segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Quem seria o Guga do basquete?

Li no ótimo Saque e Voleio que, durante a entrevista coletiva para promover seu jogo contra o também mítico Andre Agassi, o tenista Gustavo Kuerten disse a seguinte frase: "Espero que daqui a 10 anos a gente tenha uma estrutura definida no tênis, com profissionais capacitados, com jogadores surgindo em maior quantidade. É um desafio pessoal. Acredito também que o tênis vai além, não é só o esporte. Não busco levar o tênis para crianças só para ver se saem campeões. É principalmente por esse aspecto coletivo, de amizade, de aprendizado. É por aí que vou tentar me dedicar, porque sei que a contribuição vai ser muito maior".

Com esta declaração na cabeça eu voltei para casa na última sexta-feira pensando em quem poderia ser essa pessoa no basquete brasileiro. Uma pessoa sensata, inteligente, com carisma, visão de negócio e de futuro - tudo junto e misturado. Confesso que fiquei na tentativa, mas se o amigo leitor tiver algum bom nome, por favor que coloque na caixinha de comentários.

Sorte do tênis.

20 comentários:

Luiz disse...

A função do GUGA pro tenis eh ser um garoto propaganda, o rosto que todos vão lembrar quando pensarem em tenis, pro basquete temos vários atletas que poderiam fazer esse papel, basta as pessoas por tráz do esporte se ligarem e começarem a usar eles como o pessoal do tenis usa o GUGA. (Neste caso, pra nuam ficarem equivocos, usar em um sentido bom, usar os atletas em uma função nobre)

leonardo disse...

magic paula eh a unica que pode se encaixar nesse perfil...

Pedro Trindade disse...

Em termos de maturidade, sensatez e inteligência, na atual geração eu diria que o Huertas êh quem tem esse perfil... No entanto, sem títulos ninguém vai a lugar nenhum no esporte. mas se vc pegar o ultimo mundial e lembrar que assim que fez 32 pontos ele falou que "não significa nada pq o time perdeu" e saiu chorando de quadra, pra mim isso mostra o perfil de atleta que o Huertas êh.

Erin disse...

marcelo machado.
as criancas gostam dele, ele representou a selecao como mais do que qualquer outro de sua geracao e tem muito carisma!
acredito que quando parar de jogar veremos o marcelo machado ainda fazendo muito pelo basquete.

Anônimo disse...

"Uma pessoa sensata, inteligente, com carisma, visão de negócio e de futuro - tudo junto e misturado".
Bala
Teve um cara que nasceu a 2010 anos atraz le pelo lado da Judeia, mas não sei se ele ia topar pegar essa.
Brincadeiras a parte, acho que não temos uma pessoas assim, mas nada nos impediria de fabricar.

Acredito que Paula, Hortência , Oscar, Vlamir, Amaury, etc.....poderiam ajudar, desde que colocados no lugar certo (que confesso, também não sei qual é!)
Não ta fácil!
Abraços
Luiz

Anônimo disse...

Minha opinião é que, não apenas no caso do basquete, é preciso haver uma conjunção de atitudes que se movam em uma única direção. O papel do ídolo é fundamental. Ele é a ponta do iceberg, aquilo que é visível, que motiva e onde se concentra os olhares e a atenção do jovem. No entanto, não cabe a ele sozinho motivar a prática esportiva. É maravilhoso ver a consciência de um atleta como o Guga, mas se não houver uma atitude na mesma direção, principalmente das estruturas governamentais, confederações, federações, ele vai ser uma voz isolada, com um alcance limitado. Uma voz belíssima, que vai estar cumprindo com a sua parte, mas com um alcance limitado. Enquanto não tivermos uma estrutura que possibilite massificar efetivamente o esporte, e que tenha a escola como eixo, veremos apenas atitudes maravilhosas de apaixonados como o Guga, mas atitudes isoladas e incapazes de lidar com o tamanho da tarefa de encarar o verdadeiro sentido da prática esportiva. Caso isso existisse, teríamos no basquete dezenas de ídolos que poderiam cumprir esse papel, e se tornar ídolos maiores, em um círculo virtuoso. Imagine o quão positiva poderia ser para o incentivo à prática do basquete o uso da imagem de um garoto como o Raulzinho, por exemplo, um menino de 17 anos. Isso seria um grande motivador para garotos da idade dele e mais jovens. E é só um exemplo. E como tão bem aponta o Guga, o objetivo de formar campeões é apenas um subproduto dos benefícios sociais que a prática esportiva pode gerar. Estamos à beira de realizar uma Olimpíada, no meio de uma campanha eleitoral, e nenhum candidato ao menos toca nesse assunto com esse enfoque, com o mínimo de seriedade. Guga pra presidente!!!!!!

Sergio C.

Guilherme disse...

Oscar, Marcel, Hortência. rs

Anônimo disse...

Bala, se o nome que pedistes não precisar ser de ex-jogador conhecido, o atual Presidente da Federação Gaúcha (ex-jogador de aduulto) é uma grande cabeça. Advogado e gestor, está elaborando um planejamento estratégico para o Basquete de lá com planos a longo prazo. Está tendo muito trabalho para colocar a casa em dia, mas tem excelentes idéias.

Andre disse...

o amigo que disse marcelo machado eh um piadista...

Anônimo disse...

Não existe, para ter um guga do basquete brasileiro, a pessoa devia ter sido a melhor do mundo (pelo menos por um periodo) enquanto jogava! no basquete, NUNCA tivemos isso! Nem masculino ou feminino!

Anônimo disse...

Splitter e Varejão tem o carisma, só não são o melhor jogador do mundo em seu esporte como o Guga foi.

Anônimo disse...

Sou fazasso do Guga, e jogo tenis alem de varios esportes, mas ele nunca cosiderado o melhor do mundo, ee foi sim durante uma curta temporada 1º do ranking o que e diferente, e a função dele o Luiz acertou e so marketing, e um tremendo gente boa mas so isso.
Neste papel de cara pra fotos comerciais e eventos, tem bastante gente.
Pessoal a Paula teve uma atitude muito boba em sua carreira que fo aceitar e ate adotar o apelido magic, nesse ponto a Hortência foi mais correta a não aceitar o jordan como queriam, por favor não chamem nossa grande jogadora que foi a Paula de maic paula e ridiculo.

Anônimo disse...

O guga já foi sim o melhor do mundo!

1º no ranking mundial de simples (43 Semanas), se isso não é ser melhor do mundo no que faz... eu não sei o que é mais!

Anônimo disse...

Sampras era sem duvida o melhor do mundo na epoca, inclusive nestas 43 semanas, qualquer um que jogue tenis sabe disso, depois de Sampras tinha o Agassi, depois talves o Guga. Mas e um cara incrivel e o segundo maior nome de nosso tenis nacional, ai vem Maria Ester Bueno, esta sim foi a melhor do mundo incontestavel em sua epoca.

Anônimo disse...

Helinho, filho de Helio Rubens kkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

sorte do tenis? o que mudou no tenis desde que guga ganhou os titulos?? perde-se ate pra india...

Chizu disse...

Realmente, essa talvez seja a grande diferença do tênis, por ser um esporte individual. Só precisa ter um cara diferenciado (como Guga foi), para fazer a diferença. Como o anônimo falou aí em cima, depois do Guga, o que de fato mudou para o tênis brasileiro? Teve massificação do tênis? Explosão de novos talentos? Temos é muito marketing com o Guga como garoto-propaganda, mas é só. É um esporte de elite, inacessível para a maioria dos brasileiros, e não há estrutura nem organização para peneirar os verdadeiros talentos.

João Marcos disse...

Anderson Varejão é o mais indicado, sem dúvidas. Ele pode não ter resultados expressivos, como o Guga, mas tem carisma, caráter, personalidade e é exemplo. Varejão venceu na carreira, vem de família do esporte, tem um grande coração e, não à toa, tem excelente exposição na mídia e é garoto-propaganda da Seleção Brasileira. Ele é o cara!

Guilherme disse...

Devia se o Oscar, + parece q ele prefere fica no sofá da casa dele se achando...

Anônimo disse...

Quem seria o Oscar do tenis?...esse tipo de comparacao soh joga um esporte contra o outro.
Po,Bala.Num cai nessa.
Grande Guga tri de rolan.
Ocar,maior pontuador em olimpiadas, e num foi p NBA,p preferir jogar pela selecao (na epoca NBA num jogava Fiba)
Palmas p os 2
Manoel