quinta-feira, 29 de julho de 2010

Descaso

Confesso que fiquei chocado quando, ontem, li no Rebote que apenas dez técnicos brasileiros compareceram aos treinos de Rubén Magnano no Rio de Janeiro nesta segunda e terça-feira (durante dois dias, o argentino liberou a entrada dos treinadores brazucas). Destes dez, nenhum do NBB (a maioria foi da base, o que não deixa de ser um bom sinal, diga-se de passagem).

Concordo com o Rodrigo quando ele diz que LNB e da Escola de Técnicos poderiam ter se mobilizado para trazer seus filiados, e também acho que dois dias de treinamentos podem representar pouco, mas é absolutamente incrível que apenas DEZ treinadores tenham comparecido aos treinamentos de um campeão olímpico.

É ao mesmo tempo sintomático notar que as duas seleções adultas possuem técnicos estrangeiros, e a ótima sub-18 masculina, um que atua fora há quase dez anos (Walter Roese). A não ida dos brasileiros mostra bem como (não) pensa grande parte dos técnicos, e quão grande (ou pequena) é a vontade deles em aprender e evoluir. É lamentável!

18 comentários:

Anônimo disse...

Se for olhar a lista dos 33 técnicos que se inscreveram para assistir aos treinos, verá que a grande maioria é aqui do Rio, com um ou outro de São Paulo, Minas e Brasilia. Não há razões para crer que os técnicos do Rio sejam mais interessados. O que explica isso, portanto, é a falta de apoio, inclusive e principalmente financeiro, para que os técnicos de outros lugares pudessem vir acompanhar os treinos. As Federações e a CBB deveriam investir e apoiar os treinadores. Essa falta de apoio é que é lamentável, não um suposto desinteresse/arrogância!

Anônimo disse...

De novo o memso debate de alguns meses atrás. Técnico de base no Brasil não tem dinheiro para viajar para outro estado e participar de clínicas. Aposto que muitos gostariam de ter ido mas não tinham condições.

Felipe Modesto disse...

Bala, o pessoal de São Paulo está enolvido na preparação para o paulista que começa em 11 de agosto.
E vc sabe q técnico aqui no Brasil tb faz as vezes de manager.Ainda está uma correria de contratação, trazer americanos, renovação de contrato, enfim...
Concordo que a ausencia do pessoal é triste, mas no mínimo justificavel

Anônimo disse...

Depois vem o Ferreto encher a paciência......

Anônimo disse...

Respeito as dificuldades e imprevistos que provavelmente justificarão a ausência da maioria dos técnicos que dirigem os principais times do país (excluíndo João Marcelo, Régis Marreli e Enio Vechi que estão com a seleção B), mas é no mínimo "broxante" ler essa notícia, faz acreditar que nada mudará a curto prazo, a esperança é que ao menos a base melhore.

Leonardo Rodrigues

Anônimo disse...

O VELHO, O MENINO E O BURRO
1) Velho e menino de mãos dadas andando ao lado de um burro...
As pessoas apontam e dizem: "de que adianta um burro num dia de sol desses se eles não usam?"

2) O Velho sobe no burro...
As pessoas apontam e dizem: "Que cara de pau a desse velho, anda em cima do burro e deixa o menino caminhar nesse sol"

3) O Velho desce e deixa o menino subir no burro...
As pessoas apontam e dizem: "Que absurdo um menino saudável em cima do burro deixando um idoso caminhar ao sol!"

4) Os dois resolvem subir no burro...
As pessoas apontam e dizem: "Que falta de humanidade, coitado desse burro tendo que carregar 2 pessoas ao mesmo tempo!"

Isso é o que os técnicos do país estão sofrendo nesse momento... Não importa o que façam, são sempre os vilões da estória!

Se é um técnico brasileiro dirigindo a seleção e coloca essa regra de ter que se inscrever para assistir 2 dias de treino iam dizer:
"Quem esse cara pensa que é limitando o direito dos outros técnicos de assistir seus treinos?"
Como se trata de um estrangeiro arrogantes são os técnicos brasileiros que não compareceram a essa oportunidade imperdível de gastar uma fortuna para assistir 2 treinos!

Anônimo disse...

Se fosse um técnico estrangeiro qualquer, até concordaria com o post acima, mas se tratando de um treino ministrado por um campeão olímpico e vice-campeão mundial, não é todo o dia que se tem essa oportunidade.

Enfim... Lutar contra o retrógrado, é como dar murros em ponto de faca. Sendo assim, apostemos no futuro.

Leonardo Rodrigues

Arthur Malaspina disse...

O mais curioso é que é o mesmo Anônimo que foi criticar o post do Rebote... e com o mesmo textinho de auto-ajuda...

Anônimo disse...

Acho que o baixo indice de tecnicos de fora pelo visto somente o Raul, passa por falta de recursos financeiros pessoais e o campeonato paulista que esta para iniciar, entretanto alguns mencionaram a falta de participação dos tecnicos do rio nos treinosm, posso esta enganado mas se deve a preparação da equipe para o carioca. fica a pergunta? o que em dois dias um treino de seleção iria acrescentar profissionalmente em termos de conhecimento aos tecnicos do país?.

BARBOSA disse...

Acredito que cada profissional tenha o direito de fazer sua escolha. Mas também acredito que para que um profissional seja melhor tem de se aprrimorar cada vez mais, assim o que ele precisa é investir nele mesmo. Como se faz isso? Participando de todo tipo de atividade que possa contribuir para seu desenvolvimento profissional. Com certeza se investir em sua carreira você será um profissional melhor. Agora quanto mais defassado você ficar mais obsoleto irá se torna transformando-se, assim, em algo descartável. Não trabalho com esporte mas sou frequentador assíduo do blog, entretanto como profissional tento reciclar meus conhecimentos da melhor forma possível e, me desculpem alguns mas, não espero ajuda de ninguém para participar de cursos, palestras, convenções, etc...
Acho que o pessoal está deixando passar uma grande oportunidade e depois vai querer dizer que a culpa é das entidades reguladoras que não fornecem tudo de graça.

Forte abraço.

Henrique Lima disse...

Bala, não pude ir cara.

Muita correria, até tentei algo, mas teria de fazer tudo praticamente sozinho e resolver muita coisa daqui, não teve como.

Tenho jogos dia 2,5 e 6 de agosto.
Dessa forma, ficou complicado de ausentar de BH para ir ao Rio.

Dei treino para a categoria sub 13 na semana, aí sim, ficou impossivel.

Queria muito ter ido para ficar 10, 12 dias, mas sempre tem algo no caminho. Queria ter visto do dia 19 em diante, tudo que pudesse, mas como se também não liberaram sempre ?

Deveriam liberar para técnicos, pois isso é um baita estudo/aulas para todos.

Dessa vez foi o JIMi entre 20 e 25 de julho e depois os treinos que te falei.

Sinceramente, grande parte das vezes não é falta de vontade ou atenção, é simplesmente tempo ou no caso, falta total dele.

Um grande abraço, Henrique Lima

Anônimo disse...

E QUEM FOI EM SP, VCS NÃO SABEM NÉ. O LANCE É FAZER POLEMICA, PQ VCS NÃO GASTAM O TEMPO COM COISAS MAIS CONSTRUTIVAS

Anônimo disse...

Por que tanta reclamação com anônimos, se a grande maioria põe nome falso nestas discussões.
Por isso podem me chamar de Jose,pronto não sou mais anônimo.
Muito curioso ver tanta balela em torno de um assunto tão pouco importante para os técnicos.
O que adiantaria 2 dias?
O que se pode aprender de tão diferente?
O que pessoas que não sao técnicos e vão assistir um treino e se encantam e saem metendo o pau em todo uma classe tão sem orgulho como de técnico de basquete?
A classe esta tão humilhada por tantos anos de descaso que abaixa a cabeça para um bando de moleques que ficam atras do computador tecendo sobre prepotência de técnicos,arrogância dos técnicos brasileiros,de falta de gestão dali ou daqui, quando não sabem o que é a realidade da classe.
Ao invés de chutar os técnicos brasileiros deveriam aplaudir estes sobreviventes que manterem uma chama,mesma que pequena do nosso basquete.
Depois se justificar que é para os técnicos da NBB somente a bronca?
Estes heróis técnicos da NBB, deveriam ter um tapete vermelho quando pisam,pois na sua maioria Sao técnicos,dirigentes,supervisores,roupeiros,gestores,e conselheiros.
Se os técnicos não se manifestam contra tudo o que foi falado, eu faço, com orgulho , pois sei da luta diária de cada um.
Não deixem pisarem mais ainda em vcs.
Não deixem que pequenos pseudos técnicos digitais,gigolôs do basquete brasileiro , afundem mais ainda vcs,tanto técnicos da NBB quanto os outros.

Tenho muito orgulho pelo que vcs vêem fazendo pelo renascimento do basquete.Portanto Parabéns e continuem firmes e motivados:
Regis,Enio,Chupeta,Flavio,Lula,Claudio M,Bial,Guerrinha,Carlao,Helio Rubens,Paulo Murilo,Joao M,Daniel, e seus auxiliares ,para os que já trabalharam como Chui, e os que estão chegando como Demetrius,Rato,Gustavinho, entre outros.

Esses e muitos outros fazem o nosso basquete há anos e merecem respeito.
Vocês que ficam TC com o traseiro na cadeira, deveriam levantar e fazer algo concreto pelo Basquete.

Boa Sorte
Jose

marcelovini disse...

Vejam, se antigamente Zé Boquinha e cia., preocupavam-se única e exclusivamente com seus próprios interesses e em montar uma equipe competitiva, não dando a menor importância para a formação das categorias de base e intercâmbio com outras escolas, quanto mais agora, pois Zé Boca não está mais na ativa, porém seus pupilos tem a mesma visão e postura de antigamente.

Anônimo disse...

Finalmente um herói defendendo os técnicos contra um post horroroso e covarde do Rebote.
Parabéns ao grande Paulo Murilo,que em seu site põe os pingos nos is.
Corajoso,experiente, e independente.
Jose

Chizu disse...

Calma aí Fábio. Classificar toda uma classe (técnicos de basquete brazucas, principalmente os da NBB), por causa disso acho um tremendo exagero. Primeiro, como você mesmo vem evidenciando, a CBB divulga muito mal as coisas. Será que todos os técnicos souberam disso com tempo suficiente para se organizarem? Principalmente levando em consideração o que você falou (apenas dez compareceram). Quantos profissionais será que existem no RJ, que não gostariam de participar de uma oportunidade dessas? Tem que analisar bem o que pode ter acontecido. Veja bem, eu sou um profissional na minha área (não é o basquete), e gostaria muito de ir diversos eventos que sei que agregariam muito ao meu conhecimento, mas sou empregado, tenho agenda, compromissos, etc, isso sem tocar na parte financeira, mas eu não puder comparecer por um ou mas desses motivos não diminui a minha vontade de aprender e evoluir.

fábio balassiano disse...

chizu, vou colocar, aqui, o que escrevi no texto.
" A não ida dos brasileiros mostra bem como (não) pensa grande parte dos técnicos, e quão grande (ou pequena) é a vontade deles em aprender e evoluir"
nao generalizei.
disse, apenas, que é o pensamento da maioria.
está lá no texto

abs, fábio

Chizu disse...

Ok Fábio, mas mesmo assim, acho que trocar "toda uma classe"(que eu tinha colocado) por "grande parte" dela (como você ressalta) não muda muito o meu ponto de vista sobre este evento (treino aberto do Magnano) e suas repercussões. Realmente é uma oportunidade indiscutível, mas me pergunto quantas pessoas realmente souberam disso com antecedência para se planejarem? Será que realmente foi bem divulgado pela CBB? Acho difícil de acreditar que, numa cidade como RJ, se a notícia sobre este evento tivesse saído num jornal/site conhecido com alguns dias de antecedência, não teríamos muito mais que 33 inscritos e mais, que apenas 10 presentes, e não só os do NBB, mas principalmente os técnicos das categorias de base nas escolas e clubes, que iriam levar ensinamentos valiosos para os nossos futuros craques. Não poderia ter sido verificado com alguns técnicos do NBB ou com a Escola de Técnicos o motivo de não terem comparecido? Com certeza a resposta deles seria fundamental para chegar-se a uma melhor conclusão sobre este assunto. De qualquer forma Fábio, acho o post legal pois independentemente de quem tem razão, dá uma "cutucada" nos nossos técnicos para procurarem se informar e participar mais destes eventos. O basquete só ganha com isso.