segunda-feira, 30 de maio de 2011

Um registro merecido

O nome das finais foi Guilherme Giovannoni, a torcida de Brasília ganhou destaque merecido, mas um nome passou um pouco de lado neste blog. O de José Carlos Vidal, treinador da equipe campeã do NBB3 (ele já havia conquistado o troféu com os candangos em 2007, diga-se).

Dono de um temperamento tranquilo, muita gente esperava que Vidal fosse "apenas" dar sequência ao bom trabalho de Lula Ferreira na capital federal. Mas não foi só isso. Se não fosse o bastante administrar Nezinho, Alex e Giovannoni, líderes da equipe e cujos temperamentos não são fáceis (para ser educado), o treinador ainda conseguiu fazer com que Brasília atuasse de maneira mais segura em relação à temporada passada. Na defesa, seu time sufocou Pinheiros e Franca no NBB, e aniquilou o Flamengo na Liga Sul-Americana. A tal "zona covarde", que Nezinho reclamou bizarramente em 2010 (o que deu na cabeça do armador para dizer aquilo, hein?), foi a maior arma de uma marcação muito bem treinada e pressionada.

Num universo de tanta escassez de talento, o trabalho de José Carlos Vidal merece destaque. Brasília ainda comete erros em demasia (ainda há muita precipitação, principalmente na armação), chega a abusar dos três pontos, mas a defesa aplicada principalmente nos playoffs foi a chave para a vitória no NBB3. Que Vidal continue assim, porque o basquete brasileiro precisa de alguns sopros de mudança na beira da quadra.

8 comentários:

Anônimo disse...

bala, parabéns!
alguém falando do vidal.
ele teve papel importantíssimo!
realmente merece os parabéns mesmo.


valeu!

augusto

Anônimo disse...

O que mais impressionou no Vidal foi a diferença dele ao lidar com o grupo. Com o Lula era uma briga por semana pelo menos no elenco ou com ele mesmo. Com o Vidal eles viraram bons amigos.

rao* disse...

Só de controlar esses jogadores já foi um grande trabalho mesmo, parabéns ao Vidal.

Anônimo disse...

Bala, me desculpe a ignorancia, mas ele é parente do Ari Vidal????
Ou simplesmente o sobrenome é apenas uma coincidência????
Agradeço, antecipadamente.

fábio balassiano disse...

boa pergunta, mas nao creio
mas vou checar.

abs, fábio

Baralhão disse...

Ele é excelente! Todos os defeitos que você citou são fruto da personalidade das "estrelas" de Brasília, cada um quer decidir e ganhar o jogo sozinho, se possível.

Anônimo disse...

O maior mérito do Vidal foi o de não atrapalhar seus jogadores como fazia o Lula, e sim dialogar com esses excelentes atletas e buscar decisões em conjunto.
A convivência do Lula com eles tinha se tornado no minimo insuportável.
Por outro lado, ainda falta muita qualidade técnica e tática ao professor Vidal, coisa que até ele sabe, e por isso deixa seus experientes atletas resolverem e jogarem da maneira que gostam.

Reny disse...

Muito bom o artigo. O Zé Carlos estava realmente merecendo umas linhas elogiando-o. Seu trabalho para domar as feras e a serenidade (pelo menos aparente) que teve deve ser ressaltado. Estou devendo uma garrafa de cachaça de boa qualidade para ele.