a leitura do ótimo artigo de Rodrigo Alves, no Rebote. A história do rubro-negro lembra a vivida pelo Fluminense em 1998, quando um dia após a conquista do Nacional Feminino o time perdeu Hortência (então diretora da equipe) e as suas maiores estrelas.

7 comentários:

Cassiano/Araçatuba disse...

Cambada de melindroso, frescos, mesquinhos...é AMADORISMO puro...na verdade não impressiona ninguém e não é exclusividade do Famengo. Mas sim do basquete brasileiro!!!
"Fiquei tristinho pq não entreguei o troféu"...ah vai te catar!!!
Estupidez...

Anônimo disse...

VAIDADE e AMADORISMO.....

este é o BASKET no Brasil......na CBB, na seleção e no clubes.

Só não ve quem não quer!!!!!!!

TEMOS QUE MUDAR TUDO!!!!!!

Victor Dames disse...

Não acho que a atitude do Areias seja mesquinha. Qualquer um que faz o seu trabalho quer aproveitar o momento de reconhecimento. Quem não pensa assim é porque nunca ganhou nada na vida, nunca cumpriu uma meta, nunca venceu um desafio.

O Areias está de parabéns. Ele pode até ter exagerado no ciúme da Patrícia, que também merece reconhecimento pela montagem do time (o Areias foi responsável pela manutenção dele num momento de crise), mas nada tira o brilho de seu trabalho.

O reais culpados disso, como de costume, são os presidentes do Fla (temos que aguentar dois, veja só), que não tem a delicadeza, a elegância de contornar a situação, comentendo tamanha gafe...

Abraços!

André Amaral disse...

O Areias tem razão. Se coloquem no lugar dele.

O cara chegou a trabalhar de graça, ajudou o basquetedo Flamengo a sair da crise e deu um ar de profissionalismo.

Como falta habilidade política ao Márcio Braga. Impressionante.

A Patrícia tem moral com os jogadores, tanto que depois dos jogos todos foram falar com ela.

Ela quem montou e bancou esse time contra tudo e todos na Gávea.

Gostaria de ver Patrícia e Areias juntos. Tomara que depois das férias, o Areias reconsidere essa sua decisão. Pelo bem do basquete Rubro Negro.

Anônimo disse...

me parece o fim de um conto vencido.

O basquete do Flamengo está ACABANDO!!!!!

André Amaral disse...

Podem secar a vontade torcidinha arco-íris, o basquete não vai acabar...rs

VI E NÃO ACREDITEI... disse...

Fala-se em acabar o basquete do Fla...acho que atualmente se fala em acabar o basquete de uma forma geral.
Numa partida estudantil, num grande torneio patrocinado por um jornal e uma cadeia americana de fast food...o treinador de uma escola deu um grande exemplo(avaliem se bom ou ruim)...ao ver seu time perdendo de uma diferença elastica no placar...sugeriu as atletas que abreviassem a partida fazendo faltas rapidamente, isso no segundo quarto...no terceiro quarto, qdo ficou com 3 atletas em quadra voltou a sugerir uma torção de tornozelo e uma indisposição estomacal para duas delas...no que foi prontamente atendido
Será que esse treinador, qdo morrer vai pro CEL?
Meninas de 12 a 17 anos...futuro do basquete feminino carioca parece prometer...