terça-feira, 27 de julho de 2010

Boa novidade

Leio no site da CBB que enfim sairá a Copa Brasil em 2010. De acordo com a entidade, a competição contará com oito equipes (três do Sudeste, duas do Sul e uma de Norte, Nordeste e Centro-Oeste), tem previsão de duração de seis meses (outubro de 2010 até abril de 2011) e dá ao vencedor e ao vice-campeão a possibilidade de participar do NBB4 caso as equipes preencham os critérios da Liga Nacional de Basquete (LNB).

A novidade é muito boa, principalmente porque se temia que, com o inchaço do NBB, houvesse um hiato muito grande entre a liga e a Confederação. Com a criação da Copa Brasil, este pode ser o primeiro passo para a criação de uma segunda divisão também forte e organizada, como é o campeonato da LNB.

Que CBB e LNB sigam falando a mesma língua, porque o basquete brasileiro só tem a ganhar. E que as duas entidades não parem por aí. Insisto: uma segunda divisão forte seria fundamental para a criação de novos pólos da modalidade no país, a revelação de novos talentos (e o aproveitamento daqueles que pouco atuam na categoria adulta também) e a massificação do basquete no país.

14 comentários:

Diogo Aquino disse...

Po bala, não dá pra discordar de você qnd vc diz q é importante a criação de uma segunda divisão forte seria importante.

No entanto, o proprio modelo apresentado, tende a nos mostrar o contrário.

Afinal, quão forte pode ser uma competição q contará com 8 equipes e enrolando por 6 meses, com a sobra dos atletas que não forem aproveitados no NBB.

De fato, é essencial a criação de uma competição de bom nível p/ revelar atletas e dar experiencia aos jovens que apesar de obrigatórios tem poucos espaçõs no NBB, afinal quem viu o jovem inscrito do flamengo em quadra? Na ultima edição só lembro de te-lo visto em um jogo ja definido da final.

Acredito que o melhor caminho pra CBB seria a criação de uma competição em nivel nacional sub-23.

Afinal se os clubes do NBB tem grandes dificuldades financeiras p/ se manter no jogando a 1ª divisão e vale lembrar que esta qse n tme visibilidade, o que vc acha que vai acontecer com as equipes que forem rebaixadas, e não falo só de um Saldanha da Gama, Londrinha e etc... Até mesmo Brasilia e Flamenog não são estaveis o suficientes para que possamos garantir a permanencia das atividades profissionais, com um rebaixamento.

Hoje 2ª divisão de bom nível e visibilidade no NBB é impossivel, bem como o modelo apresentado de copa do brasil me parece no mínimo curioso o que 8 times v~]ao fazer em 6 meses? td mundo contra td mundo 4 vezes, ou um jogo a cada 15 dias? bom... acredito que a intenção da LNB e da CBB é a melhor, mas este modelo não me parece promissor, ao contrário pode ser contraproducente.

Bom esse é meu pitaco, na busca de um basquete brasileiro melhor

O que vc aca disso tudo?

Abraço Bala!

fábio balassiano disse...

fala, diogo, beleza?
suas opiniões são, de fato, muito legais, e concordo com quase tudo.
mas de fato eu acho importante essa copa brasil.
sobre o nacional sub-23, eu concordo inteiramente, mas não acredito que seja viável no país.

de fato são bons argumentos, sem dúvida alguma. mas eu penso que a ideia da copa brasil, ou copa do brasil, pode ser uma boa mesmo.

não é o ideal, mas é uma boa para começar.

Anônimo disse...

Acho que um sub-23 seria uma boa opção, mas tambem acho que uma segunda divisão é no momento a melhor saida, os times que chegam ao topo na tabela sempre terão divulgação mesmo que local e a motivação da comunidade pode fazer com que melhores patrocinios apareçam. Mas este formato me parece só uma reedição das Copas do Brasil que antes eram chamadas Copa Caixa e já classificavam para a primeira divisão, mas nesse formato não existe intercambio entre os times do norte/nordeste e os do sul/sudeste/centro-oeste, dessa forma fica dificil que os times lá de cima possam evoluir e vir a se firmar como polos de basquete de rendimento, não adianta nada a montagem de times de aluguel que não acrescentarão nada para o esporte local.

Anônimo disse...

Vão ser dois torneios.
Copa do Brasil,sendo disputada nas respectivas regiões e depois a Suoer Copa Brasil,ai sim com as 8 melhores equipes.3 do Sudeste,2 do sul.....etc...
Pelo menos foi o que entendi da noticia.

China disse...

Eu acho ótimo uma criação de uma segunda divisão,mesmo que essa no ínicio se mostre fraca,seja tecnicamente ou o próprio modelo apresentado.Mas já é alguma coisa.E nada começa de cima.Eu acredito que com o tempo seria mais interessante diminuir o número de times do NBB porque pelo que vi e já comentaram para a próxima edição tem muitos times inscritos(mesmo que nem todos entrem)e com as edições passadas já deu pra ter uma idéia que tanto nem todas essas equipes conseguem se estruturar de maneira a competir no mesmo nível que outras,pelo menos por enquanto.Então acho que seria uma boa algumas dessas equipes menores que estão no NBB ou tentando entrar no mesmo,que sigam para a Copa do Brasil,para se estruturar melhor e conseguir crescer.Com o número menor de participantes o NBB tende a ter um nível técnico maior e menos diferença técnica,além de tentarmos evitar com isso aqueles times que no meio do campeonato não possuem mais orçamento para pagar seus profissionais,consistindo assim na terrível mazela do nosso esporte de sempre ter salários atrasados.
Mais o PRINCIPAL,pelo menos pra mim,com a criação da Copa do Brasil(ainda mais que ela vai ter o comando da CBB)seria a preocupação com a base e com os jogadores que saem dela pro profissional e não encontram muito espaço nas equipes principais do NBB,sem com isso conseguir desenvolver seu jogo.Acho que seria importantíssimo ter uma regra rígida impondo a necessidade de escalação de "X" jogadores no quinteto titular com menos de 23 anos e não só isso,como também tempo de quadra para esses jogadores,além de ter algo no sentido de formar os elencos com a maioria dos jogadores tendo essa faixa etária.Com apenas alguns veteranos.Porque se não vamos ter uma segunda divisão nacional povoada por veteranos que não conseguem mais espaço nos times principais do cenário do nosso esporte no Brasil e isso nada vai ajudar pro futuro do nosso basquete.Sem querer nomear mas já nomeando para as pessoas entenderem melhor meu ponto de vista teríamos times com jogadores como : Ricardinho,Valtão,Macetão,Casé,Gema,etc etc.
Nada contra os jogadores,foram só alguns nomes que me vieram a cabeça(aliás nem sei se alguns já não se aposentaram,acredito que sim),mas foi só para exemplificar o meu pensamento.
Enfim é isso,abraço a todos.
E parabéns Bala, o blog tá cada dia melhor.

Anônimo disse...

Somente para esclarecer estes oito times são resultados de um campeonato que acontecerá nas 5 regiões. A CBB dará um prazo para todas as federações indicarem os clubes do seu estado que querem participar da copa brasil, inscritos os times, em uma primeira faze os times jogam um campeonato da região da qual ele participa, onde classificam sudeste (3), sul (2) e 1 por cada um das demais regiões, classificando oito equipes, ou seja, não são 8 equipes jogando 6 meses são varias equipes, a previsão de que na primeira faze tenham mais de 20 clubes inscritos para sairem 8.

Guilherme disse...

Eu acredito que esse modelo é o melhor para o momento. Torneios regionais e uma fase final com os campeões. Menores custos e chances para equipes de todo o país. Está de parabéns a CBB por isso.
Acredito que nesse torneio, com muitas equipes e menos dinheiro, o espaço para jovens existirá naturalmente...

Anônimo disse...

Qual campeonato sulamericano que jogará esse time campeão ?? dificil vai ser viajar para norte do brasil meu deus já estou até vendo , no antigo nlb alguns times viajaram de onibus para jogar contra paysandu , só acho que eles deveriam simplificar mais ,seria um campeonato com 20 times ou 18 como nbb ,2 ultimos cairiam 2 primeiros cairiam por qua vc vai e campeão é ainda tem que joga um quadrangular para subir dificil hein...

Anônimo disse...

Amigos estão sabendo da nova , são bernardo está fazendo uma parceria com saldanha da gama pelo que sei já está praticamente tudo certo , falta detalhes....

Diogo Aquino disse...

De fato a iniciativa da CBB é ótima, bem como entendo que o modelo, que considero ideal, com um sub-23 em ambito nacional e de preferencia com um draft para os times do NBB, no momento ainda está longe de ser possível.

No entanto o modelo apresentado pela CBB tb passa longe do ideal, com algumas decisões que sequer são razoaveis. Vamos aos pontos:

1- Se a ideia é desenvolver o esporte, não dá pra ter uma divisão de vagas tão preconceituosa, como a atual. Afinal quem mais precisa de desenvolvimento é o nordeste, e esta segregado a apenas uma vaga. O idela seria que as competições calssificatórias fossem realmente regionais, mas com uma distribuilção maior de vagas, mesmo que isto signifique queda de nivel tecnico, pois o objetivo é realizar um intercambio entre as regiões e que todas possam se desenvolver no mesmo nível. Acho que o ideal seria algo como: 16 vagas divididas em 3 para cada região e uma rotativa beneficiando uma região a cada edição. Para facilitar o torneio poderia ter sedes fixas divididas em 4 grupos de 4 equipes com 4 sedes o que baratearia os custos da competição e proporcionaria uma fase final em alto nível assistida pelas 5 regiões, por exemplo, na 1ª edição Nordeste, Sul, Centro-este e Norte são sedes da 2ª fase com o sudeste sendo sede da fase final;

2- Se o objetivo da competiçao é desenvolver atletas, entendo que tem que haver limitação para atletas acima de determinada idade, com o fim de evitar quese montassem times veteranso para conquista da competição desviando o foco principal;

3- Premiação para o campeão, apesar do histórico de más administrações no esporte nacional, a premiação para o campeão deveria ser significativa em dinheiro possibilitando o cresciemnto da equipe sua estruturação e futuramente que esta pudessse pleitiar sua entrada no NBB. No entanto o simples fato de ser campeão não deveria ser um portal de acesso ao NBB, pois como ja disse anteriormente insto pode ser a ruina dos clubesm e não a sua glíoria. Neste diapasão, a vaga a uma competição continetal é no mínimo estapafurdia, imaginem só o campeão da serie D do Campeonato Brasileiro de Futebol, ganhar uma vaga na Libertadores da América;

Bom, é claro que não to aqui pra ser do contra ou pra jogar areia, mas não basta boa intenção e iniciativa, temos que agir com eficiencia e planejamento, porque atitudes mal planejadas podem e ja tiveram ´péssimas consequencias no futuro doe sporte, é sempre importante lembrar que 2016 é logo ali.

Diogo Aquino disse...

De fato a iniciativa da CBB é ótima, bem como entendo que o modelo, que considero ideal, com um sub-23 em ambito nacional e de preferencia com um draft para os times do NBB, no momento ainda está longe de ser possível.

No entanto o modelo apresentado pela CBB tb passa longe do ideal, com algumas decisões que sequer são razoaveis. Vamos aos pontos:

1- Se a ideia é desenvolver o esporte, não dá pra ter uma divisão de vagas tão preconceituosa, como a atual. Afinal quem mais precisa de desenvolvimento é o nordeste, e esta segregado a apenas uma vaga. O idela seria que as competições calssificatórias fossem realmente regionais, mas com uma distribuilção maior de vagas, mesmo que isto signifique queda de nivel tecnico, pois o objetivo é realizar um intercambio entre as regiões e que todas possam se desenvolver no mesmo nível. Acho que o ideal seria algo como: 16 vagas divididas em 3 para cada região e uma rotativa beneficiando uma região a cada edição. Para facilitar o torneio poderia ter sedes fixas divididas em 4 grupos de 4 equipes com 4 sedes o que baratearia os custos da competição e proporcionaria uma fase final em alto nível assistida pelas 5 regiões, por exemplo, na 1ª edição Nordeste, Sul, Centro-este e Norte são sedes da 2ª fase com o sudeste sendo sede da fase final;

2- Se o objetivo da competiçao é desenvolver atletas, entendo que tem que haver limitação para atletas acima de determinada idade, com o fim de evitar quese montassem times veteranso para conquista da competição desviando o foco principal;

3- Premiação para o campeão, apesar do histórico de más administrações no esporte nacional, a premiação para o campeão deveria ser significativa em dinheiro possibilitando o cresciemnto da equipe sua estruturação e futuramente que esta pudessse pleitiar sua entrada no NBB. No entanto o simples fato de ser campeão não deveria ser um portal de acesso ao NBB, pois como ja disse anteriormente insto pode ser a ruina dos clubesm e não a sua glíoria. Neste diapasão, a vaga a uma competição continetal é no mínimo estapafurdia, imaginem só o campeão da serie D do Campeonato Brasileiro de Futebol, ganhar uma vaga na Libertadores da América;

Bom, é claro que não to aqui pra ser do contra ou pra jogar areia, mas não basta boa intenção e iniciativa, temos que agir com eficiencia e planejamento, porque atitudes mal planejadas podem e ja tiveram ´péssimas consequencias no futuro doe sporte, é sempre importante lembrar que 2016 é logo ali.

Diogo Aquino disse...

De fato a iniciativa da CBB é ótima, bem como entendo que o modelo, que considero ideal, com um sub-23 em ambito nacional e de preferencia com um draft para os times do NBB, no momento ainda está longe de ser possível.

No entanto o modelo apresentado pela CBB tb passa longe do ideal, com algumas decisões que sequer são razoaveis. Vamos aos pontos:

1- Se a ideia é desenvolver o esporte, não dá pra ter uma divisão de vagas tão preconceituosa, como a atual. Afinal quem mais precisa de desenvolvimento é o nordeste, e esta segregado a apenas uma vaga. O idela seria que as competições calssificatórias fossem realmente regionais, mas com uma distribuilção maior de vagas, mesmo que isto signifique queda de nivel tecnico, pois o objetivo é realizar um intercambio entre as regiões e que todas possam se desenvolver no mesmo nível. Acho que o ideal seria algo como: 16 vagas divididas em 3 para cada região e uma rotativa beneficiando uma região a cada edição. Para facilitar o torneio poderia ter sedes fixas divididas em 4 grupos de 4 equipes com 4 sedes o que baratearia os custos da competição e proporcionaria uma fase final em alto nível assistida pelas 5 regiões, por exemplo, na 1ª edição Nordeste, Sul, Centro-este e Norte são sedes da 2ª fase com o sudeste sendo sede da fase final;

2- Se o objetivo da competiçao é desenvolver atletas, entendo que tem que haver limitação para atletas acima de determinada idade, com o fim de evitar quese montassem times veteranso para conquista da competição desviando o foco principal;

3- Premiação para o campeão, apesar do histórico de más administrações no esporte nacional, a premiação para o campeão deveria ser significativa em dinheiro possibilitando o cresciemnto da equipe sua estruturação e futuramente que esta pudessse pleitiar sua entrada no NBB. No entanto o simples fato de ser campeão não deveria ser um portal de acesso ao NBB, pois como ja disse anteriormente insto pode ser a ruina dos clubesm e não a sua glíoria. Neste diapasão, a vaga a uma competição continetal é no mínimo estapafurdia, imaginem só o campeão da serie D do Campeonato Brasileiro de Futebol, ganhar uma vaga na Libertadores da América;

Bom, é claro que não to aqui pra ser do contra ou pra jogar areia, mas não basta boa intenção e iniciativa, temos que agir com eficiencia e planejamento, porque atitudes mal planejadas podem e ja tiveram ´péssimas consequencias no futuro doe sporte, é sempre importante lembrar que 2016 é logo ali.

Mayra disse...

Fala Bala!
Essa notícia foi dada semana passada pelo blog da Liga, tem até sonora do Kouros http://www.lnb.blog.br/?p=8414
Acho que a i´deia é ótima, mas pensando a médio prazo. Pelo que se desenha da primeira Copa do Brasil não é nada animador, 8 times, 3 do sudeste, nada a ver. Mas é só a primeira, é o embrião de um belo projeto.

Fabantas disse...

Gosto do T-Mac mas ele está se tornando um pé no saco com essa história de ser titular. Tudo bem que ele ainda se sinta, o que é bom até certo ponto, mas por que não chegar na humildade jogando seus 15 minutos e conforme for indo e jogando bem o Thibodeau daria a chance para ele jogar mais.

Mas já chegar se impondo assim, queimou o filme legal.

Tem uma frase que ele diz "que ele junto com o Boozer vão fazer o Bulls ganhar 30 jogos a mais na próxima temporada" viajou legal nessa, já se achava contratado.

Tá certo o Bulls em não contratá-lo ele poderia desequilibrar o ambiente em Chicago.

Infelizmente vai ser vergonhoso o fim de carreira do T-Mac, um pena.